FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #269

Project Cars #269: a retífica do motor 1.600 do meu Volkswagen TL 1972


Pra quem já me conhece, estamos de volta pra falar um pouco do que foi feito no motor da TL! Caso você não tenha lido a primeira parte clique aqui. Se já leu, vamos em frente!

O novato aqui mal sabia por onde começar, o que trocar, o que alterar, como proceder. O que eu fiz? Estudei né? Fui ler.. ler muito, pegar opiniões diversas para filtrar e desenhar meu projeto, lia sites gringos, virava os fórum do avesso. Encontrava opiniões tão distintas quanto escutar uma discussão sobre o Pelé ser melhor que o Maradona e vice versa, ou seja, não tinha conclusão final. Você aprende tudo o que pode sobre todas as vertentes, no fim pondera qual é a verdade que é melhor pra você. Isso vale pra tudo quando os assuntos são motores, não acreditem somente nos videos que vocês vêem por ai, podem pesquisar, muita informação completamente errada é repassada como se fosse a correta, o pior é que os caras ainda idolatram gente assim, vai entender.. preguiça de ler, talvez.

Mas o jovem aqui não se contentou com pouco, quando eu digo que virei fórums do avesso, eu realmente fiz isso, fiz em questão de meses, li tudo o que podia pra decidir o ponto de partida. Mas enquanto eu aprendia. .  eu também andava com o carro, com aquele motor. Um dia voltando do trabalho, acho que era possível ver o rastro de óleo que eu deixei ao longo dos 20km que percorri até chegar no posto e ver aquele chuveiro aberto debaixo do motor. Que desespero!

Eu precisava fazer o motor urgente, antes que ele ficasse pior. Um conhecedor das artes de retífica, que mostra todo seu conhecimento a qualquer um que quiser saber, um dos verdadeiros mestres que existem por aí, diga-se de passagem, Carlos Zotti me disse que quanto mais demorar pra abrir e retificar, mais cara ficará a conta. Outro grande mestre o senhor Chico Biela deu algumas outras dicas sobre o que fazer pra ter um motor antigo, porém com bom desempenho. Não menos importante uma galera do Fórum Fusca Brasil ia dando as dicas nos mais diversos campos de um motor a ar. Carburação, elétrica, pontos de ignição e avanços… tudo!

Jpeg

Passou algum tempo e eu tinha o projeto pronto, aproveitei a grana e os dias de férias que entrou e comecei a desmontar tudo no estacionamento aonde o carro fica guardado. Aqui vale o registro de que eu fui atrás de mecânicos pra fazer esse serviço, porém o custo adicional e a vontade de fazer sozinho (aliada àquela desconfiança que todos temos dos mexanicos) me fizeram partir pro DIY. Comecei desmontando os periféricos mais fáceis, varetas, bomba combustível, cebolinhas, carburação, lataria do motor etc.  Deixei o motor peladinho! Sujo, mas peladinho! Ok posso baixar ele agora. Mas… espera um pouco! Eu estou sozinho!

Jpeg

Foi engraçado, eu tinha apenas um macaco jacaré pequeno pra me ajudar. Pensei alguns minutos, olhei pros lados e vi os pneus que ficam na parede pros carros não encostarem, não tinha outra solução. Forrei o chão com os pneus, coloquei uma madeira pra servir de prancha pro macaco, comecei a balançar o motor apoiado no jacaré. Balança daqui, balança dali, senti que os prisioneiros que o prendem na caixa de cambio já estavam soltos!! Ok! Aqui vale outro registro, pra quem não sabe, o motor dos aircooleds são, de certa forma, pendurado atrás do chassi do carro, terrível pra estabilidade diga-se de passagem. Mas voltando ao assunto, o motor estava lá, equilibrado num macaquinho, perfeito.

Como é que eu vou baixar isso agora?

Eu tinha pensado em quase tudo! Só não tinha pensado em como baixar do jacaré (pra quem não conhece, os jacarés pequenos abaixam girando uma espécie de parafuso que fica na base). Se eu soltasse o motor ele caia no chão, se ficasse segurando não ia conseguir fazer mais nada, tentei encaixar o motor de volta para o lugar pra pensar um pouco mais. Quem dera ele entrasse de volta hahaha eu desconfio que eu tenha deixado o carro desengatado e quando tirei o motor o eixo piloto girou de alguma forma. O motor não voltava mais pro lugar.. eu não conseguia baixar o macaco e pra piorar, o motor sambou um samba em cima do mísero apoio daquele jacaré e começou a perder o equilíbrio.

Eu, bobo que sou, ainda tentei com todas as forças equilibrá-lo. Mais um registro, acho que de todos os VW a ar que foram feitos, a TL deve ser, disparado, o pior de dar manutenção no motor, isso porque a tampa fica dentro do porta malas, e logo na sequencia tem a tampa da tampa do porta malas, te obrigando a ficar totalmente curvado, como diz o Zé, cuidador dos carros, “ooo posição fia da mãe de trabalhar”  mas falou isso com outras palavras, resumindo muita dor nas costas em qualquer manutenção que vá fazer.

Jpeg

O motor caiu no chão!  Caiu lá de cima dos 30cm que ele se encontrava. Um pequeno ataque do coração, inconscientemente saiu um palavrão de minha boca, Ferrou! Fui conferir os danos e… caiu em cima dos pneus minha gente! Acho que mais feliz que aquela hora, só quando o motor roncou pela primeira vez. Eu tava sorridente, trabalho concluído, tinha tirado o motor do carro! Já estava tudo pronto então pra retifica… que nada. Até ali tinha sido brincadeira de criança. Subi o carro nos cavaletes, arrastei o motor pra fora e comecei a desmontar o que faltava. Desmontei a turbina, tirei radiador de óleo, retirei os cabeçotes com certa dificuldade.

Jpeg

Jpeg Jpeg

Pois bem, aqui estamos no segundo dia de desmontagem (sim, dois dias só pra desmontar tudo sozinho… demorei). Agora já com a ajuda do senhor que cuida dos carros, precisava retirar a porca do volante. Meu amigos, vocês não sabem o que é soltar uma porca do voltante do fusca sem as ferramentas certas! Eu possuía: Barra de ferro de dois metros, soquete 36 mm, cabo de força 3/4 e uma chave de vela pra travar o volante. Eu tinha também o Zé cuidador, que pesava seus 50 quilos e ficou em pé do volante pra eu conseguir soltar a porca. Aqui pode contar que se passaram umas duas horas de briga boa, só saiu a bendita quando eu calcei o motor debaixo do carro ai eu pude fazer toda a força do mundo e a danada saiu.

Jpeg Jpeg

Chegou a hora de retirar as camisas do bloco. Cada camisa demorou, em média, 40 minutos pra ser retirada, vocês não tem noção do trabalho que da pra tirar um trem que ficou colado no lugar por anos e anos. Mas foi trabalho de chegar ao ponto de jogar o martelo de borracha  e dizer gritando “eu vou pagar alguém para fazer! Essa porcaria deve estar soldada no bloco, não é possível!” sair pisando duro, ir beber uma água e voltar com o rabo entre as pernas pra continuar tentando, afinal eu não tinha dinheiro pra alguém fazer! Hahaha Enfim, saiu! Mas agora eu precisava abrir o bloco! Foi outra peleja da boa, mas essa menos estressante! Para os paulistas, seria a mesma sensação de ir pra Ubatuba descendo pela serra de Caraguá.. você chega na praia mas ainda falta 1h de viagem foi a mesma coisa, quando sairam as camisas, ainda tinha chão pela frente.

Bloco aberto, tuchos caíram pelas beiradas, era hora de investigar o estado que o motor estava. Amigos, estava triste, sorte a minha que parei de rodar com carro, olha o estado da bronzina do mancal principal! Mais um pouco ela ia escapar do pino, girar junto com o vira e explodir tudo. O pino eu não tenho registro, mas estava igual dente de leite em criança, quase caindo.

Jpeg Jpeg

Eu poderia escrever uma novela sobre essa novela que foi o motor, mas eu vou lhes poupar e vou entrar logo nos detalhes.

Esse carro seria utilizado 99% do tempo dentro da cidade, não deveria ser meu carro principal e necessariamente teria que ser um carro divertido de dirigir. Diversão é algo bem subjetivo, mas na minha cabeça significa torque, correr com uma senhora de 43 anos não é a coisa mais inteligente a ser feita, é possível, mas não é recomendado. Não menos importante, eu não tinha um orçamento de TV a cabo, só dava pra fazer um feijão com arroz temperado com sazon.

Então ficou decidida a configuração:

– Kit 1600 novo

– Comando Original pós 84 (conhecido como Tork)

– Balanceiros 1/1.25

– Cabeçotes com câmara retrabalhada e dutos melhorados

– Taxa de compressão 8.5

– Bomba de óleo 26mm

Justificando as escolhas, eu queria priorizar o torque do carro,  é nessas horas que fazer parte de um fórum pode te ajudar muito. Uma tabela de torque x rpm apareceu! Simulando todos os comandos mais populares e comparando uns com os outros, pasmem, o comando original é o que fornece o maior torque em baixa rotação! Nada mais justo, afinal foi desenvolvido pra trabalhar na kombi de carga. Nem o conhecido amigo dos aircooled W110 era mais forte (Ele é mais esportivo sim, mas não entrega a mesma força na faixa de rotação que eu buscava). Como eu falei, eu não queria correr, eu só queria força.. hoje eu gostaria de ter a chance de experimentar um W100 pra sentir as diferenças práticas, mas só de lembrar do trabalhão, me da arrepio.. de qualquer forma, nada que seja impossível quem sabe pro futuro. Enfim, comando original tem mais força, mas o cruzamento faz o motor morrer cedo, com isso eu tive que colocar balanceiros 1.25 pra fazer com que o motor tivesse mais folego acima dos 3000rpm, combinando com uma taxa elevada o resultado ficaria no mínimo interessante.

O cabeçotes seriam o que demandaria mais trabalho, enquanto o bloco estava na retifica eu peguei os cabeçotes pra dar uma fuçada, abrindo um pouco o duto de admissão da maneira que pude, utilizando uma micro retífica, deixei também os dutos de escapamento da melhor forma que consegui, não ficou polido porque não deu.. mas ficou melhor do que estava. Fiz uma tentativa de câmara AP pra melhorar a temperatura de trabalho, afinal a taxa estava muito mais alta que a original, rebaixei o cabeçote 3 mm mas falhei, esquecendo que quebrar os cantos vivos que ficaram após o rebaixo, o que me custa umas batidas de pino de vez em quando. Retirei imperfeições e tudo mais que manda o figurino… a dremel, coitada, parou de funcionar duas vezes no meio desse caminho, peguei uma birra com essa ferramenta (enquanto escrevo esse post ela resolveu para de funcionar de novo, problemas no seletor de velocidade).

Trabalho cabeçote

Levei os cabeçotes de volta pra retifica que condenou a heresia de ter rebaixado um cabeçote original.. como se o trabalho deles com o bloco tivesse ficado 100%o, raiva e stress a parte, peguei todas as peças e levei pra casa. No dia seguinte era hora de começar a montagem!

A montagem vai ficar pra um próximo post! Até lá!

José Guilherme, Project Cars #269

0pcdisclaimer2

 

Este Uno 1.5R pode ser seu!

Participe!

Clique aqui e veja como

Compartilhe agora