A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #299

Project Cars #299: a história do meu Fusca 2.0 16v turbo

Olá, meus camaradas com engrenagens na cabeça!  Sou o proprietário do fusca 1976 que virou essa bomba vermelha e gostaria de contar a historia dele e como eu cheguei até o nível atual! É uma historia longa de muita persistência, empenho estudo e dedicação, um carro desse é fruto de muito esforço e com ele conquistei inúmeros amigos e continua até hoje!

Tudo começou em 1996 quando precisava de um carro e já não aguentava mais andar de busão em BH. Nada melhor que comprar um carro de família não é mesmo? Meu irmão comprou um fusca em 1981 no sul de minas segundo dono ficou com ele cinco anos e depois vendeu para minha irmã que ficou com ele por mais 10 anos, até que um dia ela disse que ia vende-lo e então o vosso amigo pedestre aqui sacou todas as suas economias de estagiário de eletrônica debaixo do colchão e comprou seu primeiro carro! Haha que alegria! Dei uma banana para o busão e feliz da vida estava eu com meu fusquinha 1976 1300 basicão de tudo! Aquela bela suspensão de bucha arriada que batia tudo e um motor que ao fazer curva para direita soltava um tucho de fumaça igual ao carro do Batman! Mas era meu e estava pago e se tudo desse certo não subiria nunca mais aquelas famigeradas ladeiras de BH a pé!

Não tenho foto dele original, mas era idêntico a esse abaixo.

Flatout Fusca 1976

Como todo muleque novo eu era apaixonado por som e gostava de fazer uma bagunça, afinal eu tinha 23 anos e a primeira providencia foi colocar um som Pionner daqueles tops no meu fusca! (nunca façam isso, fusca é ótimo de som e você vai se apaixonar pelo carro e aí lascou é casamento certeiro!)

Nessa época ele era meu carro de dia a dia e usava mesmo, sem dó, sem piedade e logo de cara eu me arrisquei a fazer um motor mais nervoso e transformei o motor dele 1300 em um 1600, comprei tudo novo cabeçotes kits 1600 e aquela lista enorme de peças de motor a ar. Cai na mão de um cara ruim de serviço e gastei praticamente o dinheiro de um motor zero em um motor que bateu com 1500km depois de pronto! Me lasquei dessa mesma maneira com profissionais ruins mais uma vez e perdi um outro motor 1700 com comandão!

Motor a ar precisa do profissional certo para que ele seja feito com todo carinho e paciência e isso é muito importante (hoje em dia também trabalho com diversos desses praticamente todos turbos de tudo que é cilindrada!)!

Como não consegui o profissional, peguei uma pilha de cheques emprestados com minha irmã e fui até a concessionária VW e comprei um motor 0km na caixa de madeira! Coisa linda de meu Deus, que dia mais feliz. O cheiro de resina do motor zero km de concessionária é único!

Assim com esse motor  zero km e com algumas modificações já feitas por mim, setas no pára-choque, retrovisores de Passat rodas de TSI eu rodei cerca de 40mil km com esse Fusca. Viajei para SP, sul de Minas, praia no Espírito Santo uma infinidade de lugares, obsevem a foto dele em junho de 1998 com placa amarela!

Flatout Fusca 1976

Detalhe da lanterninha no para-choques inspirada nos Golf´s

Dei mais um trato nele e na época ia nos encontros de fusca em BH e ele era assim já com placa cinza:

Flatout Fusca 1976

Sinto saudades dessa época dele mais ou menos original, era ótimo, me divertia muito, mas eu sempre sentia que faltava algo mais nervoso…

 

Frequentava muito os encontros de hot rods em BH e de lá veio a minha veia de grandes modificações e do estilo hot radical que o carro tomou. O principal marco da decisão de modificação mecânica foi em uma viagem para SP, eu estava sozinho na BR e me aproximei de um Logus 2.0, estava a uns 110 por hora e ele a uns 90 e o danado em uma reta não me deixou passar de jeito nenhum ele acelerou até 160km/h só para o fusquinha não passar! (Acho que quem já tomou bullying de fusca bravo nunca esquece e deve ter sido o caso desse cara!)

Fato é que esse dia, tomei a decisão de que iria modificar radicalmente meu fusca e aquilo nunca mais iria acontecer, pelo menos não tão facilmente…  rsrs

Comprei outro carro de uso para o dia a dia e parti para modificar meu fusca após juntar muita, mas muita informação! Junte o máximo de informações que puder, isso o ajudará a não rasgar dinheiro!

Flatout Fusca 1976

Importei muitos livros e revistas e li muito para dar os primeiros passos, alguns amigos ajudaram e começamos a obra em 1999 a partir da orientação contida em uma VW trends.

Flatout Fusca 1976 Flatout Fusca 1976 Flatout Fusca 1976

Após ter essas reportagens detalhadas eu mandei rebaixar o teto e eu ia pessoalmente todos os dias na oficina para ter certeza que a silhueta de meu fusca não ficaria achatada como diversos fuscas de teto rebaixado que tem por aí (inclusive o da VW trends)!

(Puristas parem de ler agora e vão para um local seguro)

Flatout Fusca 1976

Marcações de estudo no teto para os cortes

Flatout Fusca 1976Flatout Fusca 1976

Ajuste de silhueta

Flatout Fusca 1976

Acreditem, meu fusca tem a grelha traseira rebaixada, é o único no mundo com isso! Imaginem o trabalho que deu para fazer… (chora boy — o meu rebaixou até a grelha!)

Flatout Fusca 1976

Após terminar de soldar o novo teto, veio o baque, a silhueta da calha ficou perfeita conforme eu gostaria mas a cabeça ficou “testuda” e eu detestei aquilo.

Flatout Fusca 1976

Pedi para resolver o problema e nesse momento o dono da oficina se aproveitou e subiu o orçamento em 50%…  lágrimas de um ex-estagiário correndo e um bolso sangrando… Chorei o prejuízo, pedi para consertar, seguimos em diante, mas nunca mais voltei naquela oficina.

Flatout Fusca 1976

Resultado final do teto não ficou nada mau:

Flatout Fusca 1976 Flatout Fusca 1976Próxima etapa em 2000 foram as modificações das portas essas deram um trabalho do cão! Sim meus camaradas ele tem portas suicidas, me inspirei no KDF e quis fazer igual os Hot Rods. Meu conselho é não façam jamais! É estiloso, mas dá muito trabalho, e é caro e pode ser perigoso se for mau feito.

Flatout Fusca 1976 Flatout Fusca 1976

Após modificar as portas dei uma parada e fiquei em busca de um motor até que um dia andei em um Gol quadrado em BH com motor 1.9 e cabeçote 16V bi-turbo e afundei no banco! Foi tipo uma flechada no coração! Paixão a primeira colada no banco e muita, mas muita potencia! Avisei para todos os amigos que queria aquela mecânica do GTI  16V já que não tinha ninguém competente para fazer um motor a ar bravo em BH e depois eu me virava para funcionar a eletrônica!

O carro foi levado para Sete Lagoas/MG para continuar a lanternagem, até que um dia em 2001 o motor me achou!

Flatout Fusca 1976

Usei uma carcaça de Kombi diesel para acoplar:

Flatout Fusca 1976

Coloquei na sequencia a suspensão traseira independente de Variant II, com homocinéticas:

Flatout Fusca 1976Flatout Fusca 1976

Feito isso a lanternagem progrediu ainda em 2001, colocamos os tubos de cobre dentro da caixa de ar para tubulação de água, afinei o quadro de porta mudei os paralamas do pré-70 para usar as lentes de Porsche e deu fundo no carro todo.

Flatout Fusca 1976

Na traseira fui obrigado a tomar a decisão de embutir as lanternas devido a tampa que para abrigar o novo motor ia precisar do ressalto e nesse caso dava um ar hot a todo o conjunto, cheguei a tentar usar a lanterna original, mas não ficou bom, melhor que isso só trocando o motor.

Flatout Fusca 1976

Deste momento em diante meus camaradas a grana complicou com a chegada do novo presidente o dólar foi a R$ 3 e lascou tudo! Entre pagar faculdade e fazer Fusca, o carro foi parar no galinheiro do sítio de meu pai no sul de Minas e por lá ficou até 2005 juntando pena quando fui trabalhar no exterior!

Já que estou longe eu quero andar nesse fusca quando voltar e em 2006 as obras foram retomadas e a pintura prosseguiu em Lavras no sul de Minas e eu morrendo de agonia lá longe:

Flatout Fusca 1976 Flatout Fusca 1976

Um amigo que estudou eletrônica comigo trouxe do exterior os relógios de Porsche 993:

Flatout Fusca 1976 Flatout Fusca 1976

O dia que recebi essas  fotos no exterior quase comprei minha passagem de volta.

Flatout Fusca 1976 Flatout Fusca 1976 Flatout Fusca 1976

Em 2006 ele já tinha o segundo projeto de freios ventilados o que depois ia mudar tudo.

No final de 2006 lá estava ele, já pintado porem com tudo por montar e foi enviado para BH para a oficina de um grande amigo e ficou assim juntando poeira por mais sete meses até eu voltar do exterior:

Flatout Fusca 1976

Já nasceu turbo, porém com turbina pequena e motor sem forjar pois eu tinha um carro inteiro para terminar de montar!

Flatout Fusca 1976

Em agosto de 2007 eu retornei do exterior, fiquei desempregado em BH e aproveitei o momento e fiquei 7 meses todo dia o dia inteiro trabalhando feito doido para colocar as peças que havia adquirido no lugar. Precisei desenvolver muita coisa, fiz os freios suportes instalações elétricas e eletrônicas, suportes de parachoques, subchassis e muito mais. Trabalhei incessantemente até ele funcionar e rodar ainda que precariamente!

Uma coisa é ter uma peça na mão, outra totalmente diferente é ter ela no carro e funcionando! E acreditem: As pequenas coisas é que de fato são caras! Parafusos, mangueiras canos, fiação quando soma tudo o valor é incrível!

As rodas Fuchs desmontáveis saíram e entraram umas rodas originais CUP2 de Porsche turbo e coloca-las no lugar juntamente com os freios foi um trabalho imenso!

Flatout Fusca 1976

Flatout Fusca 1976

Subchassis tubular para o motor de GTI 

Flatout Fusca 1976 Flatout Fusca 1976

Freios Porsche, no lugar, hoje em dia, fabrico vários desses melhores e para diversos Fuscas.

Flatout Fusca 1976 Flatout Fusca 1976

Em uma tarde de 2008, foto abaixo, finalmente estávamos lá e eu tinha um motor que ligava um freio que funcionava e não aguentei e resolvi dar a primeira volta no carro depois de 8 anos! Só que eu não tinha testado os freios Porsche e sentei em uma lata de tinta e desci pela rua afora. Quando cheguei no fim da ladeira e experimentei os freios…  meus camaradas o vosso amigo aqui amontoou com lata a e tudo no painel do Fusca! Rimos muito e ficamos um pouco doloridos!

Em 2008 ele ficou assim já com mais detalhes e com os parachoques de alumínio.

Flatout Fusca 1976

Meus amigos me despeço por aqui e obrigado pela paciência de ler os relatos de vosso amigo fuscamaniaco e nos próximos episódios vou relatar as inúmeras modificações e evoluções mecânicas e estéticas que esse carro tem recebido desde então! Eu me mudei para Brasilia DF e ele foi e voltou rodando diversas vezes de BH para o DF e acreditem vai mudar muita coisa que não esta visível nesse carro e para muito melhor!

Um grande abraço

Por Luis Moreira, Project Cars #299

0pcdisclaimer

Matérias relacionadas

BMW 2002 1968: a conclusão do Project Cars #06

Leonardo Contesini

Um Engesa4 para cruzar a América do Sul: conheça a história do Project Cars #140

Leonardo Contesini

Project Cars #199: a pintura, a montagem e a estreia do meu Gol 1.8 turbo nas pistas

Leonardo Contesini