A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Project Cars Project Cars #455 Zero a 300

Project Cars #455: minha Volkswagen Caddy está finalmente pronta!

Olá, amigos do Flatout! Beleza? Aqui continuo a terceira parte da história da VW Caddy da TSI Autoparts! Após o BGT foram feitas muitas coisas no carro, porém quase nada visível externamente.

Como dito anteriormente, o carro foi comprado e levado direto pra oficina, e de lá só saiu para fazer outros serviços, vistorias e coisas do tipo, então não deu pra conhecer o carro nem tirar conclusões andando a 40km/h dentro da cidade. Após a ida e volta para Águas de Lindóia uma das coisas que mais me incomodaram foi o calor! Meu Deus, que carro quente por dentro!! Eu nunca tinha andado numa VW Van, mas já andei em muitos carros mais antigos e sem ar condicionado, mas o calor no assoalho era fora do normal!

 

Interior – parte 2

Comecei os trabalhos (que ninguém vê) retirando o carpete e lavando com água e sabão em pó mesmo! O carro não estava rodando no dia a dia então poderia fazer tudo na calma. Esse carro embaixo da capa nas fotos é o Golf GTI que cedeu os bancos dela. Aproveitando que estava desmontando todo o interior aproveitei pra pintar as partes plásticas que faltavam ser pintadas de preto e retocar algumas partes que acabaram riscando ou ficando algum pequeno defeito. Pra tentar resolver esse problema do calor coloquei essa manta térmica em todo o assoalho e parte do painel corta fogo tanto na parte interna quanto no cofre do motor, porém no cofre eu pintei de preto fosco.

 

11

O baú não foi pintado na funilaria, porque a ideia era revestir com carpete toda a parte em que a lata era exposta e também colocar um isolamento térmico no teto, porque em dias de sol ele frita! Enquanto não faço isso, pintei em casa mesmo as laterais do baú para deixar mais apresentável.

12 13

Outro detalhe era o marcador de temperatura no painel de instrumentos. Ele marcava muito abaixo da temperatura mínima, e eu percebia que quando ligava e desligava a chave ele se movimentava, ou seja, não estava morto ali no painel, necessitava apenas da calibração de ponteiros. Após assistir alguns vídeos no youtube, eu já estava “Apto” a desmontar o painel e calibrar o ponteiro para ele marcar direito. Foi muito mais fácil do que eu imaginava! Com tudo desmontado limpei a parte interna do painel de instrumentos e fiz um polimento na parte externa.

 

Instalação do ar-condicionado

Mas o isolamento térmico não faz milagre! Pra andar no dia a dia com mais conforto, bora instalar um ar condicionado na Vanzinha. Conversei com o André da Rede Kbça Automotivo da intenção de instalar o ar condicionado, pois já tinha visto na página do Facebook que eles estavam instalando kits em outros carros… porém como eu já esperava, ele me disse que um kit específico para esse carro ele não tinha disponível para a instalação e que uma alternativa seria eu providenciar um kit completo de VW Polo Classic. Até que foi bem fácil achar um carro sucata para comprar todo o kit, muitos Polo Classic já tiveram sua vida encerrada e foram parar em desmanches, então a oferta de peças era grande. Tudo comprado, deixei o carro no Kbça para a montagem do kit.

Por serem praticamente o mesmo carro (Polo e Van) era quase tudo plug and play. Acho que a única coisa mais “agressiva” que foi necessária, foi o furo no painel corta fogo para a passagem da tubulação do fluido para a caixa evaporadora.

Olhando no cofre dos carros (Polo e Van) me parecia ser tudo igualzinho porém no decorrer da montagem descobri que o alternador da versão sem ar não serve no suporte do alternador da versão com ar… corri na mesma loja de peças usadas pra ver se sobrou o alternador daquele mesmo polo que foi o doador do kit.

Mais uma vez dei sorte, achei de primeira! Na van o tensionamento da correia poly-v é feito por uma mola helicoidal que empurra o alternador em direção a frente do carro, distanciando as polias, já no Polo é usado um tensor com funcionamento mais “moderno” onde as polias são fixas e o que estica a correia é um braço tensor móvel igual os usados no Golf mk3, Passat 2.0 8v e outros VW/ Seat dos anos 90.

O carro ficou 10 dias na oficina, mas o ar ficou funcionando perfeitamente e com aparência de que tudo saiu de fábrica assim! Excelente investimento pra quem é calorento andar no dia a dia. Até fiz um video no dia que medi a temperatura da saída do ar.

31 32

 

Correção de pintura

Como dito nas partes 1 e 2 desse project car, a parte de funilaria e pintura foi feita em tempo record para levar o carro para o BGT9. Após o evento, já no começo de dezembro de 2017, o carro poderia ser terminado com calma, sem pressa nenhuma pela oficina que começou os serviços. O carro foi entregue para ser lixado e polido para melhorar as partes que ficaram com textura de casca de laranja e alguns escorridos de tinta. A pintura não usa verniz então na minha pouca experiência de polidor (quase nenhuma), seria só lixar a tinta e meter a politriz nesses defeitos que eu apontei.

Dezembro passou, Natal, ano novo, recesso de fim de ano… mais de 40 dias se passaram. Me avisaram que já podia ir buscar o carro. Decepção: carro sujo por dentro e por fora, sujeira de resíduos de polimento e a mesma textura casca de laranja e outros detalhes que eu reclamei continuavam lá. Infelizmente, ví que o único interessado no carro bem feito era eu! e que o pessoal da oficina não estava afim de trabalhar direito por falta de vontade!

Fui buscar o carro no final da tarde perto do horário deles fecharem e não quis nem discutir. Já que eles consideravam aquele serviço porcaria como pronto, não adiantava exigir qualidade! Se para eu que não sou profissional, achei um monte de defeitos, o meu nível de exigência já é maior que o deles, então serviço da oficina não serve!

Para nós que respiramos carros a todo instante, um carro cheio de defeitos é de arder os olhos! Eu tinha que achar alguém com vontade de trabalhar para corrigir o relaxo no acabamento o mais rápido possível. Levei para um amigo de Mauá da Fortunato Automotivo, para fazer o “básico”. Lixar e polir o carro todo novamente para tentar deixar a textura da pintura mais lisa e uniforme. Conforme ele foi lixando foi aparecendo mais defeitos e ele foi me enviando fotos de mais coisas que eu não tinha visto, mas no fim ele conseguiu dar uma bela melhorada no carro.

Dado o devido acabamento na pintura, o carro podia receber novamente os adesivos com o logotipo da empresa, pois na primeira colagem feita antes do BGT o tom da cor azul ficou diferente do usado na fachada do prédio.

45 46_1

 

Suspensão

A suspensão dianteira não tem mistério para modificações, praticamente mesmo esquema de torres usado nos Polo Classic. A escolhida foi suspensão de rosca pensando no uso para trabalho no dia a dia e ocasionalmente ir com ela em eventos nos finais de semana. Já na traseira que a coisa fica mais chata… desde a ida ao BGT já entrei embaixo do carro e já montei de todas as formas possíveis em casa.

A única coisa que não fiz foi inverter a montagem do eixo traseiro por cima do feixe de molas por dois motivos. Primeiro que para fazer isso as molas devem estar com a sua curvatura original ou próximo disso. O segundo motivo, é que para fazer essa montagem do eixo para cima, é necessário soldar apoios similares a cantoneiras no eixo, que por ser redondo não é indicado montar a lâmina direto nele. Resumindo, ja experimentei andar com:

— Duas lâminas do feixe desarqueadas e mais um calço da espessura de uma lâmina de feixe, — Duas lâminas do feixe desarqueadas,
— Duas lâminas do feixe desarqueadas porém a lâmina maior montada ao contrário,
— Só a lâmina maior e o calço.

Nessa última configuração que eu percebi o quanto a mola menor aguenta o peso do carro. Ví que ela é a maior responsável pela altura e era nela que eu tinha que trabalhar para ajustar a altura. Aí lembrei de um site do Reino Unido que vende uns kits para erguer a suspensão das Caddy quando necessário. Isso mesmo! no anúncio ele frisa que o kit é para erguer (acho que lá o pessoal também faz perguntas bestas nos anúncios).

Visto isso, pensei… Nunca vi isso a venda no Brasil, mas é fácil de fazer! Só comprar uns parafusos e porcas decentes, pegar com base as medidas da peça original pra ver a distância dos furos, parede e espessura e pedir para algum ferramenteiro fazer algo parecido.

O pai de um amigo da faculdade tem uma empresa de ferramentaria na zona Sul de SP, a Mado. Desmontei a peça do carro, tirei as medidas, desenhei e mandei com as distâncias que eu achava suficiente e pronto! Suspensão regulável na dianteira e traseira made in Brazil!

Para isso funcionar como o planejado, a lâmina menor deve ser praticamente arqueada ao contrário do que ela é originalmente, justamente para abaixar bastante a traseira do carro, deixando o mínimo de altura suficiente para o carro andar sem bater os batentes do eixo na carroceria. Esse é o tipo de coisa que temos que fazer usando tentativa e erro até acertar…

Assim é possível ajustar a distância do chão quase igual fazemos na suspensão de rosca, porém trocando o parafuso de lugar, mas obviamente com menos opções de ajuste fino. Como no meu caso as vezes carrego algumas coisas não muito pesadas, dois dedos a mais de curso na suspensão traseira são suficientes, apenas pra evitar batidas do batente, e pneus no fundo dos paralamas.

Nas fotos que tirei dos possíveis ajustes da suspensão o carro ganhou um outro pequeno detalhe. Vi fotos no instagram de um Polo Classic branco com alargadores de para-lama, para-choque dianteiro totalmente modificado e faróis máscara negra. Isso é outra coisa que dá pra fazer em casa! Então bora desmontar e fazer:

Apesar desse farol não ter muito o que ser pintado fora do foco do farol, eu gostei bastante do resultado. Ficou discreto mas acho que combinou com os outros detalhes em preto no carro. Assim o carro fica “pronto para o trabalho”, ficando para depois apenas detalhes que quero colocar assim que possível como ponteira de escape e carpete nas laterais do baú e continuação do teto do bau no mesmo padrão da parte dianteira. Como sempre é perguntado nos videos do FlatOut Midnight sempre vão surgindo detalhes para acrescentar no conjunto do carro, e eu sou um desses que dificilmente acho que está pronto! Mas por aqui acho que já foi contada toda a parte importante da história dessa Caddy!

Lembrando que a Vanzinha é um dos carros da empresa, agradeço primeiramente ao diretor da TSI Autoparts por ceder esse carro para meu uso e tornar possível e apoiar tantas modificações a meu gosto, à minha esposa por ter pego a estrada pela primeira vez dirigindo pra levar o carro para o BGT em Águas de Lindóia, aos meus amigos que colaboraram com ideias e sugestões do que podia ser feito, aos amigos prestadores de serviço que colocaram a mão no carro com o mesmo carinho que eu teria e também ao pessoal do Flatout (Juliano, Dalmo e Leo) pela oportunidade de contar sobre o PC #455 e os amigos leitores e pessoal do Crowndfunding! Em breve eu volto para contar a história do meu Golf GTI Mk3. Abraços a todos e até logo.

Por Henrique Miranda, Project Cars #455

0pcdisclaimer2

Uma mensagem do FlatOut!

Henrique, que dedicação ao projeto! Essa sacada da suspensão é um belo exemplo do que precisamos fazer às vezes para deixar o carro como queremos. Mais legal mesmo é que ela virou uma “vitrine” da empresa – o que significa que ele será usado como merece e como se deve. Parabéns!

 


z-gti-camiseta-1140x448

Matérias relacionadas

Black metal: os carros pretos mais maléficos anunciados no gt40, parte 1

Dalmo Hernandes

Mercedes Classe X lançada: conheça versões, motores e todas as especificações da picape (que será vendida no Brasil!)

Leonardo Contesini

Caminhões terão restrições de circulação em 2016, a primeira imagem do novo TVR, track day NDA Racing na Capuava e mais!

Leonardo Contesini