A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História

Quando a Mercedes-Benz fez um Fusca (ou quase isso)

Alemanha, 1931. Após a Grande Depressão de 1929 a economia do país se recuperava lentamente, e o poder de compra da população ainda estava extremamente limitado. Como em toda crise econômica, o mercado automotivo foi um dos mais afetados — especialmente porque na época, os alemães pagavam impostos sobre o combustível, sobre o abastecimento, sobre a compra do automóvel e mais um quarto imposto complementar. No total, os alemães pagavam o dobro de impostos que os franceses pagavam por seus Talbot, Citroën e Renault, e seis vezes mais impostos que os americanos pagavam em seus Ford, Buick e Olds. Para piorar, o governo alemão decretou emergencialmente que iria priorizar o transporte ferroviário no país. A situação estava tão crítica que as fabricantes DKW, Horch, Audi e Wanderer precisaram se unir em uma única empresa, batizada Auto Union, e a Daimler-Benz reduziu a jornada semanal de trabalho para 16 horas. Mesmo assim os Mercedes chegaram à margem de lucro mínima e as ações d

Matérias relacionadas

Puma Al Fassi: a história desconhecida do Puma árabe de Muhammad Ali

Dalmo Hernandes

As duas vidas dos motores V6 e V8 da Buick

Marco Antônio Oliveira

Bighorn: o big rig fracassado da Dodge – que é um dos caminhões mais raros do planeta

Dalmo Hernandes