A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

Que tal dar uma olhada nas cores de carro mais populares nos últimos 65 anos?

Sua reação à foto do trânsito aí de cima provavelmente foi a mesma de todo mundo sempre que uma imagem desse tipo aparece nas timelines das redes sociais. A forma varia, mas o conteúdo é sempre o mesmo: a variedade de cores no passado e o mar de cinza e branco e prata que domina as ruas atualmente.

Não é muito fácil explicar por que o público consumidor de automóveis abandonou as cores vibrantes para se concentrar no preto, no branco ou nas várias proporções destas duas não-cores que formam os tons de cinza. O que podemos descobrir, é quando o mundo decidiu abandonar a beleza das cores em favor destes tons neutros, que combinam mais com o asfalto do que com nossas personalidades.

Isso porque o pessoal da Axalta, uma das principais fornecedoras de tintas da indústria automobilística, foi além daqueles relatórios anuais de cores mais populares mundo afora, e divulgou neste início de mês uma tabela com as cores mais populares em todo o mundo dos últimos 65 anos.

unnamed

 

Sim, eles têm a classificação das cores mais populares desde 1953 na América do Norte, desde 1973 na Ásia, desde 1980 na Europa e desde 2000 na América do Sul. E ela nos leva a algumas conclusões. Veja só:

 

A “neutralização” das cores é uma tendência global

Do início dos anos 1950 até meados da década de 1990, os tons de azul, vermelho e verde eram predominantes sobre os tons neutros em praticamente todo o mundo. Foi a partir da virada do milênio que os tons neutros — cinza, prata, preto e branco —  começaram a ganhar mais espaço até se tornarem a preferência mundial. Mesmo na Ásia, onde o cinza/prata e branco sempre foram as mais populares, o top 5 era composto por tons mais vivos.

Traffic jam in Tokyo

Atualmente as cores mais populares são as mesmas em todos os continentes: branco, preto, prata, cinza e vermelho.

 

Os norte-americanos tinham uma queda inexplicável por marrom e bege

Na psicologia das cores, o marrom remete à maturidade, solidez, conforto e robustez. São características desejáveis em um carro e talvez por isso a cor esteve entre as preferidas dos norte-americanos em 34 anos — entre 1959 e 1987, 1953, 1954, 1992, e de 1996 a 1998. Em oito destes 34 anos ela foi a mais popular daquele mercado; imagine só um trânsito predominantemente marrom. Os asiáticos também curtiam as variações de marrom, mas a moda por lá foi passageira: os tons castanhos só foram populares por 11 anos, entre 1973 e 1984.

 

Os asiáticos sempre preferiram prata ou branco

tokyo-traffic-jam-in-the-center-picture-id876358730

Cinza, preto e branco, como você vê na foto acima

Os tons de cinza/prata e branco é que não foram uma moda passageira na Ásia. Desde 1973, quando o relatório começou a ser feito na região, eles foram os preferidos pelo público local. A explicação pode ter a ver com a imagem do automóvel como algo tecnológico e sofisticado, que são algumas das associações feitas aos tons de cinza pela psicologia das cores. Já o branco, embora seja a cor do luto e da morte na Ásia, também é relacionado à pureza e é uma das cores tradicionais do Japão, sendo usada como cor nacional de seus carros de corrida.

 

Amarelo é coisa do passado

O amarelo já esteve entre as cores mais vendidas em todo o mundo durante os anos 1970, mas desde 1981 ela não aparece nos top 5 regionais. No Brasil ela foi relativamente popular nessa mesma época, mas depois disso foi usada somente nos esportivos e em carros de serviço.

 

Os muscle cars colocaram o laranja no top 5 de 1971

top-muscle-1971-group

Os tons de laranja/cobre nunca foram dos mais populares em automóveis — nem esportivos, nem carros de serviço (Telesp?) —, mas ela chegou a entrar no Top 5 de 1971 graças aos muscle cars. A Pontiac oferecia o Orbit Orange, a AMC tinha o Mustard Yellow, a Ford tinha o Medium Yellow Gold, a GM o Mesa Sand e a Mopar o Bahama Yellow e o Tunisian Tan.

 

Os europeus não abrem mão do azul e do vermelho

6774409526_159db89bb4_b

Quando o relatório da Axalta passou a incluir a Europa, em 1980, as cores mais populares no Velho Mundo eram vermelho, verde, amarelo, prata e branco. No ano seguinte o branco deu lugar ao azul, e ele nunca mais saiu da preferência dos europeus. Atualmente as cores mais populares da Europa são o branco, prata, cinza, preto, vermelho como em todo o mundo, mais o azul que continua firme no gosto europeu.

 

A América do Sul é mesmo um mar monocromático de carros

248301863-carros-transito-sao-paulo-1024x576

Sabe aquela impressão de que todo carro é branco, preto ou uma mistura destas duas cores em diversas proporções? Pois então… essa é uma tendência iniciada no início deste século e que se consolidou de forma que estas cores continuam no top 5 até hoje. O fato de serem neutras ajuda na hora da revenda, que é algo que os sul-americanos levam muito em consideração, dado que os carros são mais caros por aqui. Já as cores lisas (preto, branco e vermelho) acabam sendo mais baratas, mantendo o preço do carro o mais baixo possível.

Matérias relacionadas

Não, o Lamborghini Miura não foi o primeiro esportivo de rua com motor central-traseiro

Dalmo Hernandes

Lancia Fulvia: o cupê com motor V4 e tração dianteira que se tornou uma lenda dos ralis antes do WRC

Dalmo Hernandes

EcoSport pode ganhar versão sem estepe na traseira, Aston Martin fará 28 DB5 do James Bond, Volkswagen terá novo modelo para substituir Gol e up! e mais!

Leonardo Contesini