A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Rali, trapalhadas e ronco de motor: mais momentos inesquecíveis do Goodwood Festival of Speed 2014

O Goodwood Festival of Speed é um dos eventos automotivos mais importantes do mundo — não apenas por reunir carros de corrida clássicos, mas pela oportunidade de ver bólidos lendários de todas as categorias do automobilismo rodeados por pilotos jovens e veteranos, superesportivos modernos e até carros conceito — tudo em um só lugar.

É uma tarefa difícil escolher o que rolou de mais legal no FoS 2014 e, por isso, o FlatOut traz para você a segunda parte da lista com as atrações mais fodásticas de Goodwood neste ano!

 

Rali! Rali! Rali!

O trecho de subida de montanha não é o único lugar onde os carros de Goodwood podem acelerar. A propriedade no Reino Unido também conta com um estágio de rali em uma floresta — e não faltam carros perfeitos para aproveitá-lo como se deve. Assim, podemos ver várias lendas do Grupo B devorando a pista, como no vídeo acima, ou Sébastian Loeb mostrando, ao volante de um Citroën DS3, porque conquistou nove títulos no WRC:

 

O espetáculo sonoro da Porsche

A volta da Porsche a Le Mans evidenciou (como se fosse preciso) o valor que a Porsche dá a sua história no automobilismo, especialmente nas corridas de longa duração, e Goodwood serviu como palco para que a fabricante de Stuttgart apresentasse parte de seu acervo de protótipos — 917K, 962C, 911 GT1, RS Spyder, você escolhe.

Contudo, o Porsche que nos deixou mais impressionados não foi nem mesmo construído pela Porsche: trata-se de um Fabcar 935  — naquela época, a Porsche licenciava seus projetos e fornecia componentes para outras empresas, e a americana Fabcar era uma delas.

Este carro foi construído em 1982 e conta com a frente baixa (slant nose) e a traseira longa que ficaram famosos no 935 “Moby Dick”. Nas mãos do piloto John Paul Jr, o carro foi vencedor da temporada de 1982 do campeonato da IMSA.

Não importa se não é um Porsche “de verdade”: ele usa componentes Porsche e um boxer de seis cilindros biturbo capaz de entregar 840 cv — e o ronco é simplesmente ensurdecedor.

 

Um Maserati MC12 novinho em folha

fos2014-p2 (19)

Em 2004, a Maserati pegou a Ferrari Enzo e a transformou no MC12, um carro feito para o FIA GT Championship. O MC12 era mais baixo, mais largo e mais comprido do que a Enzo, mas o motor e câmbio são os mesmos — um V12 de seis litros e 660 cv e uma caixa manual sequencial de seis velocidades. Cinquenta unidades legalizadas para as ruas foram feitas para homologar a versão de corrida, e mais 12 MC12 “Corsa”, que foram vendidos a particulares mas só podiam ser usados em pista.

Estes 62 MC12 eram os únicos que existiam no mundo (fora os carros de corrida) — até agora. Para comemorar seu centenário no Goodwood Festival of Speed, a Maserati construiu mais um MC12 usando um monobloco que ainda estava na fábrica. Cerca de 95% dos componentes são novos, e o carro tem uma pintura exclusiva que homenageia a história da marca no automobilismo: Sir Stirling Moss em um Maserati 250F (que também foi levado para o Festival), os carros de corrida da FIA GT e até o traçado do hillclimb de Goodwood.

 

Sir Stirling Moss e Lord March acelerando Mercedes-Benz clássicos

Falando em Sir Stirling Moss, o homem está aí para provar que é possível se tornar uma lenda da Fórmula 1 mesmo sem conquistar nenhum título. E ele foi um dos convidados de honra do FoS 2014, onde pilotou nada menos do que o Mercedes-Benz W196 de Juan Manuel Fangio, seu mentor, amigo e companheiro de equipe em 1955 na Mercedes-Benz. O W196 se tornou o carro mais caro da história a ser vendido em um leilão ao ser arrematado, no ano passado, pelo equivalente a US$ 70 milhões.

mercedes-benz_300_slr_5

Lord March, o anfitrião da festa, pilotou a versão streamliner do W196. Ambos os carros têm motores de oito cilindros em linha e 2,5 litros, capazes de entregar algo entre 275 e 290 cv. Com eles a Mercedes venceu duas vezes o mundial de construtores, em 1954 e 1955 — que também foram os anos em que Fangio conquistou dois de seus cinco títulos mundiais.

 

Burnouts, muitos burnouts

Há quem pense que burnouts são perda de tempo e desperdício de borracha. Podem até ser, mesmo, mas a gente liga? Não! E tudo fica mais interessante em Goodwood: só lá mesmo para vermos protótipos Le Mans, motos, carros de Fórmula 1, dragsters e e supercarros queimando borracha no asfalto antes de arrancar com toda sua força.

 

Mas como nem tudo são flores…

Apesar do espetáculo proporcionado por tantos carros incríveis acelerando, o Goodwood Festival of Speed também traz muitos acidentes. Todos os anos vários carros enfiam a fuça nos montes de feno ao lado da pista — e, obviamente, 2014 não foi exceção.

Todos os vídeos mostram exatamente o acidente ou começam no ponto em que o acidente ocorre

Kimi Räikkönen dormindo

kimiiiii

Antes de pilotar a Ferrari F2007 que o levou a seu título naquele ano, o Homem de Gelo resolveu tirar um cochilo… dentro do carro. Esse é o nosso Kimi. Ele sabe o que está fazendo. Sempre sabe.

Matérias relacionadas

924 Carrera GTR: o raríssimo Porsche de corrida que você provavelmente não conhecia

Dalmo Hernandes

Cinco álbuns de música com carros na capa para você ouvir dirigindo

Dalmo Hernandes

Os dez carros mais caros arrematados no leilão de Amelia Island

Dalmo Hernandes