A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Sim, este Volkswagen Up com motor VR6 existe mesmo

O Volkswagen Up não foi concebido como um esportivo – sua missão, tanto na Europa quanto no Brasil, era ser o modelo de entrada da fabricante (ainda que, por aqui, ele tenha ficado bem mais caro em pouco tempo). No entanto, sendo um hatchback pequeno, leve, de entre-eixos curto e bem acertado, não demorou para que os entusiastas descobrissem seu potencial esportivo, especialmente com motor turbinado.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

A própria VW vende, no Velho Mundo, o Up GTI com motor 1.0 turbo de três cilindros e 115 cv – parece pouco mas, em um carro com menos de 3,7 metros de comprimento e menos de uma tonelada, não é preciso mais do que isto. Além disso, o cofre minúsculo do Up não acomoda nada muito maior. Ou será que…

Aparentemente, com um pouco de força de vontade, é possível espremer algo maior ali dentro. Um austríaco dono de Up, por exemplo, conseguiu a façanha de meter um VR6 no cofre de seu subcompacto.

 

 

O carro foi um dos destaques do Wörthersee Treffen, cuja edição 2019 aconteceu em maio. O proprietário, Maximilian Schachermayr (mais conhecido como @scjochi no Instagram), começou o projeto em meados de 2017. Inicialmente as modificações foram apenas estéticas – a pintura branca foi substituída por um interessante tom de areia, e a suspensão recebeu um setup fixo com cambagem negativa nas rodas traseiras, rodas Gotti G1001 e, claro, pneus stretched. E foi assim por algum tempo – se nos permitem o comentário, nada muito diferente do que se costuma ver aos montes por aí.

Então, em outubro do ano passado, Max decidiu dar uma guinada em seu carro e mandar ver em um engine swap. E foi assim que o carro passou de “mais do mesmo” a “possivelmente pioneiro no mundo todo”. Veja bem, “possivelmente” porque podem haver outros por aí, esperando para serem descobertos. Mas a gente acha difícil.

Do ponto de vista puramente técnico, pode não ser uma ideia colocar um VR6 no Up por uma questão de equilíbrio dinâmico – enquanto o motor 1.0 TSI da Volks pesa pouco mais de 90 kg, o motor VR6 de 2.8 litros usado no Golf MK3 (o que acreditamos ser o caso, dado o formato da tampa de válvulas e a posição do coletor de escape) passa dos 160 kg. Por outro lado… o motor cabe. A própria Volkswagen projetou o motor VR6 para ser quase tão compacto quanto um quatro-cilindros, e potente como um VR6 comum – assim, apenas 15° separam as bancadas de cilindros, e ambas ficam sob o mesmo cabeçote.

Para deixar o VR6 à vontade, foi preciso cortar o painel frontal (a chamada “minifrente”), fabricar suportes sob medida e instalar um radiador com mais capacidade – possivelmente também foram feitas adaptações na parede corta-fogo. Não há detalhes sobre uma possível preparação no motor mas, mesmo se for totalmente stock, o VR6 deve entregar ao menos 200 cv.

Imaginamos que um bom acerto de suspensão e pneus bem escolhidos fariam muito bem a este carro – seria preciso um esforço extra para mitigar saídas de frente por causa do excesso de peso sobre o eixo dianteiro, claro, mas a parte mais difícil (o swap em si) já está feito. No entanto, Max optou por manter o stance do Up, ainda que agora ele tenha um sistema de suspensão a ar. Há quem goste da estética, mas nós preferimos um pouco mais de borracha e um pouco menos de roda. E sem pneus esticados.

Isto posto, como o carro não é nosso, estamos dispostos a fazer vista grossa para estes detalhes. Até porque as demais customizações no carro são bem resolvidas – a cor caiu como uma luva, as rodas são bonitas, e o interior recebeu os bancos concha Recaro CS Sportster, parecidíssimos com os do Golf R32 (veja por volta dos 4:00 do vídeo abaixo).

Alguém aí está disposto a encarar um projeto parecido – ou até superá-lo? Talvez o esforço de colocar um motor 2.0 TSI do Golf GTI seja menor e valha mais a pena. Se alguém estiver fazendo algo assim (ou conhece alguém que esteja), é só entrar em contato com a gente!

Sugestão do leitor Jhobert Lobodo

Matérias relacionadas

“Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio”: o Chevrolet Monte Carlo 1971 de Sean Boswell está à venda!

Dalmo Hernandes

Dos carros de papel à equipe de design da Red Bull: conheça Paul Bischof

Dalmo Hernandes

Este Suzuki Cappuccino é nosso novo mini-foguete com motor de Hayabusa favorito – mas não é o único!

Dalmo Hernandes