A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Touring Car Masters: a categoria de muscle clássicos mais extrema que você já viu

Há alguns dias, fizemos um mini-especial com momentos marcantes da V8 Supercars e também falamos sobre a Historic Trans Am, categoria de clássicos americana que coloca os antigos carros de corrida da Trans Am para competir como se fossem os anos 70. E por que estamos lembrando disso? Por que esta é a deixa perfeita para falar de outra categoria — feita para carros de corrida históricos, como a Historic Trans Am, porém dividindo espaço com a V8 Supercars, na Austrália. Conheça a Touring Car Masters.

A história da Touring Car Masters é recente — a primeira temporada foi disputada em 2007 —, mas ela coloca sob os holofotes os melhores carros de turismo do passado, e ficou tão popular que não demorou para que se transformasse na principal categoria de apoio à V8 Supercars que, como você já deve saber, é a categoria mais popular da Austrália.

A Touring Car Masters surgiu derivada das corridas de turismo do Grupo N — categoria de turismo história fundada em 1981 formada por carros de competição fabricados até o dia 31 de dezembro de 1972. Os carros do Grupo N precisam estar o mais fiéis quanto for possível a como eram na época em que competiam — eles não precisam ser, necessariamente, carros de corrida vintage, mas precisam ser preparados e modificados de acordo com o ano de fabricação.

tcm (19)

A Touring Car Masters veio com a proposta de modernizar as competições do Grupo N e permitir modificações maiores nos carros — incluindo a utilização de componentes modernos, como freios, motores de cárter seco e pneus radiais. Dificilmente as regras do Grupo N seriam modificadas para atender a este novo padrão, e por esta razão a CAMS (Confederation of Australian Motorsport, ou “Confederação Australiana de Automobilismo”) decidiu transformá-la em uma categoria à parte.

Foi uma sábia decisão, se querem saber — com as modificações, os carros se tornaram mais seguros, mais competitivos e a categoria ficou mais acessível a quem quisesse participar. Além disso, como não se trata de carros de corrida históricos e valiosos com suas características originais mantidas a todo custo, os pilotos não têm pena deles e pilotam de maneira muito mais extrema. As colisões quase sempre são violentas, mas o uso de componentes modernos diminui bastante o custo para consertá-los e eles quase sempre voltam para a corrida seguinte.

Os carros são divididos em duas categorias, assim como na Trans Am: A, para carros com motores de deslocamento de 5.101 cm³ ou mais, e B, para carros com deslocamento de no máximo 5.100 cm³. Contudo, desde 2013 as duas categorias competem ao mesmo tempo na pista. Há limites de peso mínimo e giro máximo dos motores. Desde 2007, apenas quatro pilotos dividem os títulos da categoria A: Jim Richards, John Boew, Gavin Bullas e Steve Manson.

tcm

Eles são impostos para cada modelo levando em consideração o tamanho do motor, o deslocamento e o tamanho do carro — e existem vários modelos: dos clássicos muscle cars australianos da Holden e da Ford, passando por clássicos americanos como o Mustang Boss 302, o Camaro e o Pontiac Trans Am, e até alguns Porsche 911.

Em 2010 e 2011 existiu, ainda, uma terceira categoria: a C, para carros de até 3.500 cm³ de deslocamento, na qual corriam os carros europeus como o 911  e o Alfa Romeo Giulia GTA.

Das corridas participam carros de corrida históricos, como na Trans Am, mas também são permitidos carros de rua transformados em bólidos de competição. Comum a todos eles, porém, é o período no qual eles precisam ter sido fabricados: entre 1 de janeiro de 1963 e 31 de dezembro de 1972 — o que garante um verdadeiro espetáculo a qualquer fã de automobilismo retrô. Ao volante, além de pilotos e equipes amadoras, marcam presença ex-astros da V8 Supercars e de outras categorias de automobilismo australianas.

tcm (17)

Para aumentar a competitividade, os pilotos profissionais que venceram algum título da TCM nos últimos dois anos têm direito a uma ligeira vantagem no limite de giro do motor — algo como 100 rpm a mais, o que já faz muita diferença na hora de brigar por posições.

Como acompanha a V8 Supercars, a Touring Car Masters acaba dividindo os autódromos com eles — o que significa, por exemplo, que podemos ver todos estes clássicos competindo entre si em autódromos como Mount Panorama, palco da famosa Bathurst 1000. Mas não é só isso: todos os anos, a TCM participa do Muscle Car Masters, evento que reúne carros e pilotos de todas as categorias históricas da Austrália.

OK: então agora você sabe que, na Australia, os espectadores das corridas têm a oportunidade de ver clássicos ligeiramente modernizados disputando posições com sangue nos olhos em uma categoria histórica, que serve de apoio a uma das categorias modernas mais extremas — a V8 Supercars, onde os carros voam. Ainda resta alguma dúvida de que a Austrália é um dos países mais incríveis para ser um fã de automobilismo?

E, mesmo que você não more por lá: o canal da categoria no YouTube traz praticamente todas as corridas — dá para gastar algumas horas assistindo. E não, não precisa nos agradecer!

tcm (11)

 [ Fotos: Touring Car Masters ]

 

Matérias relacionadas

Você nunca mais vai querer saber da Fórmula 1 atual depois de conhecer a FIA Masters Historic F1

Dalmo Hernandes

Godzilla de dieta: Nissan GT-R Overtake perdeu 140 kg à base de fibras… de carbono

Dalmo Hernandes

924 Carrera GTR: o raríssimo Porsche de corrida que você provavelmente não conhecia

Dalmo Hernandes