A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Toyota apresenta a nova geração do Corolla, as primeiras imagens do SUV Aston Martin DBX, a volta do Chevrolet Monza (na China) e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

 

Este é o novo Toyota Corolla 2020

45d203ec-2020-toyota-corolla-9

A Toyota apresentou na madrugada desta sexta-feira (16) em Guangzhou, na China, a nova geração do Corolla. O modelo será oferecido em três versões, mas nem todas serão oferecidas em todos os mercados de atuação da Toyota.

Como era esperado, esta nova geração do Corolla compartilha a plataforma e a identidade visual com o Corolla hatchback, apresentado no início deste ano, porém mantendo a linha estética da atual geração. Pode chamar de “design evolutivo”, para usar um termo em voga.  Também como esperado, por dentro ele é exatamente igual ao modelo de dois volumes, com o painel “coroado” pela tela do sistema multimídia Entune 3.0, compatível com Apple CarPlay e dotado do assistente Alexa da Amazon. Nos modelos de entrada a tela terá 7 polegadas, enquanto nos modelos de topo a diagonal é de 8 polegadas.

c02188ed-2020-toyota-corolla-13

 

Em relação a atual geração, o novo Corolla manteve o entre-eixos de 2,70, porém tem bitolas mais largas (11,9 mm na dianteira e 22,1 mm na traseira), balanço dianteiro 3,3 cm mais curto, balanço traseiro 1,2 cm mais longo, e altura 2 cm mais baixa. A nova plataforma também permitiu o posicionamento mais baixo do motor, o que reduz o centro de gravidade além de melhorar a visibilidade à frente. Uma boa notícia é que a nova plataforma usa suspensão traseira multilink, uma das principais críticas ao atual Corolla, que usa eixo de torção.

a3539be2-2020-toyota-corolla-11

Sob o capô o Corolla continua com os motores 1.8 e 2.0 — o primeiro com 140 cv e o segundo com 170 cv — e com o câmbio CVT da atual geração, agora com simulação de 10 marchas. A versão XSE será equipada com um câmbio manual de seis marchas com sistema de sincronização de rotações (punta-tacco eletrônico), mas somente nos EUA e Europa. Haverá ainda uma versão híbrida que usa o 1.8 de ciclo Atkinson do Prius e será vendida em “mercados selecionados” —  o Brasil deverá ser um deles.

b59ff865-2020-toyota-corolla-10

Por aqui, o Corolla chega somente em 2020, depois que a fábrica de Indaiatuba estiver adaptada para produzir o modelo.

 

Aston Martin divulga imagens de seu SUV

Já faz quase quatro anos que o conceito DBX da Aston Martin deu as caras pela primeira vez, durante o Salão de Genebra de 2015. O conceito, apesar do nome, era uma antevisão do primeiro SUV da marca de esportivos britânica. Desde então, Bentley, Ferrari, Lamborghini e até Rolls-Royce anunciaram seus SUV, e o DBX continuava como um conceito. Até agora.

d2033539-aston-martin-dbx_prototype_09-copy

A Aston Martin revelou as primeiras imagens do carro — um vídeo e uma galeria de fotos — nas quais ele é testado em uma estrada de terra e cascalho como um estágio de rali.

Além das imagens, a Aston também confirmou que ele será batizado com o mesmo nome do conceito, DBX, mas sua silhueta não será tão radical e ele não terá apenas duas portas.

fc9ff033-aston-martin-dbx_prototype_02-copy

Como já se tornou moda recentemente, o DBX foi apresentado vestindo uma pintura camuflada, mas permitiu vermos detalhes como a grade frontal e os faróis.

ae23bc81-aston-martin-dbx_prototype_05-copy

Ainda não há menção sobre a motorização, mas nos parece lógico que ele use o motor V8 biturbo fornecido pela Mercedes, já adotado no DB11 e no DBS.

 

Fugir de local do acidente de trânsito é crime, segundo Supremo Tribunal Federal

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na última quarta-feira (14) que a fuga do local de um acidente de trânsito é crime. Para a maioria dos ministros do Supremo, a punição por fugir do local do acidente não fere a garantia do cidadão de não ser obrigado a produzir provas contra si mesmo.

Para o Supremo, a fuga deve ser criminalizada sempre que houver intenção de evitar a responsabilização penal ou civil, porém a criminalização não se aplica se a fuga ocorreu devido aos ferimentos do motorista ou ocupantes, ou se houver risco de linchamento. A punição prevista é detenção de seis meses a um ano e é prevista pelo artigo 305 do Código de Trânsito Brasileiro.

 

Chevrolet volta a usar nome Monza em sedã

chevrolet-monza-rs-1

Depois de uma bem-sucedida carreira de quase duas décadas no Brasil, o nome Monza voltará a ser usado pela Chevrolet. Não por aqui, mas na China, onde ele será um sedã médio produzido sobre a plataforma do Cruze, a D2XX.

O modelo será exclusivo para o mercado asiático e não tem chances de ser vendido no ocidente. Ele será oferecido com motores turbo 1.0 de 125 cv e 1.3 de 163 cv, este último usado pela versão “esportiva” RS, que tem um visual mais agressivo, com detalhes em preto. Na China o Monza será posicionado acima da nova geração do Prisma, que já foi lançada no mês passado.

monzachina

Embora o Monza chinês soe como um sucessor direto do Monza brasileiro (afinal, é baseado no sucessor do Vectra, que é o sucessor do Monza), a Chevrolet já usou o nome em outros modelos antes da versão brasileira de seu J-Car. O primeiro foi o Corvair, que teve uma versão chamada Corvair Monza entre 1960 e 1969. Depois, nos anos 1970, a GM americana lançou um modelo “compacto” (para o padrão americano) batizado Chevrolet Monza. Ele era oferecido nas versões hatch, cupê e perua de duas portas, equipado com motores de quatro, seis e oito cilindros e foi produzido entre 1974 e 1980.

chonza

Nessa mesma época a Opel, então pertencente à GM, lançou um cupê fastback grande batizado Opel Monza. Era baseado no Senator, modelo que deu origem ao nosso Omega, e equipado com motores de quatro e seis cilindros. Saiu de linha em 1986, quando o Monza brasileiro se tornou o carro mais vendido do país.

 

Morreu Irv Gordon, o recordista mundial de quilometragem

46459227_10156955641068814_6602236101211979776_n

Irv Gordon, o famoso proprietário do carro mais rodado do planeta, um Volvo P1800 com 5 milhões de quilômetros, morreu nesta quinta-feira (15) aos 77 anos. Professor aposentado, Gordon tornou-se famoso no universo automobilístico na década passada, quando seu Volvo 1800S chegou às 2 milhões de milhas e ele foi convidado ao programa de Jay Leno.

Gordon comprou o carro zero-quilômetro em em junho de 1966 e o manteve até sua morte, mas só definiu o objetivo de quebrar o recorde de quilometragem quando chegou aos 400.000 km. Fazendo apenas a manutenção básica e sem a necessidade de reparos, ele escreveu uma carta à Volvo, que o respondeu em agradecimento.

O carro completou um milhão de milhas (1,6 milhão de km) em 1987 e 11 anos depois entrou no livro dos recordes da Guinness por ter completado 1,69 milhão de milhas (2,72 milhões de km). Em 2002 veio o segundo milhão de milhas (3,2 milhões de km) e a fama mundial, em 2013 a marca das três milhões de milhas (4,83 milhões de km) foi atingida em uma viagem ao Alasca.

Em sua página do Facebook, a última atualização de quilometragem foi em maio deste ano, quando o carro chegou às 3,2 milhões de milhas (5,15 milhões de km).

A morte de Irv Gordon foi anunciada por sua filha na tarde desta última quinta-feira (15), e a causa ainda não foi divulgada.

Matérias relacionadas

Golf R400 tem produção confirmada, equipe do ex-Top Gear se reune em Londres, o novo Batmóvel em vídeo e mais!

Leonardo Contesini

Este Gol GT 1986 com motor turbo forjado pode ser seu novo sleeper

Dalmo Hernandes

Estas rodas com motores elétricos prometem aumentar a potência e reduzir o consumo – mas será uma boa ideia?

Dalmo Hernandes