A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos

Toyota Prius quebra recorde em Nürburgring Nordschleife – mas não aquele que você imagina

Com seus 22,8 km, centenas de curvas e 300 metros de variação de relevo, o traçado norte de Nürburgring é o lugar mais desafiador para testar o desempenho dos carros mais velozes do planeta.

No início os fabricantes pensavam no circuito apenas como um lugar seguro, capaz de simular diversas condições de pilotagem para fazer o desenvolvimento dinâmico de seus futuros esportivos, mas um dia, eles descobriram que um baixo tempo de volta em Nordschleife era uma prova concreta da capacidade do carro, além de uma boa forma de publicidade.

Assim começou a busca por recordes em Nürburgring. Um dos primeiros foi o Jaguar XJ220, que completou o circuito em 7:46,36. Depois vieram esportivos menos exóticos, como o BMW M3, o Chevrolet Corvette e os Porsche 911, Boxster e Cayman, e mais recentemente até mesmo hot hatches de tração dianteira, como o Renault Megane RS e o Seat Leon, os atuais recordistas em sua categoria.

Agora, o mais novo integrante da tabela de tempos em Nordschleife é mais um hatchback de tração dianteira e híbrido, mas diferentemente do Porsche 918 Sypder e do Seat Leon Cupra, ele não quebrou nenhum recorde. Estamos falando do Toyota Prius — sim, alguém levou um Toyota Prius para Nordschleife e cronometrou seu tempo de volta. 

O responsável pela volta mais entediante da história do circuito foi o jornalista britânico Joe Clifford, que usou um Prius Plug-In equipado com um kit aerodinâmico da Toyota Racing Development em uma sessão aberta ao público e respeitou a regra dos 60 km/h de velocidade mínima. Nessas condições, o Prius completou a volta completa ao longo de Nordschleife em (prepare-se!)… 20:59! Sim: vinte minutos e cinquenta e nove segundos.

Não se preocupe, o vídeo não tem 20 minutos…

Isso faz do Prius o carro mais lento a ter uma volta cronometrada em Nordschleife. Até mesmo o modesto Trabant P50, com seu motor dois-tempos de 600 cm³ e 20 cv, conseguiu ser mais rápido que o Toyota, com 16:01. E isso foi em 1960!

Mas não foi este o recorde conquistado pelo híbrido da Toyota.

Na verdade, a intenção da Toyota desta vez não era ser o carro mais rápido em Nürburgring — isso eles já tentaram fazer com o Lexus LFA, que completou a volta em 7:14. Desta vez eles queriam mostrar como o Prius gasta pouco combustível, e este foi o verdadeiro recorde do modelo.

Ele completou os 22,8 km de Nordschleife (mantendo o mínimo de 60 km/h, lembre-se) com uma média de consumo de impressionantes 247,1 km/l. Isso foi possível graças ao uso de pneus de baixa resistência à rolagem, ao kit aerodinâmico e, claro, ao powertrain híbrido que pode ter as baterias recarregadas pela tomada, e não apenas pelo motor a combustão. Assim, sempre que o carro estava em desaceleração ou abaixo dos 60 km/h em curvas (situações em que você pode ir abaixo do limite, obviamente), quem movia o carro era a parte elétrica do powertrain.

Agora… enquanto assistíamos ao vídeo, pensamos em vários outros recordes que o Prius bateu:

– É o híbrido de tração dianteira mais rápido de Nürburgring;

 

– É o segundo Toyota produzido em série mais rápido no circuito;

– É o primeiro carro a quebrar a marca dos 20 minutos — para cima;

– É o híbrido usado como táxi mais rápido a completar a volta em Nordschleife.

Um esportivo nato, como se vê.

Brincadeiras à parte, é realmente impressionante ver um carro consumir tão pouco combustível (e energia) para manter uma média de 65 km/h com tantas variações de relevo, frenagens e retomadas pelo caminho.

 

 

Matérias relacionadas

Esta supergaleria do Nismo GT-R é tudo o que você precisava para conhecê-lo em detalhes

Leonardo Contesini

Truenos: o que esperar do “Velozes e Furiosos paraguaio”?

Dalmo Hernandes

Este Batmóvel de 1966 é praticamente original – e agora pode ser seu por R$ 1,6 milhão

Dalmo Hernandes