A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos Mercado e Indústria

Tudo o que se sabe (até agora) sobre o novo Nissan Z

Na matéria desta semana ontem sobre o legado dos Z-cars da Nissan, olhamos para o passado e exploramos todas as gerações, do 240Z ao 370Z, a fim de compreender as qualidades (e, às vezes, defeitos) de cada um.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Hoje, vamos olhar para o futuro dos Z-cars. Afinal, apesar de ter tomado várias formas ao longo de cinco décadas os esportivos da linhagem Z mantiveram-se fiéis até onde foi possível ao espírito do original – o que significa que a próxima geração terá uma tarefa árdua pela frente: mostrar-se digno de fazer parte desta linhagem e, ao mesmo tempo, fazer concessões suficientes para sobreviver em um universo automobilístico cada vez mais eletrificado, autônomo e anestesiado. E que, ao mesmo tempo, cada vez mais valoriza o desempenho bruto no lugar do envolvimento ao volante.

Do outro lado do espectro, o novo Z também vai precisar agradar aos apreciadores do clássico.Ou seja, além de criar um carro esportivo condizente com os anos 2020, o que automaticamente significa um motor sobrealimentado e, muito provavelmente, tecnologia híbrida em algum ponto de seu ciclo de vida, a Nissan também precisa fazê-lo de uma forma que o público-alvo não considere traição. Para sua sorte, a fanbase dos Z-cars não é tão radical quanto, digamos, os fãs do Toyota Supra – que o massacram pelo fato de ele ser um BMW com outra roupa.

Assim, além de ansiosos para saber como será o carro em si, também estamos curiosos para saber como a Nissan vai fazer esta conta fechar.

Como o novo Nissan Z é o assunto do momento, já existe uma boa quantidade de informações circulando – ainda que nem todas digam a mesma coisa. E é por isso que nós vamos tentar encontrar o fio da meada nesta história, separando tudo o que se sabe a respeito da nova geração.

 

Retrô, mas não muito

Projeção: Future Cars Now

 

O visual do novo Z-car não é conhecido, mas a Nissan já mostrou sua silhueta em um teaser. Nela, podemos ver que o cupê terá um perfil que lembra, ao mesmo tempo, o atual 370Z e o 240Z de primeira geração. Também se nota os faróis em dois níveis que formam um contorno arredondado – novamente, inspirado no clássico.

 

Isto bate com as informações vazadas anteriormente, dizendo que o novo Z teria a dianteira inspirada pelos clássicos. Ainda não se vê imagens da traseira, porém estes mesmos boatos dizem que ela será inspirada pelo 300ZX Z32 da década de 1990.

 

O vice-presidente de estratégia global da Nissan, Ivan Espinosa, disse ao site australiano Car Advice que, realmente, o teaser está muito próximo da versão final do novo Z-car. Contudo, ele afirma que o design do carro não é tão retrô assim – e que está mais para uma “homenagem respeitosa”.

 

Motor e câmbio

Uma coisa que nunca mudou no Nissan Z foi a quantidade de cilindros – seis, sempre. E isto não deve mudar na nova geração, especialmente porque, nos esportivos de médio porte, seis cilindros e dois turbocompressores se tornaram o padrão.

E a Nissan não vai precisar dar uma de Toyota e buscar um motor na Europa – eles já têm um V6 biturbo que se encaixaria perfeitamente na proposta. Trata-se do V6 VR30DDTT que já é utilizado pelo cupê Infiniti Q60, um carro que não é lembrado com tanta frequência pelos entusiastas, mas que em sua versão Red Sport 400 dispõe de 406 cv a 6.400 rpm e 48,4 kgfm de torque. O V6 faz parte da mesma família do motor do Nissan GT-R, o VR38DETT, porém com admissão de desenho mais simples, injeção direta de combustível (o GT-R ainda tem injeção multiponto) e, obviamente, menor deslocamento.

O VR30DDTT também pode ser encontrado no sedã Infiniti Q50 – que também tem uma versão Red Sport 400, e é vendido no Japão como Nissan Skyline.

Não será a primeira vez que um Z-car tem motor V6 biturbo, mas será a primeira vez que ele terá apenas um V6 biturbo. E há potencial: com o motor de 406 cv, o Infiniti Q60 Red Sport 400 vai de zero a 100 km/h em 4,5 segundos na versão de tração traseira, e em 4,7 segundos na versão de tração nas quatro rodas.

Aliás, falando em tração: por mais que o Q60 tenha uma versão de tração integral, as fontes que falam à imprensa dizem que é improvável que a Nissan ofereça uma veresão AWD do novo Z – seu público é mais radical neste aspecto e prefere a tração apenas na traseira. E, ao contrário do Q60, que só tem câmbio automático de sete marchas, acredita-se que a Nissan manterá o câmbio manual disponível no novo Z.

 

O mistério da versão Nismo

Por enquanto, todos os canais concordam que o novo Z-car terá 406 cv no lançamento. Mas o direcionamento da Nissan a partir daí é motivo de debate. O site japonês Spyder7 diz que, segundo suas fontes, a versão básica do esportivo terá 406 cv. Pouco depois, porém, chegará a versão Nismo, que poderá ter até 480 cv – o que não é tão difícil de conseguir em um motor biturbo com uma programação diferente na ECU.

Projeção: Autocar

Já os britânicos da Autocar não descartam a possibilidade de um Nismo mais potente, porém acreditam que é mais provável que a divisão hardcore da Nissan concentre seus esforços no sistema de suspensão, elementos aerodinâmicos e visual.

 

A importância de um nome

Até o momento a imprensa vem tratando o novo Z-car como 400Z – uma referência à potência do motor, e não a seu deslocamento, pela primera vez na história. Mas como isto afetaria a oferta de versões menos potentes ou mais potentes?

Uma possibilidade é que a Nissan faça como na época do Z31, a terceira geração do esportivo: o nome 300ZX era usado na versão com motor V6 de três litros, com o sobrenome Turbo na variante sobrealimentada. Mas também havia o Nissan 200Z, com motor V6 biturbo de dois litros; e o 200ZR que tinha um seis-em-linha turbinado da família RB.

Assim, não é implausível imaginar que a Nissan chame o carro pelo código de geração, como fez com o próprio Z31. Ou seja: a variante de 406 cv (400 hp) se chamaria 400Z, enquanto a suposta versão Nismo poderia se chamar 480Z, por exemplo.

 

Eletrificação? Por enquanto, não

Números de potência a parte, outra preocupação dos entusiastas com o novo Z é a adoção de tecnologia híbrida ou mesmo de um powertrain elétrico. Nesse ponto, boas notícias: Ivan Espinosa também disse ao Car Advice que, por enquanto, a eletrificação do Z ainda não está nos planos.

“A tecnologia dos carros elétricos já está bem avançada, mas não a ponto de entregar o desempenho que se espera de um elétrico”, diz o executivo. Ele cita como barreiras não apenas o peso das baterias, mas o fato de elas esquentarem muito em uso mais intenso – como na pista, virando tempos.”

Outra questão é o fato de o novo Z aproveitar a plataforma do 370Z – uma versão modificada, é verdade, mas ainda sim desenvolvida há mais de uma década. Não é um projeto pensado para motores elétricos ou híbridos e, por isso, Espinosa acredita que um Z-car híbrido ou elétrico deverá surgir a longo prazo, possivelmente na geração seguinte. Caso haja uma geração seguinte, claro.

Por mais que ainda exista uma névoa espessa sobre o novo Nissan Z, isto não deve demorar muito mais tempo. O carro está na fase final de desenvolvimento e, segundo rumores, até poderia ser lançado em 2020 se não fosse pela pandemia de covid-19. Assim, seu lançamento deverá acontecer na primeira metade de 2021, com a chegada às lojas logo em seguida.

Matérias relacionadas

Ferrari Monza SP1 e SP2: as barchettas estão de volta e com o motor V12 mais potente já feito pela Ferrari

Dalmo Hernandes

Maybach S650 Pullman 2019: as definições de ultra-luxo foram atualizadas com sucesso

Dalmo Hernandes

Sandero RS Racing Spirit: série limitada do Renault é lançada por R$ 66.400

Juliano Barata