FlatOut!
Image default
Car Culture Carros Antigos História

Tuning de antigamente: os estilos e acessórios automotivos que marcaram época nos anos 1970 e 1980


Hoje em dia, a presença ou a ausência de modelos importados no Brasil é quase sempre uma questão de viabilidade do mercado — se a gente não tem um Toyota GT86 ou um VW Scirocco como opções nas concessionárias, são grandes as chances de suas fabricantes simplesmente acharem que não há espaço para eles no mercado.

Isto só acontece porque, lá em 1990, as importações de veículos foram liberadas no Brasil, colocando fim a um hiato de 14 anos. Foi este hiato que deu origem a alguns dos nossos modelos mais icônicos. Eles eram tão desejados que ninguém ligava para o fato de, no fim das contas, carros como o Ford Escort XR3, o Gol GTI e até mesmo foras-de-série como o Puma serem meio que “prêmios de consolação” por não termos sedãs alemães, muscle cars americanos, roadsters britânicos e supercarros italianos — ou mesmo carros comuns lá fora que, para nós, pareciam coisa de outro mundo quando chegaram.

13237771_10153770351699862_5771608805545013435_n

Depois de 1990 um novo mundo se abriu, literalmente — um mundo onde existiam Alfa Romeo, Mercedes-Benz, BMW e Audi, só para citar algumas. Não estamos dizendo que nossos clássicos, como o Chevrolet Opala e o Ford Maverick (só para ficar nos mais lembrados) não são dignos. Pelo contrário: é preciso saber valorizar nossos modelos históricos, especialmente os endêmicos do Brasil. Eles são o legado da nossa indústria automotiva.

Mas eles não são o único legado, não. Com a falta das opções importadas, que só conhecíamos por revistas automotivas, veio a necessidade de modificar nossos carros. Quer dizer, provavelmente a modificação começou no momento em que começaram as vendas de carros no Brasil, visto que o homem sente a necessidade de acelerar desde os primórdios do automóvel, e modificar faz parte do processo. Mas foi nas décadas imediatamente anteriores à reabertura das importações — os anos 1970 e 1980 — que a modificação e a customização explodiram em popularidade.

13221679_10153770337474862_3418331449586657026_n

Vamos te situar no tempo: nos anos 70, Dodge V8, Ford Maverick e Chevrolet Opala eram os reis das ruas, que também eram povoadas por Fusca, Brasília, Chevette e Corcel. Na década de 80, vimos o nascimento da família Gol, a chegada dos sedãs médios (como o Chevrolet Monza e  Volkswagen Santana) e a primeira pista do que viriam a ser os carros populares com o Fiat Uno. Carros dos anos 60 não eram tão antigos e ainda eram vistos com frequência pelas ruas.

veb (3)

Como acontece hoje, os jovens da época também gostavam de modificar seus carros. Contudo, o visual era diferente — estamos em um mundo globalizado e absorvemos tendências de outros países o tempo todo quando se trata de modificação, mas naquela época não havia acesso a internet ou mesmo muita disponibilidade de componentes importados, e por isso o que se via eram carros que até refletiam certas características do que se via lá fora mas, acima de tudo, tinham uma estética genuinamente brasileira.

A customização brasileira tinha forte inspiração no automobilismo: instalava-se faróis auxiliares nos para-choques, algo que remetia aos carros de rali. Os volantes de madeira, como os populares Walrod e Fittipaldi, eram inspirados naqueles dos carros de Fórmula 1 — de diâmetro reduzido com raios de metal e aro de couro ou madeira —, e as rodas eram largas, com offset agressivo, bordas polidas e calçadas com pneus bem gordos (não raramente ultrapassando os limites dos para-lamas).

Finalizando o stance, suspensão levemente rebaixada, muitas vezes com cambagem ligeiramente negativa, mas nada gritante — só o suficiente para deixar o carro com uma postura mais agressiva.

Existiam também kits de preparação e customização que eram oferecidos por empresas especializadas e instalados em concessionárias — e algumas delas até forneciam seus próprios kits. Normalmente eram empresas que funcionavam como concessionária, autorizada e também importadora, além de fabricar alguns componentes e até carros completos.

A Envemo, por exemplo, é famosa por realizar conversões de carrocerias — transformar sedãs em conversíveis e peruas, por exemplo — e oferecer kits de modificação para o Opala e outros modelos, mas também fabricava seus próprios carros — réplicas do Porsche 356.

envemo (3) envemo (23)

O famoso e raro kit Envemo para o Opala. Fotos: Opaleiros do Paraná

Outras, como a concessionária Dacon, importavam componentes da Volkswagen alemã e da Porsche para instalar em veículos nacionais. A variedade ia de rodas, faróis e lanternas, retrovisores, volantes e itens de acabamento a kits de preparação e motores completos Porsche para instalar no Fusca e na Brasília.

Naturalmente, a oferta não era restrita — havia opções de preparação e customização para todas as marcas. Havia empresas nacionais fabricando cabeçotes para motores V8 e seis-em-linha ou itens estéticos como spoilers, e também quem importasse componentes como rodas BBS e peças de acabamento da Europa e dos EUA para instalar em modelos nacionais.

13221561_10153770359094862_904284581493826304_n

Sem falar nas inúmeras oficinas de preparação que se valiam destes produtos nacionais e importados para transformar carros comuns em esportivos, com rodas maiores, suspensão rebaixada, faróis auxiliares, kits estéticos e motores com cabeçotes preparados, carburadores maiores e escape dimensionado.

veb-fusca-mafia-boxer

Fuscas V.E.B. Foto: Máfia Boxer

Existiam opções para todos os gostos e bolsos — desde aquele cara que podia entrar na concessionária e sair com um carro novo e exclusivo, modificado a seu gosto pela concessionária, até o jovem que só podia comprar um carro usado e “modernizá-lo” usando componentes mais novos — um Fusca 66  com para-lamas, faróis e lanternas de um Fusca do fim da década de 70 não era visto como aberração por quem curtia modificações. Também era comum a utilização de componentes de outros modelos — alguns até importados.

Talvez a década de 80 tenha sido o auge da cena nacional de modificação e preparação — os vídeo acima,por exemplo, filmado em 1981, mostra um encontro/passeio com dezenas de carros de diferentes modelos, todos com algum grau de modificação e, certamente, preparação. Também dá para notar como a cena parecia unida — vemos Fusca, Chevette, Corcel, Opala e Maverick estacionados juntos, ou em carreatas divididos por modelo, ou dando zerinhos em um estacionamento (o que também é um reflexo das leis de trânsito mais permissivas da época). Você pode conferir as outras duas partes do vídeo aqui e aqui.

veb (2)

Para sorte dos saudosistas, contudo, existe quem mantenha vivos o estilo, a estética e os métodos de preparação e modificação das dos anos 70 e 80 — caras que, apesar de poder aproveitar de todas as evoluções que os anos trouxeram aos entusiastas — sistemas de injeção eletrônica, técnicas de pintura, rodas de liga leve, suspensão regulável —, ainda preferem colocar um comando bravo, carburadores maiores, escapamentos dimensionados e rodas largas com pneus bifudos.

maverick-1

Maverick do Pedrinho, da Pedrinho racing. Note as largas BBS, as lanternas traseiras de Mustang Mach 1 e o spoiler dianteiro — modificações típicas da década de 80. Foto: Marquinho/CG

Existem diferentes nichos de modificação — caras que são mais ecléticos, que absorvem e utilizam tendências de diferentes gerações, desde que tenham pelo menos 20 anos de histórias, até grupos mais restritos que são bastante metódicos e exigentes na escolha de acessórios, peças e receitas.

No Brasil, existe até uma galera dedicada a manter vivo este estilo de customização. São os adeptos do V.E.B. — Velha Escola Brasil, um estilo que surgiu entre os donos de Volkswagen a ar e consiste em só modificar o carro com peças da década em que ele foi fabricado. Claro, não demorou para que donos de carros de outras marcas também entrassem nessa.

13161934_10153770359859862_2844268516546825844_o

 

Dá para entender o apelo das modificações de época hoje em dia — além da estética agradável e da experiência sensorial extremamente prazerosa que um motor preparado à moda antiga dá, hoje em dia é bem mais fácil trazer peças de fora, e não faltam fóruns e grupos de discussão na internet para troca de informações e anúncios de compra e venda de peças — basta ter os recursos e saber onde procurar.

Inspiração também não falta, e a galeria abaixo prova isto: são quase 100 imagens escaneadas de propagandas de acessórios dos anos 1970 e 1980, reunidas pelo pessoal do grupo Arquivo do Carro Nacional. Além das rodas de visual inspirado nos carros europeus, bancos Recaro e Procar, volantes e tetos solares, há algumas curiosidades interessantes.

13051526_10153770355159862_3530169635328957491_n

Calotas eram tratadas como acessórios chiques e imitavam com muito capricho rodas de liga leve; equalizadores de som (especialmente da mítica marca Tojo) e conjuntos completos de alto-falantes eram verdadeiras coqueluches entre os entusiastas na época.

13221643_10153770361184862_4865843978949725791_n13221208_10153770352619862_7800555972326590301_o

 

Conjuntos dianteiros prometiam exclusividade e sofisticação, e normalmente imitavam os modelos vendidos lá fora. Hoje, são verdadeira raridades, como o já conhecido Escort JPS com faróis escamoteáveis.

13161844_10153770356384862_7305546951345368291_o

Mas agora, chega de falar: é hora da nostalgia!

13237734_10153770351954862_1591057059466849119_n 13237586_10153770336509862_1052282478260773038_n 13235369_10153770349269862_1861280208195008937_o 13235208_10153770355024862_2898184967144943913_o 13235133_10153770360059862_551181384498766205_o 13233112_10153770356024862_5799426508514043301_n 13227810_10153770360844862_6228168261066521534_o 13227753_10153770337839862_3336101550977169035_o 13227723_10153770336594862_2156271448092127726_o 13227701_10153770358334862_7031409942713600348_o 13227697_10153770349044862_6139058818605752731_o 13227647_10153770359409862_4106514807425657176_o 13227620_10153770358554862_2737586041028086117_o 13227592_10153770338274862_6824565711831781736_o 13227542_10153770352284862_4622494549677483558_o 13227420_10153770359614862_1371517047824225085_o 13227386_10153770348624862_2994998478170846893_o 13227338_10153770359749862_7891404730967943313_o 13227276_10153770352099862_6075214124720889225_o 13227255_10153770360224862_4220438368869136092_o 13227187_10153770356479862_9056096057760541918_n 13221625_10153770351099862_9044560252325217178_n 13221509_10153770355269862_4586033768311366152_n 13221486_10153770351019862_8475641078270217405_n 13221361_10153770354154862_363805437577044368_o 13221316_10153770356989862_6659924208348131341_o 13221304_10153770354654862_7471337302535452569_o 13221208_10153770358649862_2934920170920105574_o 13221208_10153770352619862_7800555972326590301_o 13221090_10153770355559862_4950858966917518283_n 13220652_10153770353704862_2436351091242635489_o 13220587_10153770357944862_1287829555787093526_o 13220506_10153770357269862_4559287367104143703_o 13217495_10153770347534862_2410658275827691445_o 13217289_10153770351309862_8662829295770856755_o 13217167_10153770353584862_5886611909561697343_o 13217073_10153770358779862_3520101441306251262_o 13217062_10153770357379862_5795695411617683694_o 13198631_10153770350719862_1175987102191715007_o 13198617_10153770337724862_8466478943907202025_o 13198505_10153770357554862_6073527777929315966_o 13198498_10153770351514862_1006571221343320702_o 13198485_10153770355404862_3092800099407157936_o 13198470_10153770351884862_8809487919524134819_o 13179227_10153770336989862_7922768186608760273_n 13179217_10153770349844862_7816715169995583196_n 13178934_10153770361019862_8424119718955285538_n 13177827_10153770359799862_3449347409016058015_n 13177700_10153770354284862_2766434872518552098_n 13177531_10153770359494862_2301583771584455478_n 13177468_10153770337924862_6443452955643457278_n 13177174_10153770352409862_2751529035368190098_n 13177098_10153770358904862_1871483009412942583_n 13173754_10153770354734862_3430138855353222667_n 13173566_10153770352234862_7657122537785683499_o 13173461_10153770357134862_5650628606130534590_o 13173457_10153770337384862_3048947416611355156_o 13173429_10153770337179862_7881300657613080116_o 13173262_10153770353949862_2680415405988388584_o 13173229_10153770359034862_5347986914311469807_o 13173199_10153770357709862_2424523822400747743_o 13173107_10153770349159862_3012189525506560722_o 13173094_10153770351229862_7823685994305638581_o 13173064_10153770354899862_1127989934331133707_o 13161975_10153770336719862_3393469253960699343_o 13161969_10153770359349862_7252358279090086267_o 13161923_10153770357849862_4032268588340645538_o 13161837_10153770353029862_7863875042703451880_o 13151851_10153770349924862_3592383857477224127_n 13147442_10153770338159862_2087134125044548440_o 13116480_10153770346429862_4795337812807646569_o 13116324_10153770350259862_6220109612752196752_o 13116260_10153770355804862_2296857289968824554_o 13116253_10153770360729862_4061536921219227166_o 13116224_10153770339099862_6815416819058890687_o 13112999_10153770336404862_8129257634537913878_o 13047935_10153770341234862_1281929330443204559_o 1936210_10153770342994862_6024529050323999337_n

Este post foi publicado originalmente em julho de 2014 e reescrito em maio de 2016, com novas informações e fotos.

[ Fotos: Velha Escola Brasil/Arquivo do Carro Nacional  ] 

ESTE Gol GTS 1.8
PODE SER SEU!

Clique aqui e veja como