A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos

Turbo e 390 cv: o incrível BMW M3 E30 restomod da Redux Leichtbau

O BMW M1 pode ter sido o primeiro modelo “M” da história da BMW, mas o esportivo de motor central-traseiro lançado em 1978 era um projeto criado do zero. A divisão Motorsport ficou realmente por transformar os modelos normais da BMW em esportivos, em boa parte graças a outro carro: o M3 E30, que foi lançado em 1986 como especial de homologação do Série 3 para o Campeonato Alemão de Carros de Turismo – Deutsche Tourenwagen Meisterschaft, ou simplesmente DTM.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

 

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Por mais que a receita do primeiro M3 não envolvesse um seis-em-linha, como nas duas gerações seguintes, é indiscutível a importância do E30 para a linhagem. Além de estabelecer a reputação da divisão M como preparadora de fábrica, o M3 E30 conquistou títulos no DTM em 1987 e 1989, e outros dez nos campeonatos Italiano, Britânico, Australiano, Europeu e Mundial de Turismo até 1993.

Foi inspirado pela heritage do BMW M3 E30 que o entusiasta britânico Simon Lord embarcou, há alguns anos, na execução de um project car feito com base no cupê dos anos 80. A ideia era criar um restomod de alto nível, melhorando todos os aspectos do carro – motor, suspensão, freios, carroceria e interior – com os melhores componentes e materiais disponíveis atualmente. Não demorou para que o projeto pessoal se transformasse em um negócio e, em 2015, Simon fundou a Redux Leichtbau.

O objetivo da Redux Leichtbau é trazer o M3 de 1986 para o século 21, e responder à pergunta: “se a BMW fabricasse o M3 E30 até hoje, como ele seria?”. Ou seja, melhorar o carro sem alterar a essência do original em termos de design e concepção. O resultado pode ser visto nas fotos que ilustram este post: elas mostram o primeiro exemplar que ficou pronto – e que já tem dono. Outros três já foram encomendados, e a Redux vai fazer 30 deles, no total.

Leichtbau significa “baixo peso” em alemã – o que, obviamente, é colocado em prática pela Redux. Tudo começa com um exemplar íntegro do M3 E30, que é completamente desmontado, jateado e cuidadosamente reparado onde for necessário. O monobloco, então, é reforçado com pontos de solda extras e, em seguida, o carro é remontado – usando novos painéis de fibra de carbono para os para-choques, os para-lamas dianteiros e saias laterais (e, opcionalmente, o teto). Faróis, lanternas e detalhes de acabamento como grade e emblemas são peças genuínas BMW – Simon não vê necessidade em modificá-los, até para não fugir da temática OEM.

O interior do primeiro carro recebeu um makeover com uma mistura de formas clássicas com materiais e recursos modernos, que integram-se perfeitamente. Os revestimentos de porta, por exemplo, têm acabamento em Alcantara e trazem tiras de couro como puxadores. Os bancos são do tipo concha, forrados com couro, e o volante de três raios com cubo rápido recebe uma almofada personalizada, revestida em Alcantara com o emblema da Redux. O cluster de instrumentos é digital, da MoTec, e há também um sistema de som atual, com conexão Bluetooth. O banco traseiro foi removido e deu lugar a uma gaiola de proteção parcial – que é opcional.

O grande trunfo do M3 E30 Redux, porém, é o conjunto de modificações mecânicas. A Redux faz questão de manter o motor S14, e com razão: o quatro-cilindros era uma verdadeira obra prima da engenharia alemã, usando como ponto de partida o bloco do motor M10 do BMW 2002, e um cabeçote com comando duplo baseado no M88 – o motor do BMW M1 e do M5 E28. Em sua configuração original, com 2,3 litros, o S14 era capaz de entregar 200 cv a 6.750 rpm e 25 mkgf de torque 4.750 rpm.

O S14 de rua era muito parecido com a versão de competição – na verdade, a BMW M desenvolveu a versão de competição primeiro, e depois amansou-a para uso nas ruas. Na época, os engenheiros da Motorsport conseguiam extrair quase 400 cv do motor naturalmente aspirado, e era este número que Simon buscava para o M3 E30 Redux.

No entanto, para não comprometer a durabilidade do motor, Simon optou por uma receita sobrealimentada, aumentando o deslocamento do motor para 2,5 litros e instalando bielas, pistões e virabrequim forjados, além de um turbocompressor com intercooler. Controlado por uma ECU MoTec, o quatro-cilindros passa a entregar 392 cv e 53,9 kgfm de torque, com o turbo operando a cerca de 1 bar. A transmissão manual é devidamente reforçada, assim como o cardã e o diferencial traseiro.

Em termos de suspensão e freios, o serviço também é completo. Os discos originais do carro nº 1 foram trocados por peças da AP Racing, com 330 mm na dianteira e 304 mm na traseira, mordidos por pinças de seis pistões e quatro pistões, respectivamente – os clientes podem encomendar discos maiores (de 355 e 330 mm, respectivamente), feitos de carbono-cerâmica.

Já a suspensão foi desenvolvida em conjunto com os britânicos da EXE-TC Competition Suspension, que já trabalharam nos carros de Sébastien Loeb, usando amortecedores ajustáveis em três níveis e geometria baseada nos BMW M3 E30 que competiram no Grupo A na década de 1980. Completam o pacote um jogo de rodas forjadas de 18”, inspiradas nas clássicas BBS usadas pela BMW no DTM.

“E quanto custa tudo isto?”, talvez você queira saber. Pois o preço é disponível apenas sob consulta – e varia de acordo com os opcionais selecionados. Considerando que, no Reino Unido, um M3 E30 em bom estado não sai por menos de £ 40.000 (mais de R$ 200.000) em conversão direta, já sabemos que é muito dinheiro.

Matérias relacionadas

Novo Ford Fusion 2017: mais potente, mais equipado – e com mira apontada para o Civic turbo

Leonardo Contesini

Fiat 124 Spider é revelado com coração Abarth turbo de 160 cv e tração traseira

Dalmo Hernandes

Afinal… o que significavam os enigmas do Dodge Challenger SRT Demon?

Dalmo Hernandes