A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Games Vídeo

Ver pessoas destruindo carros como em Street Fighter II é doloroso e sensacional ao mesmo tempo

Street Fighter é uma das maiores franquias de games de luta, e é tão famosa que mesmo aqueles que nunca chegaram perto de uma máquina de arcade ou tiveram um Super Nintendo (que não, não estraga a TV!) conhecem Ryu, Ken e sabem o que quer dizer HADOUKEN! Vai dizer que é mentira?

Sendo assim, certamente todo mundo já viu, ou pelo menos ouviu falar, da fase bônus de Street Fighter II, na qual o jogador precisa destruir um carro em menos de 40 segundos, ganhando pontos a cada segundo que sobrar no fim da fase. O Bonus Stage é um clássico, e uma das características mais marcantes de Street Fighter II que, para a maioria dos fãs (e especialmente os mais nostálgicos, que têm aversão a polígonos e preferem sprites), é o melhor da franquia.

Qual o seu nível de nostalgia neste momento?

Lá no começo do FlatOut, mostramos a criação de uma agência de publicidade que fez um comercial para uma companhia de seguros turca chamada Anadolu Sigorta. Como dissemos na época, o mais legal foi que, em vez de fazer um live action, eles inseriram os sprites originais de Street Fighter no game, incluindo os especiais de Ryu, e fizeram com que o mundo real interagisse com eles — o carro balança de acordo com os golpes recebidos, e as pessoas na rua se comportam como os figurantes dos cenários do jogo de luta, movendo-se em looping infinito. E é claro que você vai assistir de novo, porque é legal demais:

Acontece que a outra abordagem possível também é bem legal — e muito mais dolorosa (ao menos parece): colocar um carro de verdade para ser destruído no muque por uma pessoa de carne e osso. Há quem realmente faça isso, e não é pouca gente.

O maluco abaixo, que encontramos no Kotaku US, é um deles. Seu nome é Paul Wordsworth, mas ele é conhecido como “The Kicking Machine“, ou “A Máquina de Chutes”. E merece o apelido, pois é faixa preta em kickboxing, esporte no qual é campeão britânico e instrutor, além de praticar Thai boxe, jiu-jitsu e MMA. Se há um cara capaz de destruir um carro com os próprios punhos cerrados, é esse cara — e ele resolveu colocar seus dotes em prática com um pobre VW Polo de terceira geração.

Nos parece uma bela terapia, na verdade

Mas ele não é o único que faz isso. No Japão (e onde mais?), um daqueles game shows bizarros que de vez em quando viralizam pela internet usou o Bonus Stage como inspiração para um quadro no qual, aparentemente, o único objetivo é deixar os convidados embasbacados destruindo um carro. Dá certo — todo mundo fica boquiaberto.

Também não é para menos: o cara consegue deixar o hatchback prata ainda mais destruído e chega até a pular no teto do carro, talvez para ficar mais fiel ao game.

Agora, você deve lembrar que, aqui no Brasil, o pessoal do Pânico na TV também fez algo parecido, levando um cara vestido de Ryu para um ferro velho, onde ele tinha que destruir alguns carros e facilitar o trabalho do compactador. Mas é claro que, sendo um programa de humor, eles aproveitaram para deixar as coisas mais engraçadas colocando todos os outros personagens e incluindo até um cara fantasiado de Chun-Li…

 

Agora, nos dêem licença — vamos ali assoprar o cartucho do nosso Super Nintendo…

 

Matérias relacionadas

Como é acelerar a LaFerrari? Descubra neste vídeo em primeira pessoa

Dalmo Hernandes

Nürburgring 1: o tataravô de todos os simuladores que você conhece

Dalmo Hernandes

Big Rigs: Over the Road Racing – o pior jogo de corrida de todos os tempos

Dalmo Hernandes