A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História

A história do Chevrolet Corvette | Parte 5: C5 e C6, os primeiros Corvette modernos

Há algumas semanas, começamos a contar aqui no FlatOut a história geral do Chevrolet Corvette, desde a primeira geração, lá de 1955. A oitava delas nos foi apresentada há poucos meses, e trouxe a maior revolução de todas – o motor central-traseiro, algo com o qual a General Motors já flertava desde os anos 1960, mas só agora teve os meios (e os colhões) para concretizar. Falamos em colhões porque a identidade do Corvette, da qual fazia parte o motor V8 na dianteira, foi algo construído ao longo de décadas – algo a que muitos fãs se apegavam, e ainda se apegam, e por isso têm problemas para aceitar. Um dia as coisas mudam... quando todos perceberem que, na prática, o novo Corvette é um supercarro com desempenho de Ferrari e plásticos baratos por US$ 150.000. A questão de ser um Corvette de verdade ou não – que é a mais problemática – nem tem relevância.   O Corvette C4, lançado em 1983, tinha uma missão clara: atualizar uma receita defasada e colocar o 'Vett

Matérias relacionadas

Plymouth Road Runner: a história do muscle car aliviado e feito para as massas – parte 1

Dalmo Hernandes

Os Ford Escort mais incríveis que não tivemos no Brasil

Dalmo Hernandes

Carga explosiva: a pré-história e a evolução do airbag

Eduardo Rodrigues