FlatOut!
Image default
Zero a 300

Audi RS3 2022 é revelado com 406 cv, Fiat Pulse revela interior em novo flagra, novo Mercedes-Benz Classe C chega em outubro e mais


Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco!

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Audi RS3 2022 é revelado com motor cinco-cilindros de 406 cv

A espera chegou ao fim, e a Audi finalmente revelou a peça que faltava na linha A3: o RS3, hatchback (ou melhor, Sportback) e sedã.

De cara, a melhor notícia: o motor cinco-cilindros turbo de 2,5 litros foi preservado, e agora entrega 406 cv e 53 kgfm. Mas tem um detalhe: os novos números só valem para a versão americana. No resto do mundo, são os mesmos 399 cv e 51 kgfm da geração anterior.

Apesar da pequena diferença de potência, a Audi garante que a nova geração do RS3 ficou melhor em qualquer lugar do mundo. Boa parte disso se deve ao novo sistema de vetorização de torque no eixo traseiro, que além de distribuir a força entre as rodas de forma mais eficiente nas curvas, reduzindo a perda de tração e aumentando a agilidade (na verdade a Audi diz que o sistema praticamente elimina qualquer subesterço ou sobresterço, permitindo o traçado perfeito nas curvas), também pode ser usado para coisas menos civilizadas – como escorregar a traseira no “modo drift”.

O novo RS3 também ganha suspensão exclusiva, com amortecedores específicos da versão, com a opção por amortecedores ativos que se ajustam automaticamente, o tempo todo, de acordo com as condições do piso. As molas também são mais firmes, e itens como subchassi, barras estabilizadoras e pontas de eixo são exclusividade do RS3.

Visualmente, o novo RS3 mantém a agressividade em alta. A dianteira exibe uma grade maior, com moldura preta e grandes entradas de ar hexagonais. Um detalhe bacana são as luzes diurnas, que formam o nome “RS3” e uma bandeira quadriculada acendendo e apagando blocos de LED específicos.

O interior lembra um pouco os modelos da Lamborghini no volante, nas saídas de ar e mesmo no cluster de instrumentos – especialmente com o conta-giros digital inspirado no painel dos aviões.

A Audi diz que o novo RS3, tanto o sedã quanto o Sportback, é capaz de ir de zero a 100 km/h em 3,8 segundos – melhor que os 4 segundos cravados do Mercedes-AMG CLA45 S. A velocidade máxima é de 280 km/h, mas um pacote opcional aumenta esse limite para 290 km/h ao mesmo tempo em que adiciona freios de carbono-cerâmica. Conveniente, não?

O novo Audi RS3 chegará aos mercados internacionais no mês que vem. Os Estados Unidos terão apenas o sedã, mas os europeus poderão comprar as duas variantes. Ainda não há previsão de lançamento no Brasil, onde no momento a linha RS conta apenas com o RS4 Avant e o RS5 Sportback.

 

Fiat Pulse revela interior em novo flagra

Depois de mostrar o visual e revelar o nome do Fiat Pulse, seu primeiro SUV de verdade no mercado brasileiro, a fabricante ítalo-mineira continua deixando escapar novos detalhes. Se foi de propósito ou não jamais saberemos, mas o Pulse se deixou fotografar na rua recentemente e revelou seu interior – ou ao menos parte dele.

A foto publicada no Instagram pelo perfil @carroarretado não deixa dúvidas de que o Pulse vai compartilhar elementos de outros modelos Fiat no interior. A versão flagrada, ao que tudo indica, foi a 1.3 com câmbio manual, que fica na base da gama. Ela já tem a central multimídia Uconnect 5, com tela de 8,4 polegadas – as versões mais caras usarão uma tela de 10 polegadas na mesma moldura – e o quadro de instrumentos é misto com uma tela TFT de 3,5 polegadas mais dois mostradores analógicos idênticos aos do Argo.

Também é possível ver os comandos do ar-condicionado digital e do sistema TC+, controle de tração com bloqueio de diferencial dianteiro – o que é uma boa notícia para quem achava que o Pulse básico seria privado destes itens.

Conhecendo a Fiat, apostamos que não vai demorar para que fotos oficiais do interior sejam reveladas nos próximos dias – até para afastar mais comparações com o Argo, já que a marca faz questão de deixar claro que o Pulse não deve ser considerado “o SUV do Argo”, e sim um modelo à parte.

 

Novo Mercedes-Benz Classe C será lançado no Brasil em outubro

A Mercedes-Benz confirmou a chegada do novo Classe C ao Brasil para o mês de outubro – agora importado, já que desde o fim de 2020 a fabricante já não produz mais no Brasil, tendo desativado sua planta em Iracemápolis (SP).

Apresentado em fevereiro, o Classe C W206 recebeu a identidade visual atual da Mercedes-Benz, com menores e mais afilados, que agora são acompanhados de uma grade em formato de trapézio com a orientação oposta – mais estreito em cima do que embaixo. Já a entrada de ar no para-choque dianteiro tem quase exatamente o mesmo formato que se vê no Classe E.

O W206 usa uma versão bastante atualizada da arquitetura modular MRA (Mercedes Rear Architecture), já empregada no W205 e também nos Classe E e S.

Ainda não se fala sobre as versões que virão ao Brasil – a princípio, foram divulgadas globalmente as informações sobre o C180, o C200 e o C300. Os dois primeiros usam um motor 1.5 turbo de 170 cv e 204 cv, respectivamente. O C300, por sua vez, traz debaixo do capô o motor M254, 2.0 turbo de 258 cv. Todas elas trazem, em comum, o sistema híbrido leve EQ Boost de 48 volts, que usa um motor elétrico e uma bateria compacta de íon de lítio para armazenar energia recuperada durante as frenagens – e, caso necessário, garantir 20 cv extras.

A Mercedes-Benz adianta que o Classe C terá uma versão mais potente com conjunto híbrido plug-in – possivelmente o novo C350, mas a nomenclatura ainda não foi confirmada. Serão 313 cv e 56 kgfm de torque, sendo que 44,8 kgfm estarão disponíveis desde a largada graças ao motor elétrico. O Classe C híbrido plug-in será capaz de rodar por até 100 km no modo elétrico, com velocidade máxima de 140 km/h. Uma carga completa na bateria de 25,4 kWh poderá ser feita em 30 minutos usando um carregador rápido.

 

Porsche nega boatos de novo hipercarro

Esta não é uma notícia muito boa para os fãs da Porsche. Lembra dos rumores mais recentes sobre um suposto novo hipercarro híbrido, sucessor do 918 Spyder? Já se fala dele há alguns anos, mas na semana passada uma fonte ligada à marca disse à imprensa internacional que não apenas seu desenvolvimento já estava bem adiantado, como também que a Porsche já estava aceitando encomendas.

Todo mundo ficou animado, mas agora a Porsche veio a público para, oficialmente, negar as informações. E foi bem direta, de acordo com o Carscoops.

“Posso confirmar que não há quaisquer planos para um carro desse tipo” – seja um Hypercar para Le Mans ou um modelo de rua para suceder o 918 Spyder.

Há, contudo, quem acredite que a fala foi só para despistar, já que a Porsche costuma lançar um novo superesportivo a cada oito anos – ou seja, segundo os mais otimistas, teremos novidades a respeito ainda nesse ano.

Por via das dúvidas, vamos ficar com a versão oficial. Nem que seja só para manter as expectativas lá em baixo e sermos surpreendidos depois.

 

Jeep pode acabar com motores a diesel em 2030, mas vai tentar salvar os V8

A Jeep é mais uma das fabricantes no processo de traçar seu futuro para os próximos dez anos. E pode ser que esse futuro passe pela extinção dos motores a diesel – uma notícia ruim para quem curte a economia de combustível e o torque em baixas rotações.

Em uma entrevista recente ao site australiano Car Advice, o CEO da Jeep, Christian Meunier, falou a respeito de suas expectativas. “Acredito que o diesel vai desaparecer na Europa, e a Europa já foi a base dos motores a diesel”, declarou o executivo. “Como resultado, fica evidente que o volume de vendas de veículos a diesel vai diminuir drasticamente. Isso quer dizer que vamos parar de vender motores a diesel de uma vez? Não, eu acredito que teremos uma transição entre agora e 2030, e que ela vai variar de mercado a mercado. Em alguns continuarão existinmdo os V8, em outros os motores seis-cilindros vão continuar, e em alguns continuaremos tendo carros a diesel.”

Meunier também disse que a Jeep continuará tendo motores V8 a gasolina enquanto for possível. “A médio prazo, é claro que queremos proteger os motores V8, incluindo os esportivos, enquanto pudermos. Mas ao memso tempo é evidente que a eletrificação vai nos dar a oportunidade de ter ainda mais performance, de uma forma mais eficiente e com aceleração mais rápida que em um motor de combustão interna.”

O que a Jeep precisa levar em conta – aliás, não apenas a Jeep – é que a experiência de dirigir um carro, do ponto de vista entusiasta, é bem mais que a aceleração. Até lá, porém, muita coisa ainda pode acontecer.

Este Uno 1.5R pode ser seu!

Participe!

Clique aqui e veja como

Compartilhe agora