FlatOut!
Image default
Car Culture História

Cada país tem o carburador que merece


Você que tem 25 anos, ou menos, preste atenção: há muito tempo, no mesmíssimo lugar que vivemos hoje, todo carro saía da fábrica com pelo menos um carburador debaixo do capô, e nem um computador sequer. Antes do milagre da injeção eletrônica, que nos entrega um desempenho perfeito em toda e qualquer situação, por meio de injetores instalados diretamente nos coletores ou câmaras de combustão, comandado eletronicamente por bruxaria e duendes (na verdade algo chamado “linhas de código”; de qualquer forma uma ciência arcana praticada em quartos escuros por gente esquisita; bruxaria), existia um arcaico, incrivelmente complexo, ineficiente e totalmente mecânico dispositivo de preparação da mistura ar/combustível chamado “Carburador”. Uma máquina complexa em si só, totalmente independente do motor em si, a trapizonga era instalada via coletor de admissão acima do cabeçote, antes das válvulas de admissão, e efetivamente comandava o motor por meio de um cabo encapado, este i