A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Carros Antigos

Como a Ford transformou o Mustang GT no Mach 1 por causa do Camaro SS

Em 1968, depois de passar seus primeiros dois anos sem concorrentes à sua altura, o Mustang começava a ser ameaçado pelo Chevrolet Camaro, lançado no ano anterior como uma resposta engravatada ao pony car da Ford. Com uma oferta de motores e pacotes semelhantes à do rival, porém com o ar de novidade ainda pairando sobre o Camaro, a Ford precisava mudar o Mustang para mantê-lo competitivo. Foi naquele ano que o modelo ganhou sua primeira grande reestilização, que lhe deu um cofre maior e um visual mais agressivo e contemporâneo — a base perfeita para praticamente qualquer receita esportiva que a Ford planejasse e que resultou em uma nova reestilização para 1969, que tornou o Mustang maior e permitiu que ele tivesse nada menos que seis versões esportivas e sete opções diferentes de motores V8. Desde 1965 o Mustang já tinha a versão GT e a Shelby GT350. Em 1967 veio o Shelby GT500. Em 1968, visando a homologação do Mustang para a Trans-Am e do motor 429 para a NASCAR, nasceram os Boss

Matérias relacionadas

Porsche Sportomatic: a história do avô do câmbio Tiptronic e do PDK

Leonardo Contesini

Se você curte clássicos e museus automotivos, agradeça a este amigo do Stig

Gustavo Henrique Ruffo

Os 60 anos do DS, o carro que redefiniu a Citroën – e os carros franceses

Dalmo Hernandes