FlatOut!
Image default
Lançamentos

Conheça o GMA T.33 o outro novo supercarro de Gordon Murray


Vivemos hoje numa época em que a indústria se move inexoravelmente para cima em preço. Na maioria das vezes, é algo depressivo para nós, que consideramos o automóvel uma forma de arte, e essencialmente um veículo que nos liberta das amarras geográficas de nosso próprio corpo limitado. Depressivo porque sabemos que carros mais caros e chiques, na maioria das vezes, apelam para as partes menos nobres da personalidade das pessoas: exibicionismo, soberba, superficialidade, hedonismo.

O GMA T.33

Mas não são todos assim. Veja por exemplo a nova empresa do gênio de camisa florida, o indefectível Gordon Murray. Diferente dos executivos que infestam as notícias exortando um futuro empacotado a vácuo e pronto para digestão politicamente correta imediata, Murray está no negócio de construir automóveis porque — surpresa! — ama automóveis.

Quer ganhar dinheiro com isso, claro, mas basta uma olhada na sua coleção de carros e sua carreira para entender que não precisava fazer mais nada, se quisesse. Mas as pessoas nascem para fazer coisas na vida, não ganhar dinheiro e só. Se não fosse assim, se dinheiro fosse tudo, só existiriam banqueiros.

Murray, ao contrário de CEO alemães que infestam praticamente todas as empresas inglesas tradicionais de carros especiais e caros, inertes carreiristas apenas cumprindo suas funções em conglomerados gigantes, quer agora fazer carros que considera o ápice do que sabe e aprendeu sobre eles. Claro que os produzirá em baixíssimas quantidades e a preços altíssimos; o melhor nunca é barato. Mas seus clientes não são roubados da Bugatti; não desejam um Bentley; não querem Tesla e Taycan e Cullinan; querem o melhor carro possível para se dirigir.

Vale olhar os princípios da GMA, empresa criada por Murray para construir seus sonhos, e se possível, vende-los com lucro suficiente par financiar os próximos, e continuar fazendo isso ad infinitum. Isso porque esses princípios não foram criados em reuniões que tentam deixálos tão destilados e pouco ofensivos que os fazem sem sentido algum. Não, os princípios da GMA são de verdade. São sete:

  1. Uma marca premium: um fabricante como nenhum outro. Inovação de engenharia, com qualidade superior. Nós produzimos carros ingleses com a melhor qualidade possível.
  2. A volta da beleza: proporções perfeitas, desenho balanceado, e para durar para sempre. Cada peça ou parte tem um propósito.
  3. Arte de engenheiro: Cada peça é exclusiva do carro, e desenhada como uma peça de arte em engenharia. Simplicidade é bela.
  4. Perfeição ao dirigir: Simplesmente a melhor experiência atrás do volante existente, algo que vai desde os controles diretos até o melhor V12 da história do automóvel.
  5. Baixo peso: Na GMA baixo peso é um modo de vida, e um que permite dinâmica sem pares.
  6. Exclusividade: a GMA sempre fará apenas 100 modelos de cada carro.
  7. A jornada do cliente: acesso total a todo projeto e desenvolvimento para todos os 100 clientes. A fábrica é sua casa.

Fazer apenas 100 carros de cada modelo significa que a empresa estará continuamente projetando seu próximo modelo, para manter a fábrica andando. A empresa recentemente anunciou a mudança de sua sede global para um novo local em Windlesham, Surrey, Reino Unido, onde um novo campus de tecnologia, Heritage and Customer Center, e instalações de engenharia e design sob medida estão sendo criadas. A construção já começou e as primeiras instalações estarão prontas em 2022, com todo o projeto concluído em 2024.

Olhando por esse prisma, não é surpreendente que mesmo relativamente pouco tempo depois de revelar o T.50, a empresa volta hoje com um novo carro, o T.33.

 

O novo T.33

“É um design belo e atemporal. A arte da engenharia se estende por todo o carro, desde switches sob medida até componentes do motor que são pura escultura. Tudo o que você vê tem uma função, nada é supérfluo. É a beleza da simplicidade.” – Gordon Murray

O segundo carro da GMA é bem mais simples, e certamente será mais barato, que o sensacional T.50. Murray parece cansado da supercomplicação moderna, e quer, neste carro retornar à simplicidade técnica e de design dos anos 1960. Assim, o carro, por exemplo, terá apenas dois lugares, e não mais 3 com o motorista central que ele tanto gosta. Terá também uma versão menos extrema do V12 do T.50. A estrutura não será mais somente em fibra de carbono, mas sim com algum alumínio; mais peso, mas mais simplicidade técnica.

Sobre o interior, diz: “A cabine do T.33 é decididamente focada no motorista. Representa um retorno ao design simples e bonito. Não há telas sensíveis ao toque com seus submenus confusos. Os controles de alumínio usinado proporcionam uma sensação soberba, enquanto os pedais de liga de alumínio proporcionam sensibilidade e controle de direção excepcionais.”

O T.33 também não tem o enorme ventilador que suga o ar debaixo do carro no T.50. Em vez disso, formas agressivas de difusor e dutos inteligentes fornecem um novo sistema aerodinâmico Passive Boundary Layer Control (PBLC) que é 30% mais eficiente do que um supercarro convencional de efeitos de solo. Além de um discreto spoiler traseiro ativo, que se desdobra automaticamente ou pode ser ativado pelo motorista, a superfície superior do carro permanece limpa e aerodinâmica.

Mesmo mais pesado que o T.50, o T.33 é facilmente o supercarro mais leve de sua classe. A leveza vem de materiais cuidadosamente escolhidos, como a carroceria de fibra de carbono, e a nova arquitetura “super leve” de carbono e alumínio. Ele vem de engenharia e design inteligentes, reduzindo o tamanho e o peso ao mínimo. O objetivo de peso é 1.090 kg; lembre que o T.50 pesa 980 kg.

O motor é uma nova variante do V12 Cosworth do T.50. Chama-se agora GMA.2, e no T.33, pesa apenas 178 kg, gira a 11.100 rpm e produz 615 cv a 10.500 rpm. Menos potente que o T.50, mas ainda absolutamente incrível; e um motor belíssimo. Arte na engenharia, indeed.

O câmbio é manual de seis marchas, mas há opção de um sequencial IGS (Instantaneous Gearchange System) de seis marchas, ambos criados sob medida pela empresa britânica Xtrac. A caixa de câmbio manual é derivada do T.50 e, com 82kg, é a caixa de câmbio de supercarro mais leve do mundo. O IGS (com borboletas) é um design engenhoso que segundo a empresa não dá interrupção de torque durante a troca de marchas. Segundo a GMA, será a troca de marchas mais rápida do mundo sem a necessidade de embreagens múltiplas pesadas e, com 78 kg, é a caixa de câmbio semiautomática mais leve do mundo.

Outro detalhe interessante são as rodas. Fabricadas em liga de alumínio forjado, são excepcionalmente leves e rígidas, e pesam menos de 7 kg cada, o que é incrível. Os pneus Michelin Pilot Sport 4 S, menores e mais estreitos do que os pneus convencionais de supercarros, possíveis graças ao baixo peso do T.33. Isso melhora a sensação do motorista e o conforto de condução, além de reduzir a resistência ao rolamento.

Murray disse que o exterior era uma volta à simplicidade dos anos 1960, mas que não seria retrô. Parece que conseguiu. O T.33, por mais caro e inatingível que seja, é ainda assim mais um ícone para quem ama engenharia e o automóvel, e não precisa de um nome famoso na grade. E que, principalmente, goste de dirigir.

 

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicos, histórias de carros e pilotos, avaliações e muito mais!

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: 30% OFF na loja durante a 2ª temporada do Goodguys, acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, participação no nosso grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!). Exponha ou anuncie até sete carros no GT40 e ainda ganhe descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$ 26,90 / mês

ou

Ganhe R$ 53,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura básico. 15% OFF na loja durante a 2ª temporada do Goodguys, acesse todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de poder expor ou anunciar até três carros no GT402.

R$ 14,90 / mês

ou

Ganhe R$ 29,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

ESTE Gol GTS 1.8
PODE SER SEU!

Clique aqui e veja como