A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Vídeos

Corvette C8 vs. Dodge Viper ACR em Laguna Seca – quem se sai melhor?

Quando a Chevrolet decidiu, enfim, colocar o motor do Corvette atrás dos bancos dianteiros, a principal justificativa era que o layout de motor dianteiro, ainda que tradicional, já estava em seu limite considerando o desempenho bruto do carro. Especialmente considerando as versões mais radicais, como o ZR-1 e seu V8 supercharged de 765 cv. Nem todas as melhorias aerodinâmicas existentes poderiam mascarar o fato de que, enquanto esportivo de pista, a receita do Corvette C7 não tinha mais para onde ir.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

A princípio, parece que deu certo. Em track days, o Corvette C8 de base, com motor V8 naturalmente aspirado de 500 cv (suficiente para ir de zero a 100 km/h em três segundos cravados), já mostra que pode dar trabalho a carros mais potentes, feitos para as pistas. Como o Dodge Viper ACR – aquele mesmo que quebrou vários recordes em circuitos norte-americanos e chegou muito perto de virar menos de sete minutos em Nürburgring.

O vídeo mais a caminho do lendário circuito de Laguna Seca, na Califórnia, para um track day – segundo ele, o primeiro track day com a presença de um Corvette C8 no circuito.

Everett parece saber se virar ao volante, apesar da aparente pouca idade – e, de fato, ele domina bem o Corvette em Laguna Seca. Ele chega a dar trabalho para um Dodge Viper ACR que está à sua frente, e também consegue segurar por um bom tempo um Porsche 911 (aparentemente um GT3) que vem atrás. O Viper aparece por volta do minuto 6:30 do vídeo, e Austin vai chegando cada vez mais perto até que, perto do fim, consegue ultrapassá-lo.

Podemos considerar este pega como uma demonstração do potencial do Corvette C8? É bem possível, sim.

O Dodge Viper ACR foi a despedida em grande estilo do Viper – um track monster de verdade, que ignora completamente o gargalo do motor dianteiro. O V10 de 8,4 litros entrega 645 cv a 6.400 rpm e 83 kgfm de torque a 5.000 rpm – o mesmo que os outros Viper da última geração, aliás. O câmbio manual de seis marchas – o mesmo Tremec TR6060 – leva a força para as rodas de trás através do mesmo diferencial com autoblocante que qualquer outra versão, exceto que sua carcaça tem aletas para ajudar no arrefecimento.

Mas – e este é um grande “mas” – o Viper ACR possui vários outros elementos que o destacam. A suspensão ganha amortecedores Bilstein ajustáveis em dez níveis, com regulagem de compressão e retorno e permitem rebaixar o carro em até 7,6 cm. As molas são duas vezes mais firmes que as encontradas no Viper comum. Os freios Brembo usam discos de carbono-cerâmica de 391 mm na dianteira e 360 mm na traseira, e são abrigados por rodas de 19 polegadas calçadas com pneus Kumho Ecsta V720. As medidas dos pneus: 295/25 na dianteira e absurdos 355/30 na traseira.

Seu maior trunfo, porém, é o chamado Extreme Aero Package – o tal “opcional obrigatório”, já que é no conjunto de artifícios aerodinâmicos especialmente desenvolvido para o Viper ACR é que está seu segredo. Com splitter frontal maior, asa traseira dupla ajustável, quatro aletas de escoamento, novo difusor traseiro e saídas de escoamento nos para-lamas e capô, o kit ajuda o Viper ACR a produzir até 227 kg a mais de downforce nas curvas. À velocidade máxima de 285 km/h, o carro produz até 799 kg de downforce.

Foi com estas armas que, em 2016, o Dodge Viper ACR partiu em uma turnê pelos EUA a fim de quebrar recordes de velocidade em 14 circuitos diferentes, todos certificados pelo SCCA (Sports Car Club of America), como Laguna Seca, Willow Springs, e Road Atlanta – mostrando que, de fato, o Viper ACR está em outro nível em tempos de volta. Em Laguna Seca, o Viper ACR virou 1min28s65, superando até mesmo o Porsche 918 Spyder, que virou 1min29s29. Detalhe: ambos os carros foram conduzidos pelo mestre Randy Pobst. O recordista anterior, o Corvette ZR-1 da geração C7 (e concorrente mais direto do Viper ACR), tinha marcado 1min33s7.

Ou seja – ver um Corvette C8 acompanhando de perto um Viper ACR em Laguna Seca diz muito sobre o que a nova geração do esportivo é capaz. Mesmo com quase 150 cv de desvantagem, o arranjo de motor central-traseiro, o câmbio de dupla embreagem e o acerto dinâmico por parte da Chevrolet quase compensam por isto.

Não podemos esquecer, claro, que o nível do piloto também faz diferença. Vê-se que Austin sabe o carro que tem nas mãos – seu empenho em não deixar o Porsche que vem atrás ultrapassá-lo ao mesmo tempo em que tenta alcançar o Viper deixa isto claro. Não sabemos se o piloto do Viper estava dando tudo de si ou se estava mais relaxado naquele fim de semana. Ou mesmo se ele é um piloto no nível de Austin ou melhor.

Mas sabemos o que pensar disto tudo: o Corvette C8 pode ter ficado radical demais para o gosto de alguns, ou “não ser um Corvette de verdade” para os mais radicais. Seu design pode ter adotado uma personalidade mais europeia, a fim de deixar o C8 mais global. Mas, como esportivo, tudo indica que a Chevrolet fez mesmo um bom trabalho. E que os futuros Z06 e ZR-1 terão uma grande plataforma como ponto de partida.

No fim das contas, há de se considerar um último ponto: em pleno 2020 estamos aqui, assistindo e analisando uma disputa entre dois esportivos americanos com motor V8 puro e tração traseira. É uma pequena vitória para o Viper, o Corvette e para todos os entusiastas.

Matérias relacionadas

Mercedes-AMG C63 S no Velo Città, o novo Kia Sportage, Track Day em Interlagos, de carona em uma Ferrari F50 e mais nos melhores vídeos da semana!

Dalmo Hernandes

Desafio dos motoboys no Velo Città, acelerando o Mercedes-AMG C63S, Civic Si na arrancada e mais nos melhores vídeos da semana!

Dalmo Hernandes

Um Ford GT40 na chuva e um dos onboards mais insanos de todos os tempos

Dalmo Hernandes