A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História Zero a 300

Dardo F 1.3: a história do fora-de-série que virou parte da famiglia da Fiat

No fim dos anos 1960, o Volkswagen Fusca começou a ser utilizado como base para a segunda geração do Puma, o mais famoso fora-de-série do Brasil. Não demorou para que outros pequenos fabricantes seguissem a mesma receita. É fácil entender o motivo: a construção simples dos VW a ar permitia que se utilizasse o chassi rolante com outra carroceria e outro interior, aproveitando todo o projeto de suspensão e o conjunto mecânico originais. Até 1990 ainda era possível comprar um Puma com mecânica Volks zero quilômetro. Neste meio tempo, a indústria dos fora-de-série cresceu bastante e rendeu frutos bem diversos, utilizando componentes de automóveis de outras marcas e modelos – tanto que decidimos falar sobre eles em uma série especial, na qual contamos a história do Santa Matilde, com o motor do Chevrolet Opala, e do Hofstetter, cujo protótipo tinha motor Cosworth de Fórmula 3, por exemplo. O Dardo era outro deles. Se você é apreciador dos esportivos italianos mais obscuros, exis

Matérias relacionadas

Por que você não deve apoiar os pés no painel de um carro em movimento

Dalmo Hernandes

Calibrar os pneus do seu carro com nitrogênio é mesmo uma boa?

Dalmo Hernandes

Zastava Koral, mas pode chamar de Yugo: a história do carro mais famoso da antiga Iugoslávia | Lasanhas sem Fronteiras

Dalmo Hernandes