A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História Zero a 300

Dardo F 1.3: a história do fora-de-série que virou parte da famiglia da Fiat

No fim dos anos 1960, o Volkswagen Fusca começou a ser utilizado como base para a segunda geração do Puma, o mais famoso fora-de-série do Brasil. Não demorou para que outros pequenos fabricantes seguissem a mesma receita. É fácil entender o motivo: a construção simples dos VW a ar permitia que se utilizasse o chassi rolante com outra carroceria e outro interior, aproveitando todo o projeto de suspensão e o conjunto mecânico originais. Até 1990 ainda era possível comprar um Puma com mecânica Volks zero quilômetro. Neste meio tempo, a indústria dos fora-de-série cresceu bastante e rendeu frutos bem diversos, utilizando componentes de automóveis de outras marcas e modelos – tanto que decidimos falar sobre eles em uma série especial, na qual contamos a história do Santa Matilde, com o motor do Chevrolet Opala, e do Hofstetter, cujo protótipo tinha motor Cosworth de Fórmula 3, por exemplo. O Dardo era outro deles. Se você é apreciador dos esportivos italianos mais obscuros, exis

Matérias relacionadas

Como a Jaguar e as 24 Horas de Le Mans de 1953 nos deram os freios a disco

Dalmo Hernandes

Lee Iacocca: a trajetória do inventor do Ford Mustang – e salvador da Chrysler e Lamborghini

Dalmo Hernandes

Hachi-Roku: a história do lendário Toyota AE86

Leonardo Contesini