A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Em plena forma: Robert Kubica arrepia em Nürburgring com um BMW M4

Com tantos vídeos onboard que são publicados todos os dias na Internet atualmente, é difícil algum deles se destacar de verdade – existem muitos pilotos rápidos, amadores e profissionais; muitos carros bacanas e muitos circuitos que proporcionam passagens memoráveis. É uma questão de oferta e demanda – e há muita, muita oferta. Claro, há o conteúdo do canal do FlatOut, mas somos suspeitos para falar, não é mesmo? 😉

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

 

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Mas de tempos em tempos aparece alguma preciosidade – no caso, este onboard com Robert Kubica ao volante de um BMW M4 em Nürbugring Nordschleife. O ex-piloto polonês de Fórmula 1 está no meio da temporada 2020 da DTM (Deutsche Tourenwagen Masters) com a equipe ART GP, onde também corre com um BMW M4 – mas na versão de corrida que usa um 2.0 turbo de 610 cv. Então, Kubica e decidiu aproveitar sua passagem por Nürburgring Nordscheife para dar umas voltas sem compromisso.

Agora, “sem compromisso” não quer dizer devagar – ao contrário: poucas vezes vimos um M4 ser guiado com tanta brutalidade no Inferno Verde. Até mesmo o instrutor Misha Charoudin, que alimenta seu canal no Youtube com vários onboards e não é exatamente conhecido por ser um cara quieto, ficou de bico calado enquanto Kubica esmerilhava o carro de sua empresa de aluguel, a Apex Nürburg

Um pouco de contexto: para quem não lembra, Misha Charoudin é instrutor de pilotagem, e acompanha os clientes que pagam para acelerar os carros da Apex Nürburg pelo circuito alemão. Kubica não fez uma corrida muito boa no último fim de semana, chegando em último na etapa no circuito Sprint de Nürburgring – uma versão reduzida do circuito de GP. Então, para espairecer, ele resolveu alugar um carro e explorar o Nordschleife.

Segundo o próprio Kubica conta no início do vídeo – e é corroborado pela descrição – tudo foi simplesmente um acaso, do tipo que não daria certo se fosse combinado. Kubica queria um carro, e perguntou se poderia ir sozinho. O pessoal da Apex Nürburg disse que não poderia abrir uma exceção, mesmo com o piloto garantindo que sabia o que estava fazendo. Então, Misha acabou aproveitando a oportunidade para gravar um vídeo, divulgar os serviços da sua empresa e ainda bater um papo com o polonês. Acontece que Kubica guia o M4 como… bem, como um cara que já subiu 12 vezes ao pódio da Fórmula 1 e venceu o GP do Canadá.

O carro que Kubica está pilotando é o M4 da Apex preparado especialmente para Nürburgring. O seis-em-linha biturbo de três litros é mantido totalmente stock com seus 431 cv, mas a suspensão ganha molas e amortecedores ajustáveis da JRZ, freios maiores e pneus Michelin Pilot Sport, além de perder alguns quilos graças à remoção do banco traseiro e de alguns acabamentos internos. Também é instalada uma gaiola de proteção.

Lá pelos quatro minutos do vídeo é que a ação começa – e Kubica demonstra a agressividade que foi sua marca no início de sua carreira na F1, lá em 2006, quando o polonês entrou para a Sauber, que na época (coincidentemente) usava um V8 BMW de 2,4 litros.

É sempre bacana ver Robert Kubica acelerando – ele parece ser um cara muito acessível e bem humorado. O que é incrível se considerarmos que ele quase morreu em 2011, quando sofreu um acidente com um Skoda Fabia durante o Rally di Andora, na Itália, semanas antes do início daquela temporada de Fórmula 1, na qual ele competiria pela Renault pelo segundo ano consecutivo.

Com diversas fraturas nos braços, pernas e ombros, ele passou por uma bateria de cirurgias, recuperou-se e, em 2012, voltou a pilotar carros de rali com a equipe da Citroën. Após um breve retorno à Fórmula 1 em 2019, quando foi contratado por uma moribunda Williams, ele decidiu investir na DTM. E agora, podemos vê-lo simplesmente se divertindo à custa do M4 e de Misha Charoudin.

Kubica pode não ser o melhor sucedido dos pilotos quando se fala em resultados brutos. Mas talento, carisma e humildade o cara tem de sobra – e podemos constatar este fato tranquilamente após este onboard.

Matérias relacionadas

Maconha pode não contribuir com aumento no risco de acidentes, diz estudo

Dalmo Hernandes

Super Leicht: a história do Mercedes-Benz SL – Parte Final

Leonardo Contesini

Roadkill: isto é um Plymouth Roadrunner V8 de 9,8 litros e 1.300 cv!

Leonardo Contesini