A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

“Eventos estranhos” – ou “como fazer um carro autônomo achar que você é um cone”

A questão da responsabilidade por um acidente causado por um carro autônomo parece ter sido resolvida com o caso do Volvo XC90 do Uber e de sua motorista/operadora que atropelaram uma pedestre empurrando uma bicicleta nos EUA. Apesar do sistema de reconhecimento estar parcialmente desativado, a responsabilidade pelo acidente recaiu sobre a operadora pois ela estava distraída e não agiu para evitar o atropelamento. É o mesmo tipo de atribuição de responsabilidade em casos de acidentes aéreos, ferroviários ou náuticos com sistemas autônomos: o motorista ativou o sistema, é ele quem se responsabiliza pelo ocorrido. Agora... ainda há uma questão que, apesar dos milhões de quilômetros rodados em testes ainda não foi resolvida: os "exemplos contraditórios". O termo não significa nada se você não estiver por dentro da tecnologia de Inteligência Artificial, por isso vamos chamá-lo de "eventos estranhos" — que ainda não diz muito, mas fica mais compreensível. São situações em que

Matérias relacionadas

Você transformaria sua Ferrari Testarossa em uma F40?

Dalmo Hernandes

Lendas do WRC: como os ralis transformaram o Porsche 911 em um carro de corrida

Dalmo Hernandes

Dome RC83: o protótipo japonês com efeito solo que quase disputou as 24 Horas de Le Mans

Dalmo Hernandes