A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Gordon Murray depois do McLaren F1: como superar uma lenda?

Ian Gordon Murray era antes de tudo um entusiasta do automóvel como todos nós. Nascido de imigrantes escoceses na longínqua África do Sul, passava sua infância e adolescência devorando toda a leitura sobre automóveis que conseguia por as mãos. Mas além de se formar engenheiro e gostar de carro, Murray tinha algo mais. Desenhava com habilidade praticamente de artista, tinha um ímpeto de inovação e uma mente fértil. Além disso, a vontade de trabalhar duro e incessantemente para conseguir o que queria. Um gênio não é gênio apenas pela sua habilidade criativa. Sem muita vontade e trabalho, toda genialidade se perde em um mar de inação e seriados da Netflix. Mas este definitivamente não é caso de Murray. Desde muito cedo resolve tirar seus desenhos do papel. Em 1964, com apenas 18 anos, começa a desenhar um carro, inspirado claramente no Lotus Seven de seu ídolo, Colin Chapman.

Matérias relacionadas

Ferrari 250 GT SWB “Breadvan”: quando os italianos fizeram um furgão de corrida

Dalmo Hernandes

Como foi assistir ao Goodwood Revival ao vivo na Inglaterra

Leonardo Contesini

Sacrilégio: seis carros modernos com nomes errados

Marco Antônio Oliveira