A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Honda Accord híbrido chega ao Brasil em junho, nova lei de trânsito começa a valer hoje, o Ever Given ainda está preso no Canal de Suez e mais

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco!

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Honda Accord híbrido chega ao Brasil em junho

A Honda anunciou na última sexta-feira (9) a chegada do Accord híbrido ao Brasil. O sedã topo de linha da fabricante japonesa terá sua versão eletrificada lançada no Brasil até o fim deste semestre – ou seja, no máximo até junho.

O carro é equipado com um motor 2.0 de ciclo Atkinson, mais eficiente que o ciclo Otto, com 145 cv e 17,8 kgfm; mais um motor elétrico de 184 cv e 32,1 kgfm – os números combinados não foram divulgados para a versão nacional, mas lá fora ele tem 212 cv combinados. De qualquer forma, a ECU do Accord híbrido tem capacidade para escolher a melhor hora para usar cada motor separadamente, e quase sempre o propulsor elétrico é o escolhido. Há, ainda, outro motor elétrico que trabalha o tempo todo como geredor para fornecer energia para a bateria.

O Accord híbrido diferencia-se esteticamente da versão convencional pelo desenho dos para-choques, pelas rodas exclusivas e pelos detalhes cromados na grade – e, claro, pelos emblemas na traseira. O interior tem uma nova central multimídia com conexão sem fio para Android e iOS, além de ter recebido um novo carregador por indução no console central.

 

A Honda ainda não se manifestou sobre o preço do Accord híbrido mas, considerando que a versão normal custa R$ 210.000 atualmente, a nova versão deve ficar bem acima disso.

 

Nova lei de trânsito começa a valer hoje – veja as principais mudanças

Começam a valer hoje (12) as mudanças no Código de Trânsito Brasileiro, sancionadas em outubro de 2020 pelo Presidente da República. As principais alterações dizem respeito ao prazo de renovação da CNH, aos exames médicos e à pontuação máxima para ter o documento suspenso; e também sobre o uso de cadeirinhas, o transporte de crianças em motocicletas e os recalls promovidos pelas fabricantes.

A partir de agora, a CNH tem validade de dez anos para condutores com idade até 50 anos, de cinco anos para condutores com até 70 anos, e de três anos para condutores com mais de 70 anos – e o prazo pode ser reduzido caso o médico responsável pelos exames de aptidão física e mental julgue necessário.

A antigo limite de 20 pontos agora dá lugar a um sistema gradual com base no registro de infrações gravíssimas. Os condutores que não cometerem nenhuma infração gravíssima terão a CNH suspensa após completar 40 pontos; os que cometerem uma infração gravíssima terão o limite reduzido para 30 pontos; e aqueles que cometerem duas infrações gravíssimas terão o documento suspenso com 20 pontos. A exceção são os motoristas que exercem atividade remunerada, como taxistas, motoristas de Uber e entregadores – no caso deles, o limite é de 40 pontos independentemente da gravidade das infrações.

A nova lei de trânsito também estabelece que os motoristas condenados por homicídio culposo ou lesão corporal ao dirigir sob efeito de entorpecentes (álcool ou drogas) não podem mais ser condenados a penas alternativas, como multa ou serviços comunitários.

O transporte de crianças em veículos também teve a regulamentação alterada. Agora, as crianças com menos de dez anos de idade e 1,45 m de altura devem ser transportadas na cadeirinha – até agora, apenas a idade era levada em consideração. Em motocicletas, a idade mínima para crianças na garupa também passa a ser dez anos – antes, eram sete anos.

Ainda para os motociclistas: as infrações por trafegar com o farol apagado e andar com a viseira do capacete levantada passaram de gravíssima, passível de sete pontos na carteira, multa de R$ 880, apreensão da CNH e suspensão do direito de dirigir; para média, sujeita a multa de R$ 130 e quatro pontos na carteira.

 

Cargueiro Ever Given ainda está preso no Canal de Suez (mas por outro motivo)

In this photo released by Suez Canal Authority, the Ever Given, a Panama-flagged cargo ship is accompanied by Suez Canal tugboats as it moves in the Suez Canal, Egypt, Monday, March 29, 2021. Salvage teams on Monday set free a colossal container ship that has halted global trade through the Suez Canal, bringing an end to a crisis that for nearly a week had clogged one of the world’s most vital maritime arteries. (Suez Canal Authority via AP)

O Ever Given já foi desencalhado do Canal de Suez, vimos centenas de memes  e tudo ficou no passado, certo? Errado: o cargueiro de 400 metros ainda está “preso” no canal, mas não fisicamente – burocraticamente.

Isto porque as autoridades do Egito que regulam a passagem de embarcações no canal estão segurando o navio no canal enquanto as causas do encalhamento são investigadas – e enquanto a Evergreen, dona do Ever Given, não pagar o equivalente a US$ 1 bilhão “só pelo incômodo”. Ou seja: pelo prejuízo de US$ 95 milhões causado pelo travamento do canal, e pelos custos da remoção.

As autoridades ainda dizem que no momento em que a compensação for paga, o Ever Given será liberado para seguir viagem. Mas nem todo mundo está feliz com isto: há pelo menos 25 tripulantes indianos a bordo do Ever Given, e a União Nacional dos Trabalhadores Marítimos Indianos já disse que é inadmissível manter essas pessoas presas no navio por conta de questões burocráticas – ou seja, esta história ainda deve ter mais alguns desdobramentos antes de acabar.

 

 

Fiat 500e deve ser vendido no Brasil na versão Icon

Já confirmado para o Brasil, o novo Fiat 500e deve desembarcar no Brasil ainda em 2021 – ele deveria ter sido lançado no fim do ano passado, mas acabou atrasando por conta da pandemia. E, pelo que apuraram os colegas do Autos Segredos, ele será mesmo lançado por aqui na versão Icon, a mais potente e sofisticada.

A Fiat já testou o hatchback elétrico na versão Action aqui no Brasil, com 95 cv e alguns equipamentos a menos, mas decidiu-se pela versão mais potente, com 118 cv e 22,4 kgfm – que foi registrada no Brasil no início de março. Registrar versões específicas é prática incomum na indústria brasileira.

Capaz de acelerar de zero a 100 km/h em 9 segundos e com máxima de 150 km/h, o Fiat 500e Icon tem uma bateria de 42 kWh – o bastante para garantir até 320 km de autonomia com uma carga. Uma carga completa em corrente alternada a 11 kW leva 4 horas e 15 minutos, enquanto uma recarga rápida de 0 a 80%, em corrente contínua a 85 kW, leva 35 minutos. É o bastante para uso urbano, sob medida para o público-alvo do 500e.

O carro vem equipado com ar-condicionado automático, banco do motorista com regulagem mecânica e memória, cruise control, retrovisores elétricos, DRLs e lanternas traseiras de LED, acesso e partida sem chave, quadro de instrumentos com tela colorida de 7 polegadas, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis e sensor de pressão dos pneus. Além disso, o 500e Icon conta com frenagem autônoma de emergência com detecção de pedestres e ciclistas, detector de fadiga, airbags frontais, airbags laterais, airbags de cortina, hill-holder e reconhecimento de sinais de trânsito.

É claro que esse carro não sairá barato – apostamos que, na melhor das hipóteses, o 500e Icon deva custar ao menos R$ 200.000.

 

Novo Citroën C5 X é sedã, perua e SUV ao mesmo tempo

A Citroën apresentou no último fim de semana seu novo topo de linha – que adota um nome conhecido, mas é totalmente diferente do último carro a recebê-lo. É o novo Citroën C5, que de forma ousada mistura silhueta de sedã, perua e SUV em um único carro. E agora ele tem um novo sobrenome: C5 X.

De perfil, o carro tem o teto longo de uma perua, mas a parte traseira possui uma inclinação mais acentuada, como em um sedã-fastback. Ao mesmo tempo, a dianteira é alta, os para-lamas são volumosos com molduras de plástico e a altura de rodagem é maior – como em um SUV. Três-em-um.

O carro tem 4,8 metros de comprimento, 1,86 m de largura e 1,48 m de altura. O porta-malas acomoda 545 litros de bagagem e, com o banco traseiro rebatido, chega a 1.640 litros – uma vantagem da carroceria inusitada. E o interior traz uma tela de 12 polegadas para a central multimídia, quadro de instrumentos digital colorido com HUD e realidade aumentada, e controles físicos (ufa!) para o ar-condicionado e outras funções.

Como todo bom flagship da Citroën, o novo C5 X também valoriza o conforto – a suspensão, embora não traga o mesmo sistema hidropneumático de antigamente, vem com um sistema de “almofadas hidráulicas progressivas” que alteram ativamente a altura e a maciez do conjunto.

O Citroën C5 X usará alguns conjuntos mecânicos diferentes que serão anunciados em breve. Mas a fabricante já destaca que o foco, ao menos neste primeiro momento, será a versão híbrida plug-in com 225 cv e mais de 50 km de autonomia no modo totalmente elétrico.

 

BMW M4 é flagrado em testes com novos componentes aerodinâmicos

Agora que o novo BMW M4 já não é mais notícia nova, começam a surgir flagras de novas versões. O mais recente deles traz o cupê camuflado em algum lugar da Alemanha – e, com atenção, dá para reparar em alguns detalhes interessantes.

De cara, vemos que ele tem novos winglets nas extremidades do para-choque dianteiro, que também tem um spoiler maior e mais próximo do chão. Atrás, a tampa do porta-malas exibe o que parece ser um spoiler maior, do tipo duck tail. Os britânicos do Car Throttle lembram que nenhum dos componentes faz parte do catálogo M Sport, o que significa que foram feitos especificamente para este carro.

A primeira reação é pensar em um possível M4 CS, visto que a BMW está apostando mais nesta sigla para seus esportivos mais potentes e com aerodinâmica melhorada. Porém, há quem suspeite se tratar do novo M4 CSL, trazendo de volta uma versão mais leve do cupê – que, afinal, pesa para lá de 1.700 kg quando equipado com a caixa automática de oito marchas mais o sistema de tração integral.

 

Matérias relacionadas

Estes novos guard-rails com roletes de borracha podem salvar vidas na estrada

Dalmo Hernandes

RAYS Volk TE37: qual é o segredo das rodas japonesas mais populares do mundo?

Dalmo Hernandes

Uso de farol baixo durante o dia poderá ser obrigatório no Brasil, Peugeot apresenta seu novo conceito, Uber usa carros de Mad Max e mais!

Leonardo Contesini