A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História

O lendário Chevette Misto-Quente

Não sabíamos na época, mas era a última vez que algo assim ia acontecer. Em 1984, as estrelas se alinharam, e como por milagre, tivemos um campeonato de marcas e pilotos em pista, e um campeonato de rali, com a participação ativa de todos os fabricantes nacionais. Provas de longa duração em pista, Brasil afora, com grande público, equipes profissionais de fábrica e pilotos de primeira linha. Ralis também épicos, a competição continuando também na terra e lama, com os mesmos carros. Os mesmos carros. Com um limite de 1,6 litro de deslocamento, e uso de peças apenas existentes em produção, a categoria era além de competitiva, altamente relevante: antes do aparecimento da isenção de impostos para carros 1.0, este deslocamento era o mais popular no Brasil. A Fiat somente tinha motores de 1.050 e 1.300 cm³, mas, num exemplo de como este campeonato ficou importa

Matérias relacionadas

Sprint Zagato: a história do último Alfa Romeo à moda antiga

Dalmo Hernandes

Chrysler Viper GTS-R: a primeira versão de corrida do ícone da Dodge nos anos 90

Dalmo Hernandes

Este Peugeot 205 de subida de montanha já foi mula de testes da Fórmula 1

Dalmo Hernandes