A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Automobilismo História

John Player Special: a história da pintura preta e dourada dos Lotus da F1

É praticamente impossível ver a pintura "maço de Marlboro" em um carro de corrida sem lembrar de Ayrton Senna e Emerson Fittipaldi. A fabricante americana de cigarros estampou suas cores no McLaren M23 usado por Emerson em 1974 e 1975, depois nos McLaren usados por Ayrton Senna entre 1988 e 1993, além dos Penske usados por Emerson na Indy. Só que quando se fala em pinturas icônicas do automobilismo, há uma outra marca também presente na história de Emerson e Ayrton que acaba sendo tão ou mais lembrada que o "maço de Marlboro": a pintura preta e dourada da John Player Special, presente em todos os Lotus da Fórmula 1 entre 1972 e 1986, nos BMW 635 CSI do Grupo 2 e no Porsche 935 do Grupo 5 da Kremer Racing nos anos 1970 e 1980. Mas... como a John Player foi parar na carenagem dos Lotus?   A F1 comercial A história começou em 1967, quando a Comissão Esportiva Internacional da FIA aprovou a utilização do nome dos patrocinadores junto ao nome da equipe, bem como suas cores em seus

Matérias relacionadas

Kia Elan: a improvável história do Lotus fabricado na Coreia

Leonardo Contesini

Brabus: a história da preparadora alemã mais insana de todas

Dalmo Hernandes

The Power of Dreams: a incrível trajetória de Soichiro Honda, parte 2

Dalmo Hernandes