A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Notícias

Mais de 70 carros clássicos e raros são apreendidos em Minas Gerais – veja a galeria!

10636192_315070075366592_1993457021189754770_n

Mais de 70 carros clássicos foram apreendidos nesta última terça-feira (30) em Minas Gerais. A apreensão foi resultado da Operação Mustang, deflagrada pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), pela Secretaria de Estado e de Fazenda e da Polícia Civil.

A operação investigava crimes de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro, além de recuperar ativos desviados do erário público pelas empresas Pohlig Heckel, de Contagem (MG) e Movi MBC, de Belo Horizonte, que têm uma dívida acumulada em R$ 32 milhões com a Receita do estado. O promotor do caso, Fábio Reis de Nazaré, afirmou ao jornal Estado de Minas que os 77 clássicos apreendidos pertenciam ao proprietário das empresas, e juntos somam R$ 20 milhões — uma boa parte da dívida.

Embora o Ministério Público de MG não tenha divulgado muitas fotos dos carros, foi divulgado que entre os carros apreendidos há ao menos duas raridades especiais. O primeiro deles é um Rolls-Royce que supostamente pertenceu à rainha Elizabeth II do Reino Unido, cujo valor é estimado em R$ 800.000. O outro é um Chevrolet Camaro de segunda geração que foi usado no filme “007 – Nunca Mais Outra Vez” (Never Say Never Again – 1983) e tem valor estimado em R$ 480.000.

Além desses dois modelos mais raros, a coleção também inclui um Jaguar cujo nome não foi divulgado, uma réplica do Shelby Cobra, um Corvette de primeira geração e vários Ford Mustang de todos os períodos — que foi a inspiração das autoridades na hora de batizar a operação. Segundo o promotor, além dos 77 carros há outros veículos que serão apreendidos em outras cidades — todos comprados por valores acima dos praticados no mercados. O gestor das empresas também patrocinava corridas de carros.

20140930170629890834o

Os carros estavam em nome de um jovem de 19 anos cuja renda mensal declarada é inferior a R$ 3.000 — possivelmente filho do proprietário da empresa. Com as apreensões, será aberto um processo criminal e o pedido de alienação dos veículos, que certamente serão leiloados futuramente. Os suspeitos deverão responder por sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.

 

[ Fotos: Ministério Público de Minas Gerais ] 

Matérias relacionadas

[ Zero a 300 ] Parquímetros eletrônicos em SP, perícia do caso Paul Walker, carros com Android, o “Lifan” da Mini…

Leonardo Contesini

Mais da metade das rodovias brasileiras estão mal conservadas

Leonardo Contesini

Alguém bateu um Bugatti Chiron – e o guincho está terminando de estragá-lo

Leonardo Contesini