FlatOut!
Image default
Zero a 300

Novo Porsche Macan chega por R$ 439.000 | VW confirma Audi e Porsche na F1 | Gas Gas lança motos de rua e mais!


Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Porsche Macan chega renovado e mais potente partindo de R$ 439.000

A Porsche apresentou nesta segunda-feira (2) a linha Macan renovada no Brasil. O modelo ganhou um sutil facelift depois de sete anos de estrada e duas atualizações (em 2016 e 2019), e também uma revisão nos motores que deu ao crossover um pouco mais de potência e novidades no acerto dinâmico.

O Macan, como dissemos na ocasião do seu lançamento, mantém viva a arte da Porsche em desafiar as leis da física. As novidades mecânicas incluem o sistema ativo PASM de série em todas as versões, sempre com molas de aço, altura de rodagem rebaixada em 15 mm e barra estabilizadora mais rígida no eixo dianteiro. Opcionalmente o novo Macan pode ser equipado com molas pneumáticas, mantendo o PASM, a suspensão pode ser rebaixada em mais 10 mm e ainda pode receber barra estabilizadora mais rígida também na traseira, além do programa de vetorização de torque (PTV+) e o sistema de direção assistida adaptativa.

Visualmente as mudanças foram sutis como em todo facelift da Porsche: o para-choques dianteiro foi modificado, as sideblades foram remodeladas e os retrovisores agora têm o estilo Sport Design, com o suporte vazado e efeito aerodinâmico. A traseira também foi remodelada, com novo para-choques e uma nova superfície da tampa do porta-malas. Ainda há três opções novas na paleta de cores e sete modelos novos de rodas.

Quanto à motorização, o Macan continua com o 2.0 turbo e o V6 em duas configurações distintas para a versão S e GTS, respectivamente. O motor 2.0 turbo do Macan de entrada (a versão sem “sobrenome”) passou por um novo desenvolvimento que revisou o turbocompressor, o sistema de injeção, pistões e corrente de comando, visando, além do aumento de potência — que foi de 20 cv na versão europeia e 13 cv na versão brasileira, chegando aos 265 cv — a redução de consumo e nível de ruído.

Acima dele vem o Macan S, que trocou o antigo V6 3.0 turbo pelo V6 biturbo 2.9 do GTS pré-facelift — com os mesmos 380 cv entre 5.200 rpm e 6.700 rpm, e 53 kgfm entre 1.800 rpm e 5.000 rpm. A adoção do novo motor representa um aumento de 26 cv em relação ao modelo S anterior, e também significa que o GTS ganhou uma nova configuração mais potente do V6 biturbo de 2,9 litros.

O GTS agora é a nova versão de topo da linha Macan (ao menos por enquanto), e herdou o V6 2.9 de 440 cv que era usado pelo Macan Turbo até 2021. A potência máxima (60 cv a mais!) é produzida entre 5.700 rpm e 6.600 rpm, enquanto o torque de 56 kgfm é disponível de 1.900 a 5.600 rpm.

A Porsche ainda anunciou que terá o Macan T a partir do segundo semestre por aqui. O modelo, que é o primeiro SUV da linha Touring — inaugurada pelo 911 na geração passada — e é posicionado entre o Macan básico e o Macan S. Ele mantém o motor de 265 cv e o câmbio PDK de sete marchas, mas ganha o pacote Sport Chrono e o sistema de suspensão ativa PASM, além de ganhar uma calibragem específica do sistema de vetorização de torque da Porsche. Com isso, o Macan T vai do zero aos 100 km/h em 5,8 segundos (0,2 s mais rápido que o modelo básico), embora a velocidade máxima continue nos 231 km/h.

Por fora, o Macan T precisa dizer que é um Macan T, então ele tem acabamento cinza nos retrovisores, no spoiler do teto, no acabamento da grade e nas soleiras, assim como nos logotipos traseiros. O acabamento das janelas e do para-choques traseiro é preto, assim como as rodas de 20 polegadas semelhantes às do Macan S. Por dentro, os bancos são os mesmos do Macan S, assim como o volante esportivo e o cronômetro Sport Chrono no topo do painel.

Os modelos já estão a venda pelo sistema de encomenda (pré-venda), e serão entregues no segundo semestre deste ano. O Porsche Macan básico parte de R$ 439.000, o Macan T vai a R$ 479.000, o Macan S chega por R$ 569.000 e o Macan GTS vem por R$ 669.000. (Leo Contesini)

 

Confirmado: Audi e Porsche na Fórmula 1

Depois de meses de especulações (e até negativas), o Grupo Volkswagen finalmente confirmou que tanto a Porsche quanto a Audi irão disputar a Fórmula 1. A confirmação foi feita pelo próprio CEO do grupo, Herbert Diess, durante uma declaração feita no canal oficial da Volkswagen no YouTube, nesta segunda-feira (2).

Diess revelou que a preparação da Porsche para a F1 está “um pouco mais concreta” que a da Audi, e que a decisão de ingressar na categoria tem a ver com a popularidade crescente da F1 em todo o mundo. O CEO ainda disse que a entrada das duas fabricantes na F1 tem a ver com as novas regras que serão adotadas em 2026, uma “janela de tecnologia” que é a única forma de admissão dos novatos na categoria, segundo o executivo.

Infelizmente nada foi dito sobre como a Porsche e a Audi entrarão na Fórmula 1 — se será por meio de parcerias com equipes já estabelecidas, como fornecedoras de motores, ou com novas equipes. O que se sabe até agora, especulativamente, é que a Porsche deverá firmar uma parceria de longo prazo com a Red Bull, enquanto a Audi supostamente ofereceu 500.000.000 de euros para comprar parte da McLaren, também visando o ingresso em 2026, quando o novo regulamento “resetar” as diferenças e colocar todas as equipes em igualdade em termos de desenvolvimento.

Então é isso: além de Mercedes, Ferrari, Alpine, Aston Martin, McLaren e Alfa Romeo, a F1 terá mais duas fabricantes, o que significa que, das 10 equipes na categoria, sete delas terão apoio oficial de fabricantes, considerando que a Red Bull terá a parceria com a Porsche e a Audi deverá incorporar a McLaren. Um futuro promissor se desenha para a Fórmula 1. (Leo Contesini)

 

Gas Gas lança motos para uso nas ruas

A Catalunha é uma região ao nordeste da Espanha, na verdade uma comunidade autonoma com capital na belíssima e eterna Barcelona. A Catalunha tem sua própria língua e cultura, e funciona como outro país, no meio da Espanha. É uma região também com uma longa tradição industrial, e mais importante para a gente aqui, uma forte tradição de motocicletas fora de estrada. Montesa, Bultaco, Ossa e… Gas Gas. Esta última na verdade sempre foi a mais especializada de todas: os fundadores operavam uma oficina especializada nas Bultaco na cidade de Salt, e criaram a Gas Gas para fazer motos de competição somente, em 1985. Principalmente para aquele esporte fora-de-estrada que faz moto e piloto parecerem um estranho cabrito montanhês motorizado: o Trial.

A notícia de hoje é que a Gas Gas, agora parte da KTM, está, pela primeira vez em sua história, lançando motocicletas que podem ser emplacadas para uso normal nas ruas: as Gas Gas ES 700 e SM 700. São motos baseadas nas KTM 690 Enduro R e 690 SMC-R. O motor é o mesmo monocilíndrico de 693 cm³ arrefecido a líquido, com 74 cv de potência a 8000 rpm. Além do motor, elas compartilham também o tanque de combustível de 13,6 litros, montado na traseira. As motos tem um quadro em treliça, bem no estilo Ducati, e suspensões de primeira linha. Basicamente são duas versões da mesma moto, a ES é a com pneus e uso fora-de estrada, e a SM é a Supermotard, com pneus de alta performance para asfalto.

Hoje em dia é difícil viabilizar algo vendendo apenas para competição; estas duas motos existem para garantir um futuro para as motos mais especializadas e radicais da marca. Por isso, são bem-vindas. As novas Gas Gas de rua devem chegar ainda neste ano à Europa, e os preços ainda não foram anunciados. (MAO)

 

Conheça a Saveiro 2023

A decepção que foi o fim das melhores versões do Polo/Virtus atual na humilde opinião deste que vos fala, os 1.6 MSI com câmbio manual, agora ficou um pouquinho menos triste. A VW relançou a Saveiro, agora num MY2023 bem adiantado, e todas as versões dela ganham justamente este powertrain descontinuado na linha Polo: 1.6 16v MSI e câmbio manual de cinco marchas. Sem mesmo ter andado numa, imagino que uma Saveiro básica com esta configuração oficialmente se torna um carro desejável: se um pesado Virtus tem um desempenho até empolgante com esse motor e câmbio, imagine a mais leve Saveiro.

A picape agora será oferecida em quatro configurações, duas com cabine simples e duas com cabine dupla. Agora também o ar condicionado, vidros e travas elétricas são de série desde a versão mais básica, a Robust de cabine simples.  Os preços, hoje doidos de ver em qualquer carro, não parecem absurdos: entre R$ 78.320 e R$ 119.350.

Como se sabe, foi por causa das novas regras do Proconve L7 que a picape perdeu o mais barato motor 1.6 8V de 104 cv, que equipava todas as versões exceto a Cross. O novo e mais moderno 1.6 MSI 16V, nela está calibrado para 116 cv e 16,1 kgfm de torque. A única caixa disponível é a manual de 5 marchas.

Com o fim iminente do Gol, a picape se manterá como último vestígio desta família brasileira de carros. Até que eventualmente seja substituída por uma nova geração, usando a plataforma MQB-A0 de Polo e Virtus. O que se espera acontecer em 2024. (MAO)

 

Corvette ZR2 1971 vai a leilão e promete recorde de preço

Em 1971 o carro americano tradicional estava começando seu inexorável caminho para o fim. As legislações de emissão e crises do petróleo, com falta de abastecimento e preços altos, rapidamente acabaria com os motores carburados enormes com taxa alta e comando bravo; em pouco tempo tudo mudaria.

Mas neste ano a GM ainda oferecia, como opcional no Corvette, um de seus motores mais lendários: o LS6. Era um V8 de bloco grande, 454 cid (7,4 litros), com cabeçotes de alumínio (uma economia de 23 kg!) de dutos retangulares enormes, válvulas também gigantes, taxa alta, comando bravo, e um gigantesco Holley de corpo quádruplo em cima. Eram 425 cv a 5600rpm. E podia ser acoplado a um câmbio manual de quatro marchas close-ratio, o Muncie M22 “Rock Crusher”. A versão que levava este motor se chamava “ZR2”.

Numa mostra de como os tempos eram bicudos para este tipo de carro, a Chevrolet vendeu apenas 12 unidades do Corvette ZR2 em 1971, das quais apenas duas são conversíveis. E agora a Mecum auctions vai leiloar um desses conversíveis em um leilão de 13 a 21 de maio. Espera-se que o seu preço passe de um milhão de dólares.

Este Corvette ZR2 é o de menor quilometragem conhecido e só rodou 8.702 milhas (14.004 km) desde zero km. A pintura é original Brands Hatch Green e vem completo com uma capota preta conversível e uma capota rígida de fibra na cor do carro.

O carro nunca foi restaurado e permanece em excelente estado, totalmente original. Ele está sendo vendido com a documentação completa, incluindo o pedido de compra original do veículo, fatura de envio e o adesivo do tanque original. Segundo o dono do carro, Ed Foss, este é o ZR2 mais original do mundo e é o único que ainda não foi restaurado. (MAO)

 

O câmbio manual do Supra vem da BMW

A Toyota anunciou no lançamento do Supra manual que seu câmbio era novo e desenvolvido para ele. Mas para surpresa de absolutamente zero pessoas, agora sabemos que na verdade é uma unidade BMW.

Disse a Toyota ao site The Drive: “As peças usadas na caixa de câmbio vêm de uma combinação de transmissões manuais fabricadas pela ZF, mas a combinação de peças é exclusiva do GR Supra”, disse um porta-voz da Toyota ao The Drive. “A Toyota fez parceria com a ZF e a BMW no design/layout da alavanca de câmbio/pedal, decisão da relação de marcha final, ajuste da função iMT e sensação de troca”.

A responsabilidade sobre a engenharia do Supra é mútua, mas todo hardware e fábrica sempre foram da BMW; isso não é surpresa nenhuma. E não muda em nada nossa admiração para com esta nova versão do Supra, e a fase da Toyota. Zupra? Não, é um Toyota! (MAO)


Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicos, histórias de carros e pilotos, avaliações e muito mais!

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: 30% OFF na loja durante a 3ª temporada do Goodguys, acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, participação no nosso grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!). Exponha ou anuncie até sete carros no GT40 e ainda ganhe descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$ 26,90 / mês

ou

Ganhe R$ 53,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura básico. 15% OFF na loja durante a 3ª temporada do Goodguys, acesse todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de poder expor ou anunciar até três carros no GT402.

R$ 14,90 / mês

ou

Ganhe R$ 29,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

ESTA Chevy GMC 500 2.0 16V Turbo
PODE SER SUA!

Clique aqui e veja como