FlatOut!
Image default
Car Culture Carros Antigos História

O BMW Glas 3000-V8 Fastback é único no mundo – e não é um BMW

Carros rebatizados às vezes acabam dando origem a criações bem bizarras, como o Fiat Siena da Dodge ou o Corsa com emblemas Buick. Contudo, também podem acabar gerando carros absurdamente colecionáveis, como este BMW Glas 3000 V8, que é único no mundo e, apesar do emblema BMW e da grade “duplo rim”, traz pouca coisa da BMW a além do nome.

A BMW é famosa por seus sedãs e cupês (e ocasionais peruas) de alto desempenho, além de clássicos como o supercarro M1 e o belíssimo grand tourer 850CSi — desse modo, quando vão citar os modelos mais famosos da marca, os fãs não costumam incluir na lista um cupê em formato de cunha com estilo italiano e um V8 na dianteira fabricado nos anos 1970. Pois é exatamente disto que se trata o BMW Glas 3000-V8 Fastback.

v8-frua (14)

Apesar do nome de eletrodoméstico, o carro tem uma história bastante interessante. Como boa parte dos BMW na década de 70, o carro nasceu na Baviera, mas não em Munique, e sim em Dingolfing, pouco mais ao norte da terra da BMW. Em Dingolfing ficava a fábrica da Glas, que surgiu em 1908 produzindo máquinas agrícolas. Em 1951, a Glas começou a fabricar scooters inspiradas na Viaggio Vespa, e em 1955 veio o primeiro carro.

Quer dizer, não era bem um carro, mas um microcarro: o Goggomobil, que era equipado com um motor monocilíndrico arrefecido a ar de 250 cm³ (mais tarde, versões de 300 e 400 cm³ apareceram), posicionado na traseira e acoplado a uma caixa manual de quatro marchas. Oferecido como sedã, cupê, van e até como um roadster chamado Dart (!), o Goggomobil foi um dos vários microcarros que povoaram as ruas da Europa no pós-guerra — e, com cerca de 285 mil unidades produzidas entre 1955 e 1969, também foi um dos mais populares.

glas_1700_gt_coupe_1

Glas GT 1300

Acontece que a Glas achou que era a hora de expandir sua atuação e começar a fabricar carros “de verdade”. O primeiro deles foi apresentado no Salão de Frankfurt em setembro de 1963 — o Glas 1300 GT, que começou a ser fabricado em março de 1964 e era equipado com um quatro-cilindros de 1,3 litro e 75 cv, capaz de chegar aos 170 km/h. Em 1965 foi a vez do sedã Glas 1700 TS, com motor de 1,7 litro e 100 cv — que acabou cedendo o motor para o cupê, que passou a se chamar Glas 1700 GT.

glas_2600_2

Glas 2600-V8

O caso é que, ainda em 1965, a Glas apresentou o 2600-V8 que, como o nome revelava, era um cupê com motor V8 de 2,6 litros (em essência, dois quatro-cilindos de 1,3 litro unidos pelo virabrequim). A carroceria, projetada por Pietro Frua, designer da Maserati — e bastante semelhante à primeira geração do Maserati Quattroporte — rendeu-lhe o apelido de Glaserati. A história está meio confusa, não? Não se preocupe: tudo se encaixa agora.

Esta “nova fase” da Glas acabou não durando muito — em 1966, com problemas financeiros, a Glas foi comprada pela BMW. Mas o que a grande companhia bávara queria com uma fabricante pequena e quase falida? A resposta: seus carros.

1500 (1)

1500 (2) 1500 (3)

BMW 1500 1962

Quatro anos antes, a marca havia lançado o BMW 1500, primeiro representante da chamada Neue Klasse – a linha de sedãs e cupês que, com mecânica simples e robusta e design limpo e agradável, é considerada por muitos o carro que deu à BMW a reputação que tem hoje. Acontece que o 1500 era tão popular que a capacidade de produção da fábrica em Munich acabou se esgotando. Assim, para expandir sua oferta de modelos, a BMW absorveu a linha da Glas — conseguindo, assim, dois “novos” cupês de uma só vez. O sedã Glas 1700TS teve sua produção encerrada.

Assim, o Glas 1700 GT passou por algumas mudanças: recebeu emblemas BMW e a grade do duplo rim; ganhou o motor 1.6 de quatro cilindros que já era usado na Neue Klasse e entregava 83 cv; teve a suspensão traseira com eixo rígido substituída por um sistema mais moderno, com braços semi-arrastados; e foi rebatizado como BMW 1600GT.

bmw_glas_3000_1

O Glas 2600-V8, por sua vez, foi rebatizado como BMW-Glas 3000-V8 pois recebeu um novo motor — como você já deve ter deduzido, um V8 de três litros que foi desenvolvido pela Glas pouco antes da compra pela BMW, que optou apenas por trocar os emblemas, sem alterar qualquer característica no visual do carro. Assim, ele foi um dos poucos modelos a não ter a grade característica da marca.

v8-frua (4)

E assim chegamos ao cupê da foto que abre este post. O BMW Glas 3000-V8 Fastback, que foi um modelo experimental projetado por Pietro Frua e fez sua estreia no Salão de Frankfurt de 1967. Na época, acreditava-se que ele poderia dar origem a um modelo de produção, mas a BMW acabou apresentando, no ano seguinte, o BMW 2800 CS (E9), que foi o precursor da Série 6.

v8-frua

Sem espaço para dois cupês grandes em sua linha, a BMW decidiu vender a Glas e descontinuar seus modelos. Contudo, a marca ficou com a fábrica de Dingolfing, que hoje é seu mair complexo industrial.

Se você quiser, contudo, uma lembrança desta época, saiba que o 3000-V8 Fastback será leiloado no dia 23 de maio durante o evento Sotheby’s Villa Erba, no Lago de Como, na Itália, ainda sem valor estimado.

v8-frua (11)

E ele, ironicamente, tinha a grade da BMW. Vai entender…