A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

O fim da Mercedes Classe X, o Viper mais rápido do mundo, Fiat deixa de oferecer GSR no Mobi e Argo e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Finja surpresa: Mercedes irá encerrar produção da Classe X

Classe X: subiu no telhado (trocadilho genial, hã?)

Não é novidade que a Mercedes Classe X não terá uma nova geração, mas também não esperávamos que ela fosse acabar tão cedo. Segundo a imprensa espanhola, a Daimler-Benz decidiu encerrar “em breve” a produção da picape na fábrica da Nissan em Barcelona. Os motivos são evidentes: a picape não vendeu nada e, para piorar, a Daimler e a Nissan estão em desacordo a respeito do contrato.

Em seu primeiro ano a Classe X teve apenas 16.700 unidades vendidas somando todos os mercados em que foi oferecida — Europa, Austrália e África do Sul. Nesse mesmo período, o ano de 2018, a Toyota Hilux e a Ford Ranger tiveram 550.000 e 267.000 unidades vendidas. Em 2019, as vendas aumentaram na Austrália, mas o volume global foi menor, mal passando das 8.000 unidades.

Para piorar, a estratégia da Mercedes aparentemente dependia da América do Sul — que poderia ser até mesmo uma fonte para abastecer a América do Norte futuramente, caso a fabricante mudasse de planos. Contudo, o desentendimento entre alemães e japoneses levou ao cancelamento da produção da Classe X na Argentina e ao consequente engavetamento dos planos para nossa região.

A decisão da Mercedes em lançar uma picape baseada na Nissan Frontier nos pareceu um erro desde o início. Como dissemos aqui mesmo no FlatOut na ocasião de seu lançamento, o acabamento interno não era condizente com o que se espera de um veículo Mercedes — mesmo para um modelo comercial da marca.

Além disso, por alguma razão a Mercedes não ofereceu a picape no maior mercado consumidor desse tipo de veículo do planeta, os EUA. No fim dos anos 1990, quando a Mercedes criou seu primeiro SUV de passeio, o ML, ele foi desenvolvido nos EUA e voltado para aquele mercado e se tornou tão bem-sucedido que BMW, Porsche, Volkswagen e Audi seguiram o mesmo caminho.

Como se não bastasse, a Mercedes ofereceu apenas uma versão V6 diesel como diferencial em relação às irmãs gêmeas Nissan Frontier e Renault Alaskan. As versões de quatro cilindros são mecanicamente idênticas aos outros dois modelos, o que resultou em um argumento de venda reduzido à preferência pela marca. (Leo Contesini)

 

Fiat Argo e Mobi perdem a transmissão GSR, Cronos será o próximo

A Fiat foi uma das pioneiras junto da Chevrolet com as transmissões automatizadas no Brasil, o fabricante italiano é hoje o único que ainda mantem esse tipo de câmbio em linha. Isso deve acabar em breve, a Fiat encerrou as vendas do Mobi e do Argo com a transmissão automatizada GSR, deixando apenas o Cronos GSR em linha. O Cronos GSR deverá ter suas vendas encerradas em breve.

Para o Argo e o Cronos 1.3 é aguardado um câmbio CVT que estreia em 2021, o Mobi deverá ficar sem uma versão com dois pedais. O cambio GSR era a versão mais atualizada do sistema automatizado desenvolvido pela Magneti Marelli em parceria com a Fiat. Ele trazia algumas funções de automáticos tradicionais como o creeping, possui funcionamento mais suave que os primeiros Dualogic e era operado por botões.

A falta de sucessor para o Mobi GSR deixa o mercado carente de opções para quem procura um carro sub-compacto para uso urbano e quer fugir das trocas de marchas. Existem rumores de uma vinda do Renault Kwid com a transmissão automatizada Easy´R, mas nada concreto. A transmissão CVT da Fiat era prevista para o lançamento do Argo Trekking em 2019, mas teve atrasos e agora tem previsão de ser lançada em 2021. Essa caixa CVT também poderá equipar os carros com os motores 1.0 turbo e 1.3 turbo da família Firefly. (Eduardo Rodrigues)

 

Este é o Dodge Viper mais rápido do planeta

Quem disse que você precisa de dezesseis cilindros e quatro turbos para fazer um carro de rua passar dos 400 km/h? Foi a Bugatti quem disse? Bobagem! Este Dodge Viper faz o mesmo “só” com dez cilindros e dois turbos!

Falando sério: este carro azul aí em cima é o novo Viper mais veloz do mundo, legalizado para as ruas. Seu proprietário foi quem teve a ideia de testar suas capacidades, levando o carro para a pista de pouso de Johnny Bohmer Proving Grounds, que fica no Centro Espacial Kennedy, nos EUA. O local já foi usado para realizar testes em ônibus espaciais, para se ter ideia.

Ao longo de 4,3 km de concreto, o Dodge Viper foi capaz de acelerar do zero até os 406,5 km/h. Para isto, o carro conta com mais de 1.400 cv no motor V10 biturbo de 8,5 litros, acoplado a uma caixa manual de seis marchas que leva a força só para as rodas traseiras. Para se ter ideia, o Bugatti Veyron tinha tração nas quatro rodas e câmbio de dupla embreagem – e a velocidade máxima declarada pela fabricante era de 407 km/h. É claro que o peso também conta: o Veyron pesava 1.888 kg, enquanto o Viper em questão tem bem mais esbeltos 1.578 kg.

As informações vêm da própria administração do complexo de Johnny Bohmer Proving Grounds, que postou o vídeo em seu canal do Youtube. Segundo eles, o recorde anterior pertencia a outro Dodge Viper biturbo que, em 2001, chegou aos 397 km/h nas planícies de sal de Bonneville. (Dalmo Hernandes)

 

Novo Mercedes-Benz Classe S é flagrado sem disfarces

Nesta que parece a temporada dos flagras dentro de fábricas, eis mais um: o novo Mercedes-Benz Classe S, que deve revelado ainda este ano (com as vendas começando em 2021). Até agora havíamos visto fotos do carro camuflado, mas agora o perfil @cochespias no Instagram conseguiu uma imagem do sedã sem disfarces – e sem capô.

Ao que parece a foto foi tirada de longe, mas agora podemos ter uma noção melhor das novas formas. A dianteira, pelo visto, vai adotar faróis mais horizontais e afilados, enquanto a grade dianteira aparentemente ficará maior e mais alta. Já a lateral, como ocorre na geração atual, conserva as formas sóbrias e a linha reta na base da área envidraçada.

Vale lembrar que o interior do novo Mercedes-Classe S também já foi fotografado – e, ainda que boa parte de suas superfícies esteja coberta nas fotos, é possível ver o generoso quadro de instrumentos digital e a enorme tela no console central. Suspeitamos que é questão de tempo até que novos detalhes e fotos apareçam. (Dalmo Hernandes)

 

Alpine A110 SportsX é o mais novo carro de rali à moda antiga

Você lembra que o Alpine A110 foi o primeiro campeão do WRC, em 1973, não lembra? Pois então, depois do New Stratos e do Bentley Continental de rali, agora o Alpine A110 ganhou uma versão off-roader com suspensão elevada e pneus mistos.

O conceito é baseado no A110 Pure, com suspensão elevada em 60 mm e bitolas 80 mm mais largas. O motor é o mesmo 1.8 turbo da versão produzida em série, com 250 cv e 32,9 kgfm. O modelo ainda ganhou protetores dos para-lamas e um rack de esqui.

Infelizmente ele é apenas um conceito criado para o International Automobile Festival de Paris, mas, se serve de consolo, o A110 Rally — que tem modificações mais extensas que este conceito, como o motor de 300 cv, gaiola homologada pela FIA, freios Brembo e amortecedores ajustáveis — começará a ser entregue nas próximas semanas. Caso você não lembre, o A110 original foi um dos carros mais vitoriosos de sua época, sendo o primeiro campeão do WRC, em 1973, e o carro com a qual Michelle Mouton começou a competir na metade dos anos 1970. (Leo Contesini)

 

Volvo XC60 e XC90 híbridos ganham versões mais baratas

A Volvo anunciou nesta semana o início das vendas dos SUVs XC60 e XC90 híbridos na versão Momentum, de entrada, custando R$ 259.950 e R$ 335.950, respectivamente. Até agora, a tecnologia híbrida só estava disponível a partir das versões R-Design e Inscription, que no caso do XC60 custavam R$ 299.950 e, para o XC90, partiam de R$ 409.950.

Resumindo: para comprar um XC60 híbrido agora pode-se desembolsar R$ 40.000 a menos, enquanto o XC90 híbrido ficou R$ 74.000 mais acessível. Em ambos os casos, a opção pelo conjunto híbrido está disponível apenas para a motorização T8, que no XC60 corresponde a um motor 2.0 turbo mais um motor elétrico que, juntos, entregam 320 cv. O XC90 T8 híbrido é mais potente: nele, estamos falando de 407 cv. Em ambos os casos o câmbio é um ZF automático de oito marchas.

Tanto o XC60 Momentum quanto o XC90 Momentum oferecem um bom conjunto de itens de série, incluindo cruise control adaptativo, assistente de permanência em faixa, frenagem de emergência com detecção de pedestres e animais, ar-condicionado automático digital, central multimídia com touchscreen vertical de 9 polegadas, teto solar panorâmico, porta-luvas refrigerado e assistente de estacionamento. (Dalmo Hernandes)

 

Kia Sorento é flagrado sem disfarces faltando menos de um mês para o lançamento

A quarta geração do Kia Sorento foi flagrada sem disfarces, revelando não só o desenho do exterior quanto o interior. O crossover médio adota um estilo mais agressivo e esportivo, seguindo o estilo dos carros de passeio da marca e distanciando do SUV grande Telluride. O interior recebe central multimídia com tela flutuante no topo do painel, assim como os carros mais recentes da marca.

Flagras anteriores revelaram que a Kia estava usando o BMW X5 como referência para o novo Sorento, portanto é de se esperar que a qualidade dos materiais do interior e a rodagem se aproximem de SUV de luxo. A gama de motores oferecidos deverá ser igual a do Hyundai Santa Fé, com motores 2.0 turbo e 2.2 turbodiesel para o mercado europeu e 2.4 aspirado e o V6 3.8 para o mercado americano.

A nova geração do Sorento tem lançamento mundial confirmado para o dia 17 de fevereiro, o Brasil deverá receber o crossover dentro de um ano. Para o Brasil deverá vir apenas a versão com motor V6, só esperamos que não repita o preço exorbitante do irmão Santa Fé. (Eduardo Rodrigues)

Matérias relacionadas

Mercedes lança C300 perua no Brasil, o trailer da nova temporada de “The Grand Tour”, McLaren usará tração integral e motores elétricos e mais!

Leonardo Contesini

Eis os erros mais típicos de pilotagem no track day – parte 1 | FlatOut Driving Academy

Juliano Barata

Miura SVR, 1 de 1: quando a Lamborghini fez um supercarro de pista original de fábrica

Dalmo Hernandes