FlatOut!
Image default
Car Culture

O guia de versões especiais do Golf GTI (e R)– Parte 2: Mk3 e Mk4

Depois de conhecermos as nove edições especiais das duas primeiras gerações do Golf GTI, chegou a hora de avançarmos para as duas gerações seguintes, conhecidas popularmente como Mk3 e Mk4.

Lançada no final de 1991, a terceira geração do Golf ganhou a versão esportiva GTI logo nos primeiros meses de mercado, porém ainda com o motor 2.0 de oito válvulas e 115 cv. No ano seguinte veio a versão com quatro válvulas por cilindro, o que ajudava a potência a chegar aos 150 cv. Estas duas motorizações foram a base das duas edições especiais do GTI na terceira geração, o GTI Edition e o GTI Edition 20 Jahre.

Em 1998 veio a quarta geração, com uma nova plataforma e novos motores de quatro e seis cilindros para o GTI. O primeiro era um 1.8 turbo com cinco válvulas por cilindro e dois níveis de potência — 150 cv e 180 cv, enquanto o segundo era um VR6 de 2,8 litros e 204 cv, que já havia sido usado em um protótipo na geração anterior.

Esses três motores também foram a base das cinco edições especiais desta geração.Vamos conhecer todas elas a seguir.

 

Golf GTI Edition – Mk3 – 1994

A primeira edição especial do Golf GTI de terceira geração foi lançada em 1994 com o confuso nome Golf GTI Edition. Por conta disso, há poucas informações disponíveis sobre ele, uma vez que muitos proprietários pensam se tratar da edição GTI do Golf 3.

O que sabemos concretamente é que o GTI Edition era equipado com o volante de quatro raios, vidros verdes, computador de bordo, ar-condicionado digital Climatronic, bancos esportivos da Recaro com revestimento exclusivo — preto com motivo vermelho em 1994 e preto com padrão verde e azul estampado nos modelos 1995 e 1996. O modelo podia ser equipado com airbag simples ou duplo.

A suspensão também era mais baixa e mais firme, e o visual era o mesmo do Golf GTI 16v, com frisos de plástico preto nos para-lamas, laterais e para-choques. As rodas tinham 15 polegadas de diâmetro e o comprador podia escolher entre as Speedline 2110 ou as BBS RN, ambas calçando pneus 205/50. Além disso, o que o diferenciava do GTI 16V convencional era o emblema GTI-Edition na parte posterior do borrachão lateral, onde nos outros fica um emblema GTI comum.

Infelizmente não consegui encontrar quantas unidades foram fabricadas, mas a proporção de GTI Edition anunciados atualmente me leva a crer que foram 1.000 ou mais.

 

Golf GTI Edition Air – Mk3 – 199?

Não foi erro de digitação não: em algum momento dos anos 1990 a Volkswagen aparentemente lançou o Golf GTI Edition Air. Infelizmente, não há informação sobre ele na internet. Todos os registros online estão em sites de classificados da Itália e em uma mini-galeria de três imagens publicada pela revista Quattroruote.

Não podemos dizer muito com base nestas fotos, mas elas mostram um GTI com rodas de 15 polegadas de aço com calotas, o que me leva a pensar em uma versão espartana como houve na segunda geração com o GTI Match.

 

Golf GTI Edition 20 Jahre – Mk 3 – 1996

Quando o Golf GTI completou 20 anos, em 1996, a Volkswagen lançou uma edição especial comemorativa para marcar a passagem das duas décadas. O modelo tinha inspiração no GTI Mk1 de 1976, usando revestimento dos bancos com tecido xadrez, cintos de segurança vermelhos, coifas e volante com revestimento de couro e costuras vermelhas, manopla de câmbio com o formato de bola de golfe.

Os paineis da porta também tinham revestimentos de couro, enquanto o fundo dos instrumentos era prateado. O botão de destravamento do freio de estacionamento era vermelho, assim como o contorno dos tapetes.

Por fora, ele tinha o mesmo visual do GTI 16 válvulas, porém ganhava um filete vermelho nos para-choques e borrachões laterais. As rodas BBS RS 722 tinham 16 polegadas de diâmetro e 7,5 polegadas de largura, calçadas as quatro em pneus 215/40.

Sob o capô ele poderia ter o motor 2.0 de oito válvulas, 115 cv e 16,9 kgfm, o motor 2.0 16 válvulas de 150 cv e 18,3 kgfm, ou ainda um inusitado 1.9 turbodiesel com injeção direta, com 110 cv e 23,9 kgfm, que ficou conhecido como GTI TDI.

Havia apenas três opcionais para o GTI Edition 20 Jahre: teto solar elétrico, ar-condicionado e pintura metálica preta.

Foram feitas apenas 1.000 unidades do GTI Edition 20 Jahre, das quais 600 com o motor 2.0 8v, 150 com o 2.0 16v e 250 com o motor 1.9 TDI.

 

Golf GTI Edition Colour Concept – Mk 3 – 1997

Em 1997 o GTI ganhou mais uma versão especial. Batizada “GTI Edition Colour Concept” ela era baseada na versão Edition — tanto mecanicamente quanto esteticamente — mas dava um passo à frente em termos de acabamento interno.

O nome Colour Concept é uma referência ao estilo adotado pela série especial: a combinação da cor da carroceria com detalhes do interior. Os bancos ainda eram Recaro, mas agora revestidos de couro preto nas laterais com couro na mesma cor do carro na porção central dos assentos e encostos. As cores disponíveis eram amarelo “Yellow”, azul “Jazzblue”, vermelho “Flashrot”, verde “Salsa Green” e preto “Black Magic”.

O volante e as coifas também eram de couro colorido com costuras na cor da carroceria e do couro dos bancos, assim como a forração superior dos paineis das portas. O quadro de instrumentos era compartilhado com o GTI 20 Jahre, usando um fundo prateado para os mostradores.

 

 

Por fora, além da pintura exclusiva, eles tinham os para-choques e borrachões do GTI 16 válvulas, além do emblema GTI pintado na cor da carroceria e com contorno preto, e rodas “Solitude” de 15 polegadas de diâmetro. Foram feitas 1.000 unidades de cada cor, contudo nem todos eram GTI: a Colour Concept também era oferecida nas versões Cabriolet e Variant.

 

Golf GTI 25 Jahre Edition – Mk 4 – 2001

Em 1998 o Golf chegou à sua quarta geração, mas o primeiro especial só saiu em 2001 para comemorar os 25 anos do GTI. Novamente o GTI original foi a inspiração e, por isso, ele era oferecido somente nas cores vermelho “Tornado Red”, prata “Reflex Silver” e preto “Diamond Black”.

O motor era sempre o 1.8 turbo de 180 cv e 23,9 kgfm combinado ao câmbio manual de seis marchas (02M), capaz de levar o GTI 25 Jahre de zero a 100 km/h em 7,9 segundos e à máxima de 222 km/h.

Esteticamente era diferenciado pelas saias laterais, dianteira e traseira, rodas BBS RC 326 de 18 polegadas com pneus 225/40, pinças de freio vermelhas, freios dianteiros de 312 mm e suspensão rebaixada (e recalibrada).

Por dentro os bancos eram da Recaro, o acabamento tinha detalhes de alumínio escovado e, claro, pomo do câmbio em formato de bola de golfe. O modelo jamais foi oferecido com teto solar para manter a ligação com o GTI Mk1 e aumentar a rigidez à torção.

 

Golf GTI 337 Edition – Mk4 – 2002

Como o GTI chegou aos EUA somente em 1983, não faria muito sentido lançar uma edição de 25 anos em 2001. Por isso, a Volkswagen o vendeu como 337 Edition no mercado norte-americano.

Ele usava o mesmo conjunto mecânico, as mesmas rodas BBS RC 326 e todos os demais detalhes do 25 Jahre, exceto a paleta de cores, que eliminava o vermelho e o preto e mantinha apenas o prata. Outra diferença para os 25 Jahre é que o 337 Edition podia ser equipado com teto solar opcionalmente. Foram feitas apenas 1.500 unidades para os EUA e 250 para o Canadá.

 

Golf GTI VR6 – Mk 4 – 2003

No começo de 2003 a Volkswagen do Brasil anunciou uma série limitada do GTI com o motor VR6 de 2,8 litros e 200 cv importado da Alemanha e câmbio manual de seis marchas. A versão era o topo da linha GTI no Brasil e foi oferecida somente com duas portas e pintura preta ou prata.

Além da mecânica, ele tinha detalhes aerodinâmicos e estéticos para diferenciá-lo: por fora o GTI VR6 tinha um body kit diferenciado, com novo spoiler dianteiro e saias laterais, além de rodas “Long Beach” de 17 polegadas, e os emblemas GTI no lado esquerdo da porta do bagageiro, e VR6 no lado direito.

No interior, o volante de couro tinha costuras vermelhas, bem como as coifas da alavanca de câmbio e do freio de mão. Os pedais tinham base de alumínio e havia uma plaqueta de numeração acima do rádio  Monsoon 2 DIN com CD player e toca fitas que era reservado aos modelos de exportação. A manopla do câmbio tinha o tradicional formato de bola de Golfe.

Apesar dos 20 cv a mais e do câmbio de seis marchas (e do valor 57% mais caro), o GTI VR6 não era superior ao GTI turbo em desempenho. A aceleração de zero a 100 km/h era 7,7 km/h e a velocidade máxima ficava nos 209 km/h — o turbo acelerava em 7,8 segundos e chegava aos 227 km/h.

O carro foi oferecido em série limitada a 99 unidades, e eles foram vendidos somente por encomenda feita site da Volkswagen ou pela central de atendimento telefônico da marca. Dizem que a Volkswagen não comercializou as unidades 13 e 24 por suas referências culturais no Brasil — número do azar e número do veado no jogo do bicho —, mas aparentemente trata-se de um boato sem muito fundamento, uma vez que tanto o modelo 013/099 quanto o 024/099 já foram exibidos publicamente na internet.

 

Golf GTI 20th Anniversary Edition – Mk 4 – 2003

Foi somente em 2003 que o Golf GTI completou 20 anos no mercado americano e finalmente ganhou uma edição de aniversário por lá. O modelo era baseado no 337 Edition (e no 25 Jahre Edition), porém tinha uma série de diferenças estéticas e no pacote de equipamentos.

As diferenças mais marcantes eram as rodas BBS RC, que deram lugar às OZ Aristo de 18 polegadas. Depois, a paleta de cores tirou o prata e incluiu o amarelo “Imola Yellow”, o azul “Jazz Blue” e o preto “Black Magic Pearl”. Na grade, o emblema GTI ganhou a cor vermelha, enquanto na traseira ele recebeu um emblema em forma de coelho como referência ao apelido original do GTI nos EUA, Rabbit.

Os faróis tinham máscara negra e os para-choques e as laterais ganhavam novas saias, enquanto a suspensão era rebaixada em 30 mm e recalibrada. Os discos de freio tinham 312 mm na dianteira e 261 mm na traseira.

Todos os 20th Anniversary Edition tinham teto solar, forro de teto preto, volante de couro preto com costura prateada, manopla do freio de mão revestida de couro perfurado e tecido preto nos bancos Recaro, também com costuras prateadas. O interior era completado pelo sistema de áudio premium Monsoon com oito alto-falantes e com detalhes de alumínio escovado, incluindo a plaqueta de numeração do modelo. O único opcional era o controle de estabilidade.

Foram feitos 4.200 exemplares do 20th Anniversary Edition, dos quais 4.000 foram para os EUA e 200 para o Canadá. Quanto às cores, 2.100 deles eram pretos, 1.050 azuis e 1.050 amarelos.

 

Golf R32 – Mk 4 – 2003

Para marcar a despedida do Golf de quarta geração a Volkswagen pegou o modelo de duas portas e colocou nele todos os itens de luxo, performance e segurança disponíveis em suas prateleiras, e depois aumentou o deslocamento do VR6 de 2,8 para 3,2 litros, incluiu coletor de admissão variável e variadores de fase nos comandos de admissão e escape. O resultado foi um aumento de potência de 204 para 241 cv.

Para lidar com a nova potência, a Volkswagen instalou um sistema de tração integral Haldex que distribuía a força às rodas traseiras apenas sob demanda. Com isso a suspensão traseira trocava o eixo de torção por um sistema independente, com braços sobrepostos. Com o câmbio DSG de seis marchas (o primeiro na história do Golf) ele acelerava de zero a 100 km/h em 6,6 segundos (6,4 segundos com o DSG) e máxima de 245 km/h. Era o mesmo arranjo de motor, câmbio, tração e suspensão do Audi TT 3.2.

Externamente ele se diferenciava dos demais por seu bodykit exclusivo, com spoiler dianteiro e traseiro, saias laterais, emblemas R32 na grade dianteira e na traseira, discos de freio de 334 mm, pinças de freio pintadas de azul brilhante (em referência às cores da Volkswagen R), teto solar de vidro (na versão americana), faróis de xenônio (na versão Europeia) e rodas OZ Aristo de 18 polegadas.

No lado de dentro, ele usava bancos esportivos König com revestimento de couro e o emblema R bordado no encosto, além do ar-condicionado eletrônico Climatronic, revestimento de couro nas portas, rádio multimídia, detalhes de metal escovado no console central, nas portas e no painel, e acabamento de metal com o logotipo da Volkswagen Racing no falso-pedal de apoio para o pé esquerdo.

A paleta de cores tinha quatro opções de cores, preto perolizado “Black Magic Pearl”, azul perolizado “Deep Blue Pearl”, prata “Reflex Silver” e vermelho “Tornado Red”. Nem todas estavam disponíveis em todos os mercados do R32. Os europeus e australianos tiveram o R32 somente em preto, azul e prata, enquanto os americanos tinham as quatro cores disponíveis.

No total foram feitas 5.000 unidades do R32, das quais 200 foram para a Austrália e as outras 4.800 foram distribuídas entre EUA e Europa.