A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture História Projetos Gringos

O Mazda MX-5 Miata cupê que a gente sempre quis existiu mesmo

A imagem de diversão a céu aberto do Mazda MX-5 Miata não existe por acaso: poucos carros oferecem uma relação tão boa entre custo, benefício e diversão quanto o pequeno roadster japonês. Quer dizer, desde que você more nos EUA, na Europa ou no próprio Japão. Em 2015, o Miata ganhou uma nova geração, a quarta desde 1989. As impressões na mídia especializada tem sido bem positivas — afinal, a receita não mudou nada e o carro ainda ficou mais leve. Reclamar de quê? Talvez da ausência de uma versão de teto fechado — um Miata cupê. Desde sempre, entusiastas no mundo todo não conseguem ver um roadster bacana sem desejar que fosse um cupê. Às vezes os desejos dão certo — o Dodge Viper nasceu como um roadster e o cupê só veio alguns anos depois; o BMW M Coupe é uma rara e desejada versão do roadster Z3; e, bem, o Jaguar F-Type conseguiu ficar ainda mais sexy depois que ganhou uma carroceria cupê fastback. Então por que o Miata, que é um roadster tão legal, jamais teve um

Matérias relacionadas

Por que os carros da Daimler-Benz se chamam Mercedes?

Leonardo Contesini

1.000 cv, 10.000 rpm e dois metros de largura: confira a insanidade sonora deste Pontiac Trans Am 1970

Dalmo Hernandes

Mergulhe no universo paralelo das máquinas de arcade soviéticas

Dalmo Hernandes