A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

O novo Sandero, Williams fora da Williams, a volta do Volvo P1800 e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Brabham apresenta versão de rua do BT62 com o V8 aspirado mais potente já feito

Depois de dois anos desde o lançamento do BT62, a Brabham Automotive está lançando a versão de rua de seu supercarro. Batizada BT62R (R de “road”), ela vai além das conversões existentes atualmente para legalizá-lo para as ruas, e leva a potência do V8 Ford Modular aos 710 cv em vez dos 700 cv das versões de pista oferecidas até agora — o que faz dele o V8 aspirado mais potente do mundo em um carro de série.

Além do motor pouco mais potente, ele também ganhou um sistema de suspensão ajustável de acordo com o modo de condução, abafadores de escape, ar-condicionado, para-brisa térmico, sistema de áudio, splitter frontal e difusor traseiro redesenhados para lidar com os pequenos obstáculos das ruas e estradas, além de novos bancos mais confortáveis que os bancos concha e, claro, pneus de rua.

 

Acho que nem seria preciso dizer, mas, sendo uma versão de rua, ele também tem sistema de travamento remoto das portas, todo o conjunto óptico obrigatório para licenciamento e homologação, retrovisores, quadro de instrumentos digital e câmera de ré.

O BT62R ainda é oferecido nas versões Signature Series (personalizada pelo cliente) e Celebration Series, que tem logotipos e emblemas folheados com ouro 18 quilates, interior de fibra de carbono e, ironicamente, um pacote voltado para a pista, com asa traseira, splitter e difusor exclusivos.

Segundo a Brabham, o primeiro dos BT62R será entregue ainda neste mês de setembro. (Leo Contesini)

 

Volvo P1800 ganha série limitada de 420 cv da Cyan Racing

A atual divisão de competição da Volvo (e da Geely), Cyan Racing, apresentou nesta última quarta-feira (2) uma versão modernizada de 420 cv do clássico Volvo P1800. Parece que a Volvo deixou um pouco de lado aquele papo politicamente correto de bancos veganos, motores elétricos, e fez o que sabe fazer de melhor: um bom motor turbo de alto desempenho em um carro elegante. E o melhor de tudo é que ele será vendido em uma pequena série limitada.

Idealizado como uma versão de continuação do clássico da Volvo, o P1800 tem seu motor 1.8 original trocado por um novo 2.0 turbo, o mesmo usado no Volvo S60 TC1 de competição, capaz de girar 7.770 vezes por minuto para produzir 414 cv e 46,3 kgfm. O motor é combinado a um câmbio de cinco marchas da Hilinger que, segundo a Cyan Racing, visa proporcionar o mesmo “feeling mecânico” do P1800 original. A tração continua na traseira, porém o eixo rígido do P1800 deu lugar a um arranjo multilink totalmente ajustável, feito especialmente para este projeto. Além disso, o diferencial traseiro tem deslizamento limitado.

Se você achou a carroceria um pouco diferente, não foi impressão sua: a inclinação do para-brisa e a curva do teto foram modificados, assim como os arcos dos para-lamas e a largura da carroceria — mudanças necessárias para acomodar o novo conjunto mecânico. A carroceria também foi reforçada com ligas metálicas de alta resistência, enquanto a suspensão usa elementos de alumínio e o chassi recebeu reforços de fibra de carbono. O resultado foi um peso total de 950 kg — 150 kg a menos que o original dos anos 1960.

 

As rodas, claro, também foram modernizadas e agora medem 18 polegadas de diâmetro, permitindo a instalação de discos de freio maiores, com pinças de quatro pistões.

Infelizmente a Cyan não divulgou quantas unidades serão produzidas, mas já anunciou que cada uma delas custará US$ 500.000. (Leo Contesini)

 

Família Williams não terá mais envolvimento com a equipe Williams

No final de agosto a Williams F1 anunciou sua venda para o grupo de investimentos americano Dorilton capital. Na ocasião, contudo, não ficou claro se a família Williams continuaria envolvida com a equipe. Agora, a própria Claire Williams veio a público anunciar que deixará seu cargo de chefe da equipe após o GP da Itália, e que nenhum outro membro da família irá ocupá-lo ou terá envolvimento com a equipe.

Em sua declaração, Claire Williams diz que esperava continuar à frente da equipe por muito tempo, mas que a necessidade de encontrar investidores resultaram na venda da equipe e que, agora, eles deixarão o comando da Williams para dar aos novos proprietários “um novo recomeço” para que eles possam “preservar o nome e o legado da família Williams”.

Para muitos, a venda da Williams era inevitável, já que a única alternativa a isto era o fechamento da equipe, o que não faria muito sentido quando se fala de uma empresa que desenvolve tecnologias para automóveis e automobilismo. De qualquer forma, a saída de Frank Williams e sua filha Claire encerram uma era na Fórmula 1. Ele era o último remanescente dos garagistas dos anos 1960, foi o primeiro a profissionalizar a equipe de Fórmula 1 ainda nos anos 1970 e não abandonou suas atividades nem mesmo após o acidente que o deixou tetraplégico.

Frank Williams entrou na Fórmula 1 em 1969 com sua primeira equipe, a Frank Williams Racing Cars, que acabou vendida à Wolf em 1976. No ano seguinte, ele fundou a Williams Grand Prix Engineering com Patrick Head e, logo em 1978, conseguiu um investimento milionário jamais visto na F1 com a família real saudita. Desde então a Williams conquistou nove títulos de construtores, sete de pilotos, 114 vitórias e 312 pódios. (Leo Contesini)

 

Porsche Cayenne Coupe ganha novas versões no Brasil

A Porsche anunciou ontem (2) a chegada de duas novas versões do Cayenne Coupé ao Brasil – E-Hybrid e Turbo, que vêm se juntar ao Cayenne Coupé Turbo S E-Hybrid.

O Cayenne Coupé E-Hybrid, que é um híbrido plug-in, vem para ser a versão de entrada do modelo em nosso País. Ele é equipado com um V6 turbo de três litros e 340 cv, mais um motor elétrico que, alimentado por uma bateria de 14,1 kWh, entrega 136 cv. Com potência combinada de 462 cv, o Cayenne Coupé E-Hybrid vai de zero a 100 km/h em cinco segundos – e tem autonomia elétrica de 44 km. Custa R$ 495.000.

O Cayenne Coupé Turbo, por sua vez, tem um V8 biturbo de quatro litros e 550 cv, tornando-se a única versão não-híbrida disponível. Ele é capaz de ir de zero a 100 km/h em 3,9 segundos e atingir a velocidade máxima de 286 km/h. Posicionado como intermediário da gama, o Cayenne Coupé Turbo custa a partir de R$ 789.000.

Com isto, o Turbo S E-Hybrid é agora a versão de topo. O híbrido plug-in usa o motor V8 biturbo de quatro litros mais um motor elétrico para atingir os 680 cv, que o levam de zero a 100 km/h em 3,8 segundos e garantem velocidade máxima de 295 km/h. Seu preço parte de R$ 956.000. (Dalmo Hernandes)

 

Hennessey anuncia versão 6×6 da Ram 1500 TRX

Uma das poucas certezas que temos na vida: sempre que um novo esportivo é lançado nos EUA, a Hennessey Performance não demora para anunciar um kit de preparação para ele. Com a Ram TRX, apresentada há poucas semanas, não foi diferente – pelas mãos da preparadora, a picape com motor Hellcat de 712 cv ganhará uma conversão para 6×6.

Sim, seis rodas e tração em todas elas. Batizada “Mammoth 6×6”, a Ram TRX da Hennessey terá um eixo traseiro extra, caçamba devidamente alongada e o motor V8 Hellephant, que é uma versão de sete litros e mais de 1.200 cv do Hellcat. Para acompanhar a notícia, a Hennessey publicou uma projeção simples de como a Mammoth 6×6 deverá ficar.

A Hennessey não deu mais detalhes, dizendo apenas que serão feitas só três unidades – e que aceitará encomendas a partir de amanhã. (Dalmo Hernandes)

 

BMW S1000 RR Motorsport chega ao Brasil por R$ 118.750

A BMW Motorrad anunciou no início da semana uma novidade bem interessante para o Brasil: sua primeira moto com equipamentos da divisão Motorsport.

Equipada com o chamado Pacote M, a superesportiva ganha rodas de fibra de carbono, bateria de íon de lítio (para reduzir peso), banco esportivo e suspensão traseira com balança e amortecedor ajustáveis. Além disso, a S1000 RR ganha pintura especial nas cores da divisão M, não disponível na versão “normal” da moto.

De acordo com a BMW, com a bateria e as rodas do pacote, a S1000 RR chega aos 193,5 kg – uma redução de 3,5 kg. A moto ainda ganha um modo de condução extra, chamado Pro Mode, voltado para uso em pista. Com ele, o condutor pode ajustar até três submodos diferentes (Race Pro 1, 2 e 3) com seus próprios parâmetros. Os outros modos – Rain, Road, Dynamic e Race – continuam presentes, bem como os sistemas de controle de tração, anti-empinamento e quick-shifter (que dispensa o uso da embreagem em reduções e trocas ascendentes).

O motor continua o mesmo: um quatro-cilindros de 999 cm² com 207 cv a 13.500 rpm e 11,5 kgfm a 11.000 rpm, acoplado a um câmbio de seis marchas.

A BMW S1000 RR Motorsport custa R$ 118.750 – exatos R$ 20.000 a mais que o modelo sem o Pacote M. (Dalmo Hernandes)

 

Dacia divulga teasers dos novos Sandero, Logan e Stepway

A nova geração de compactos da Dacia/Renault é esperada para o ano que vem na Europa – Sandero, Logan e Stepway devem ser renovados por completo em 2021. E a Dacia já divulgou o primeiro teaser no Twitter oficial do Grupo Renault para a Europa.

O breve clipe diz que os três modelos estão a caminho, e mostra suas silhuetas. Mas um detalhe chamou nossa atenção: enquanto Logan e Sandero escondem muito bem seus detalhes, é possível ver os faróis e grade do Stepway, que não foram apagados por completo.

Aumentando o brilho da imagem podemos ter certa noção de como a dianteira do Stepway ficará. Nota-se que grade e faróis ficam em uma posição mais baixa, sendo que os faróis têm um formato mais afilado.

Ficamos nos perguntando se foi um detalhe proposital, para despistar, ou um erro que passou despercebido pela equipe de publicidade da Dacia. Em todo caso, o visual do carro parece alinhado com os flagras que vêm sendo feitos nos últimos tempos.

Vamos ficar atentos, pois agora não deve demorar para que apareçam as primeiras imagens – oficiais ou “vazadas” – para tirar a dúvida. (Dalmo Hernandes)

 

Peugeot 5008 é reestilizado com nova identidade visual da marca

A Peugeot mostrou na Europa o novo 5008 reestilizado. As mudanças concentram-se na dianteira, que ganha novos faróis e grade para alinhar-se à atual identidade visual da Peugeot, iniciada com o novo 208 – ou seja, uma grade maior e faróis com faixas verticais de LED que invadem o para-choque. As lanternas traseiras també ganham novos elementos internos, agora em full LED.

Por dentro há novas telas para o quadro de instrumentos de 12,3 polegadas e para a central multimídia, além de novas opções de acabamento para painel, revestimentos de porta e bancos.

Embora seja uma mudança leve, deverá ser o bastante para dar ao 5008 mais algum tempo – até porque o design do utilitário já era bem atual – antes da chegada da nova geração, prevista para 2022. No Brasil, a chegada do Peugeot 5008 reestilizado é esperada para o ano que vem. (Dalmo Hernandes)

Matérias relacionadas

Tractor Pulling: quando os tratores saem do campo e (quase) se transformam em dragsters

Dalmo Hernandes

Schumacher tem momentos de consciência, Ferrari ameaça deixar a F1 (de novo), a cara nova do Ford Focus e mais!

Leonardo Contesini

Se a Volkswagen tivesse feito uma Parati GT, ela seria mais ou menos assim

Dalmo Hernandes