FlatOut!
Image default
Lançamentos

Os lançamentos mais esperados de 2021


À primeira vista, o ano de 2021 parece não guardar muitas novidades para o mercado brasileiro. A impressão é que as fabricantes vão apostar mais em reestilizações e novos motores. Mas não é bem assim: novos modelos importantes farão sua estreia no Brasil em 2021.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: 30% OFF na loja durante a 3ª temporada do Goodguys, acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, participação no nosso grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!). Exponha ou anuncie até sete carros no GT40 e ainda ganhe descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$ 26,90 / mês

ou

Ganhe R$ 53,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura básico. 15% OFF na loja durante a 3ª temporada do Goodguys, acesse todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de poder expor ou anunciar até três carros no GT402.

R$ 14,90 / mês

ou

Ganhe R$ 29,80 de
desconto no plano anual
(pague só 10 dos 12 meses)

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Não é surpresa que boa parte destas novidades esteja no segmento dos SUVs – o segmento intermediário, onde o Jeep Compass é soberano, vai ganhar opções fortes da Toyota e da Volkswagen. E a própria Volkswagen vai enfrentar a concorrência da Fiat, que finalmente terá um SUV legítimo em nosso país.

Confira a seguir estes e outros lançamentos que aguardamos para este ano!

 

Toyota Corolla Cross

O SUV do Corolla é a grande aposta da fabricante para os próximos anos – a Toyota sabe que o segmento dos sedãs médios já não tem a mesma força de antes. Muito mais apetitosa é a fatia do mercado na qual o Jeep Compass reina.

Revelado na Tailândia em 2020, o Corolla Cross utiliza a mesma plataforma TNGA-C que o Corolla sedã, e também será vendido com motor 2.0 aspirado de 177 cv ou o 1.8 flex com tecnologia híbrida e 123 cv. Até o momento, é dado como certo seu lançamento em março de 2021.

A Toyota deverá dar ao Corolla Cross versões equivalentes às do sedã, porém com outros nomes: a XR, equivalente à GLi; XRE no lugar da XEi e XRX no lugar da Altis Premium. Apenas a versão Altis terá o mesmo nome tanto no Corolla Cross quanto no Corolla. Além disso, diferentemente do que ocorre com o sedã, o SUV não terá opção pelo conjunto híbrido na versão intermediária – apenas a partir da Altis.

O Corolla Cross tem 4,46 metros de comprimento, 1,82 m de largura e 2,64 m de entre-eixos – este, exatamente o mesmo do Compass.S eu porta-malas oferece 487 litros de capacidade, ou 440 litros com o estepe (do tipo mais fino). O porta-malas do Compass comporta 410 litros.

Além do Jeep Compass, o Corolla Cross também terá de encarar o Volkswagen Taos, outro lançamento esperado para o ano que vem. Sendo assim, projeta-se que ele vá custar algo entre R$ 130.000 e R$ 170.000. O Compass, para efeito de comparação, parte dos R$ 136.000 na versão de entrada e segue até os R$ 220.000. O Corolla Cross mira nas versões mais simples do Compass. O Corolla sedã parte de R$ 123.000 e passa dos R$ 150.000 na versão de topo, a Altis Premium com motor 1.8 híbrido. Desta forma, quem for comprar um Toyota novo não precisará desembolsar muito mais para trocar o sedã pelo SUV.

 

Volkswagen Taos

O Volkswagen Taos é a aposta dos alemães no mesmo segmento. Posicionado acima da dupla T-Cross e Nivus e abaixo do Tiguan Allspace, o Taos é uma alternativa mais barata ao Tiguan de cinco lugares. Desenvolvido para mercados emergentes, o Taos já estreou na China (onde se chama Tharu e tem uma dianteira diferente) e começou nesta semana a ser fabricado no México para abastecer a América do Norte. O Taos vendido no Brasil será produzido na Argentina e terá visual diferente da versão chinesa.

Feito sobre a consagrada plataforma MQB, o Taos tem exatamente os mesmos 4,46 metros de comprimento que o Corolla Cross, mas possui entre-eixos 4 cm maior, com 2,68 m, além de 1,84 m de alrgura e 498 litros de porta-malas.

Sem surpresa, o Taos virá equipado com o motor 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 kgfm de torque que é usado em uma série de modelos da VW, sempre com câmbio automático de seis marchas com aletas para troca de marcha – item disponível em todas as versões.

Com preço estimado em R$ 120.000 a R$ 150.000, o Volkswagen Taos irá combater agressivamente Compass e Corolla Cross, além de representar uma possível alternativa ao Jetta – que, na geração atual, parte de R$ 137.000 e não alcançou o mesmo prestígio do modelo antigo.

 

Ford Bronco Sport

A Ford anunciou o encerramento de suas atividades como fabricante no Brasil, e sinalizou que tornará-se uma importadora. E, entre os lançamentos futuros, está o Bronco Sport, SUV monobloco retrô que foi lançado nos EUA como complemento ao Bronco full size.

Sua chegada ao Brasil é dada como certa para 2021, mas a data exata é um mistério. Bem como seu posicionamento no mercado: relatos iniciais, em 2020, falavam em algo entre R$ 150.000 e R$ 215.000. Porém, informações mais recentes apuradas pelo Uol Carros dizem que o Bronco Sport ficará posicionado bem acima do Territory, que atualmente parte de R$ 180.000.

Fabricado no México, o Bronco Sport tem sua plataforma compartilhada com o Ford Escape, e virá ao Brasil com motor 2.0 turbo Ecoboost de 248 cv – o mesmo usado pelo Ford Fusion. Isto reforça a ideia de que ele será importado ao Brasil nas versões mais caras, com lista de equipamentos mais generosa e maior capacidade off road.

 

Honda City

A Honda é mais uma entre as várias marcas que estão mexendo em suas linhas no Brasil. Além de tirar o foco do Civic para investir no HR-V, há fortes indícios de que a marca irá fazer do City seu novo modelo de entrada, pois a nova geração do Fit tornou-se um carro mais sofisticado e caro. Além do sedã, a Honda também prepara a chegada do inédito City hatchback, mas este deve chegar só em 2022.

O City sedã deve chegar primeiro, em meados de 2021.. Produzido em Itirapina (SP), o modelo nacional deverá ter dimensões mais generosas, especialmente no entre-eixos, para melhor adaptar-se ao mercado brasileiro. Espera-se que ele seja o primeiro Honda nacional equipado com o novo motor 1.0 turbo três-cilindros da marca, que já estreou na Tailândia com 122 cv e 17,6 kgfm de torque. No Brasil o motor será flex, evidentemente, e deverá ganhar alguns cavalos por isso. O câmbio será do tipo CVT, com sete marchas simuladas. É possível, ainda, que a Honda mantenha o motor 1.5 aspirado nas versões de entrada, devidamente atualizado para entregar um pouco mais que os 116 cv atuais.

O Honda City terá como rivais o Chevrolet Onix Plus, o Volkswagen Virtus, o Fiat Cronos e o Toyota Yaris. Com isto, não deve desviar muito da faixa entre R$ 70.000 e R$ 90.000.

 

Jeep de sete lugares

A Jeep já confirmou que seu novo modelo de sete lugares será lançado no segundo semestre de 2021. Seu nome será revelado no dia 4 de abril (o dia “4×4”). O novo Jeep será fabricado em Goiana (PE), de onde já saem Compass e Renegade, além da Fiat Toro.

Ainda não há muitas informações a respeito do modelo – a FCA, agora Stellantis, está conseguindo esconder o jogo. Contudo, já é sabido que ele aproveitará parte da plataforma Small Wide 4×4 – a mesma de Renegade, Compass, Toro, e do Fiat 500X europeu. Contudo, o novo Jeep terá diversos elementos exclusivos em sua plataforma – responsáveis por “esticá-la” e dar ao modelo a terceira fileira de assentos.

Uma dica quanto ao estilo do Jeep de sete lugares nacional está na China: lá, o segmento é ocupado pelo Grand Commander, um modelo derivado do Cherokee, porém com formas mais retilíneas e imponentes.

É dada como certa a adoção dos novos motores turbo GSE no novo Jeep, começando por um 1.3 de ao menos 180 cv – suficiente para enfrentar o Toyota SW4 flex, que custa R$ 210.000 e tem motor flex de 2,7 litros e163 cv. Estima-se que o Jeep comece nesta faixa de preço e chegue até os R$280.000 nas versões de topo. Isto o colocaria como alternativa também à Chevrolet Trailblazer, que custa R$ 302.000 e é equipada com um motor a diesel de 2,8 litros e 200 cv. O prestígio da marca Jeep pode pesar a seu favor nesta briga, especialmente se a diferença em relação à Trailblazer for maior.

 

Fiat 500e e SUV do Argo

Apresentado no início do ano passado, o Fiat 500 de segunda geração se tornou um carro urbano elétrico e já foi prometido para o Brasil. A previsão inicial era que ele seria lançado no fim de 2020, mas os planos foram atrasados pela pandemia.

O novo 500e deverá ocupar a posição de “halo car” da Fiat no Brasil, ou como uma vitrine de tecnologia – um artigo de luxo, mais caro, para um nicho específico: o consumidor urbano interessado no estilo e nas inovações. O motor elétrico de 95 cv (70 kW) que, com uma bateria de 23,8 kWh, tem autonomia de até 180 km com uma carga. Não é um carro para viajar.

A lista de equipamentos inclui painel digital, freio de estacionamento eletrônico, frenagem autônoma de emergência com reconhecimento de pedestres, alerta de saída de faixa e outras assistências eletrônicas. Seu preço não deve ficar abaixo dos R$ 200.000, e o lançamento é esperado para o meio do ano, ainda sem uma data oficial.

Mas a Fiat também trará uma novidade mais acessível: o SUV do Argo, criado sob medida para enfrentar, principalmente, o extremamente bem sucedido Volkswagen Nivus. Tal como o rival, ele deverá apostar em um perfil mais arrojado, com teto inclinado e proporções mais robustas que um hatchback.

Projeção: Kleber Silva

Ainda sem nome, o SUV do Argo já circula com a carroceria definitiva pelas ruas de Minas Gerais, mas ainda se esconde debaixo de camuflagem pesada. É bem aceito que seu estilo trará inspiração na Fiat Strada e no próprio Argo, porém com faróis, grade e para-choques próprios.

Uma peça importante do SUV do Argo, porém, é seu motor: entende-se que ele fará a estreia do motor Firefly 1.0 turbo, de três cilindros, 120 cv e 19,3 kgfm, acoplado a uma transmissão CVT (que também será adotado por Strada, Argo e Cronos neste ano).

 

BMW M3

Entre os esportivos, o grande destaque de 2021 para o Brasil é o novo BMW M3, revelado no ano passado e marcado para o mês de maio. O sedã virá apenas na versão mais potente, a Competition, que dispõe de 517 cv e 66,3 kgfm de torque no seis-em-linha biturbo de três litros. Em troca, ele abre mão da tração traseira e do câmbio manual – o purismo ficará para a versão Pure, que também é um pouco menos potente, com 480 cv, e a princípio não está cotada para nosso País.

Com câmbio automático de oito marchas e tração nas quatro rodas, o BMW M3 Competition vai de zero a 100 km/h em 3,9 segundos, com máxima limitada em 250 km/h. Seu preço ainda não foi divulgado, mas deverá ser bem mais alto que os R$ 507.000 pedidos pelo M340i xDrive, atual versão de topo do Série 3.

ESTA Chevy GMC 500 2.0 16V Turbo
PODE SER SUA!

Clique aqui e veja como