A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Técnica

Para que serve o surge tank (e não catch tank) e como ele funciona?

A linha divisória entre um esportivo "de adesivo" e um esportivo verdadeiro normalmente é bem definida. Os esportivos normalmente passam por uma revisão completa de seu conjunto mecânico para torná-los mais comunicativos e mais velozes. Quando esta linha não fica bem definida, vêm os questionamentos. É por isso que o Gol TSi acabou esquecido entre seus pares: havia poucas diferenças entre o TSi 1.8 e o GLi 1.8. Para quem pretendia ser o sucessor do GTS, era pouco. Afinal, o GTS veio inicialmente com motor, suspensão, freios e câmbio próprios — além da decoração, claro. E também por isso o Gol GTi original, aquele da primeira geração, se tornou um ícone: além do exclusivo motor 2.0 injetado, ele também tinha uma atenção aos detalhes digna dos esportivos mais tradicionais. Alguns tão minuciosos que pouca gente conhece ou lembra. Você sabia, por exemplo, que o Gol GTi tem um "surge tank" escondido entre o eixo traseiro e o rebaixo do assoalho que forma o vão para os pés dos passagei

Matérias relacionadas

1.100 cv, 11.000 rpm: ouça o ronco e conheça os detalhes técnicos do motor V12 do Aston Martin Valkyirie

Dalmo Hernandes

Água e cocô: no futuro, sua gasolina poderá ser feita desse jeito

Leonardo Contesini

Câmbio manual: como as marcas de esportivos justificam a sua morte

Juliano Barata