A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Notícias

Porsche não vê problemas em adotar tecnologia autônoma em seus carros

Enquanto a Ferrari rejeita com veemência a possibilidade de adotar tecnologias autônomas em seus carros, a BMW M já admitiu que pensa em fazer isso em um futuro próximo. A motivação dos alemães é puramente racional (alguma surpresa?): esportivos também enfrentam tráfego intenso e ter tecnologias autônomas quando você não pode curtir a esportividade é uma verdadeira mão na roda.

Esse argumento também foi adotado pela Porsche, que deu pistas de que irá adotar tecnologias autônomas em seus modelos. Obviamente eles não farão um esportivo autônomo porque, afinal, isso não faz sentido algum, porém a marca se mostrou aberta a adotar alguns recursos autônomos nas próximas gerações de seus carros.

Foi mais ou menos isso o que o CEO da Porsche, Oliver Blume, disse em uma entrevista à revista britânica Autocar: “Quando você compra um Porsche, você irá dirigi-lo. No momento não pensamos em um carro robotizado, estamos pensando em recursos para combinar com os verdadeiros genes da Porsche, então no fim das contas você ainda terá um Porsche de verdade. Por exemplo, quando você vai para o trabalho pela manhã e está em um congestionamento, você poderia ler um jornal. Quando você vai a um restaurante e não encontra uma vaga para estacionar, o carro pode encontrar algum lugar e fazer isso sozinho e depois te reencontrar na saída do restaurante”.

salao-sao-paulo-flatout-porsche-40

Na entrevista, Blume também reforçou que a marca irá produzir modelos elétricos e híbridos — atualmente representados pelos modelos Panamera e Cayenne E-Hybrid. Em 2020 a marca pretende lançar a versão de produção do conceito Mission E e, depois disso, expandir a linha de modelos híbridos, que poderá abranger até mesmo o 911 Turbo.

Aparentemente a história das assistências eletrônicas está se repetindo com as tecnologias semi-autônomas. Elas foram inicialmente rejeitadas pelos puristas até que se tornaram amplamente aceitas e integradas ao estilo de condução. Afinal, não há motivos para rejeitar um esportivo capaz de assumir o controle nos entediantes e irritantes congestionamentos. Ou que seja capaz de salvar sua vida em uma emergência.

Matérias relacionadas

Richard Hammond volta a se acidentar durante as gravações de The Grand Tour

Dalmo Hernandes

Você já pode comprar o “novo” DeLorean zero-quilômetro

Leonardo Contesini

Ford encerra produção no Brasil – qual o futuro da marca por aqui?

Leonardo Contesini