A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Pensatas

Potência não é tudo… mas é 100%?

Quando algum visitante perguntava a Matthew Boulton (sócio de James Watt na fabricação de motores a vapor) o que era aquela máquina estranha e barulhenta que era produzida em sua fábrica, sua famosa resposta era: “I sell here, Sir, what all the world desires to have -- POWER.” Para os menos familiarizados com a língua inglesa, explico: é uma expressão cujo duplo sentido só funciona em inglês. Power significa aqui tanto “Poder” quanto “Potência”; “Eu vendo aqui, senhor, o que todo mundo quer: Power.” É realmente uma ótima frase, porque traduz de uma forma concisa um desejo universal. Watt criou não somente a máquina a vapor, criou também o conceito e a unidade mais conhecida de potência: o cavalo-vapor. E foi só inventar o cavalo vapor, que foi inventada também a corrida por potência. Quando Watt mostrou que uma máquina podia ser mais poderosa que uma fazenda inteira cheia de cavalos, todo mundo correu para aperfeiçoá-la, para tentar uma forma de dar mais potênc

Matérias relacionadas

O novo BMW 530e no Brasil, o fim do Nissan Sentra, mais um recorde da Mercedes-AMG em Nürburgring e mais

Dalmo Hernandes

GSi e OPC: a história e a evolução das siglas esportivas da Opel

Dalmo Hernandes

Pocket rockets contra canhões: prazeres diferentes, pilotagens opostas

Juliano Barata