A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Preço da gasolina pode subir ainda neste ano, Ford apresenta novo Ka sedã, Globo não vai abrir mão da F1 e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Gasolina pode subir ainda neste ano segundo Guido Mantega

FlatOut 2014-08-07 às 10.57.16

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, sinalizou nesta terça-feira que pode haver um novo aumento no preço da gasolina ainda neste ano. Questionado sobre um possível reajuste, o ministro respondeu que todos os anos há correções no preço da gasolina (“uns mais, outros menos”, comentou), e que não houve um ano sem aumento da gasolina. “Essa é a regra”, afirmou.

Mantega não comentou a data do reajuste, pois é uma decisão que afeta o mercado de ações, por isso manteve-se em silêncio a respeito. Segundo ele, os reajustes serão normais, sem a possibilidade de reajuste maior do que o praticado nos últimos anos.

O reajuste da gasolina vem sendo pleiteado pela própria presidente da Petrobras, Graça Foster, como forma de reduzir a defasagem dos valores praticados no Brasil com os valores do exterior, o que afeta negativamente as finanças da companhia, que é a petrolífera mais endividada do mundo no momento, com dívida estimada em US$ 130 bilhões.

O preço da gasolina vem sendo mantido em defasagem como forma de controle da inflação, uma vez que o insumo tem peso importante no índice de inflação do governo. O último reajuste nos preços da gasolina foi em novembro de 2013, quando a Petrobras anunciou aumento de 4% nas refinarias, que representou uma alta de 3% ao consumidor final.

 

Ford Ka+: versão sedã do Ka é apresentada pela fabricante

Novo-Ford-Ka-Sedan-2015 (4)

A Ford está apresentando nesta semana a inédita versão sedã do Ka, batizado Ka+. Embora tenha anunciado apenas o motor 1.0 de três cilindros para o hatch, e o 1.5 para o sedã, a Ford parece ter revisto sua estratégia (ou esperado o lançamento do sedã) e anunciou que irá oferecer as duas motorizações para os dois modelos.

Assim, hatch e sedã terão as mesmas versões de acabamento. Todas elas com ar-condicionado, direção elétrica, vidros dianteiros elétricos, travas elétricas, rádio,  freios ABS e airbag duplo de série. Na versão topo de linha, eles terão controle de estabilidade e tração e assistente de partida em rampa, sistemas inéditos na categoria. O hatch 1.0 e o sedã 1.5 serão lançados em setembro por preços que partem e R$ 35.400 (hatch SE 1.0) e R$ 42.900 (Ka+ SE 1.5), e em outubro chegam o sedã 1.0 (R$ 37.900) e o hatch 1.5 (R$ 42.400).

 

Globo nega que deixará de transmitir a F1

Australia 2011 Race

A notícia do fim da Fórmula 1 na Rede Globo não passou de um equívoco de informações. Segundo a apuração dos parceiros do Grande Prêmio, a Rede Globo negou a informação, que foi passada à coluna grid do site da revista Quatro Rodas por um conselheiro do GP do Brasil, Carlos Miguel Aidar.

Outra nova informação, veio de um alto executivo da emissora, que desmentiu a notícia ao site “Notícias da TV” e salientou que o contrato dura até 2020 e obriga a exibição das provas na TV. Além disso, a transmissão da F1 ainda é lucrativa para a emissora em termos e publicidade — por isso não faria sentido abrir mão da F1 na TV aberta.  Veja mais detalhes no blog do Victor Martins, no Portal Grande Prêmio.

 

 

Ford, GM e Volkswagen anunciam layoffs e férias coletivas devido à queda na produção

UpVW

Na última segunda-feira (4) a unidade da Ford em Taubaté (SP) suspendeu o contrato de 108 trabalhadores por cinco meses. O objetivo, segundo a fabricante, é reduzir a produção para se adequar à desaceleração do mercado.

Nesta unidade de Taubaté a Ford produz motores, trasmissões e faz fundição e componentes em três turnos. Durante estes cinco meses, os 108 funcionários receberão salários por meio do Fundo de Amparo ao Trabalhador e passarão por cursos de qualificação profissional. Os outros 1.700 funcionários terão carga horária reduzida de 42 horas para 33 horas semanais, o que equivale a um dia a menos de expediente. Os salários não serão reduzidos e as folgas contarão como banco de horas.

Também em Taubaté, a Volskwagen concedeu férias coletivas para quase 4.500 dos 5.500 funcionários dos três turnos de sua unidade local. Os motivos são os mesmos da Ford — adequação à demanda do mercado — e a medida terá duração de dez dias.

Enquanto isso, na ciade vizinha, São José dos Campos (SP) a GM está discutindo com o sindicato a possibilidade de suspensão de contratos de 108 funcionários pelos mesmos motivos das outras fabricantes: ajuste da produção à demanda do mercado. Na GM o layoff terá duração de dois a cinco meses, e os funcionários com contrato suspenso passarão por cursos de aperfeiçoamento no Senai.

 

Novos Classe C AMG sedã e perua são flagrados em Nürburgring

Os engenheiros da AMG parecem estar ocupados como nunca. Além do novo supercarro, o AMG GT e do novo motor V8 4.0 biturbo, eles também já estão trabalhando nas versões esportivas da nova Classe C (W205). O modelo, que terá versões sedã e perua foi flagrado recentemente durante testes em Nürburgring.

Ele deverá continuar com o nome C63 AMG, mas em vez do V8 6.2 aspirado do modelo anterior ou do V8 5.5 turbo do E63, ele irá usar o mesmo V8 4.0 recém anunciado pela divisão esportiva e que fará sua estreia no AMG GT.  Com o antigo motor aspirado o C63 AMG produzia 487 cv, já o novo 4.0 V8 biturbo deve levar esta potência para algo entre 490 e 500 cv. A Mercedes planeja lançar a dupla esportiva somente em 2015.

 

Matérias relacionadas

McLaren com motores Ferrari?, Dodge confirma o fim do Viper, Hyundai i30 ganha versão fastback e mais!

Leonardo Contesini

Cientistas descobrem como fazer fibra de carbono a partir de… restos de milho e trigo!

Leonardo Contesini

Supercarro elétrico é o novo carro mais rápido de Nürburgring, Volkswagen responde as provocações da Renault, BMW Z5 não se chamará Z5 e mais!

Leonardo Contesini