A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Pseudônimos cromáticos: as cores de carros que não têm nome de cor

Há alguns dias relembramos uma série de cores dos catálogos automobilísticos que, por alguma razão, tinham nomes de outras cores. Era o caso do amarelo mostarda da GM, que era um verde pouco mais escuro que a polpa do abacate, ou do amarelo boreal da Chrysler, que poderia muito bem se passar pelo laranja da McLaren. Enquanto eu pesquisava sobre as cores "daltônicas", encontrei uma outra série de cores igualmente bizarras: as cores sem nome de cor. Algumas têm relação direta com as cores a que batizam. Já outras parecem ter sido criadas durante uma viagem lisérgica após o expediente e não têm muito a ver com o que estamos vendo. Aqui estão dez delas.   Vanilla Shake - Kia Vanilla Shake — ou milk shake de baunilha, em português — foi o nome que a Kia escolheu para aquele bege clarinho que fez algum sucesso no Soul. Por alguma razão, a fabricante coreana o achou parecido com o milk shake de baunilha, ainda que o milk shake de baunilha seja branco como o leite, e não tenha

Matérias relacionadas

O terror movido a diesel: a história do caminhão Peterbilt de “Encurralado”

Leonardo Contesini

Coração mecânico: como uma fabricante de carros ajudou a revolucionar as cirurgias cardíacas

Eduardo Rodrigues

LM002, ou “Lambo do Rambo”: quando a Lamborghini decidiu fazer um SUV pela primeira vez

Dalmo Hernandes