A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História

Uma breve história de (quase) todos os hot hatches da Ford – parte 1

Já faz algum tempo que retomamos a série "Uma breve história de (quase) todos os hot hatches", iniciada com os modelos da Fiat. Depois de dar sequência com a trinca das fabricantes francesas – Peugeot, Renault (parte 1, parte 2) e Citroën (parte 1, parte 2)– é chegada a hora de falar inglês: neste post, começaremos a contar a breve histórias de (quase) todos os hot hatches da Ford. O braço norte-americano da Ford criou alguns esportivos lendários – especialmente na década de 1960, a era de ouro dos muscle cars. Na Europa, porém, carros com dimensões mais contidas e motores menores levaram a Ford a adotar os costumes locais. Assim, enquanto os esportivos da Ford nos EUA eram, via de regra, cupês com motor V8 e vocação para o quarto-de-milha, na Europa investia-se em motores mais giradores e capacidade de fazer curvas. Nos anos 60, foram o Lotus Cortina e as duas primeiras gerações do Escort – carros que se tornaram lendas por seus próprios méritos. Foi assim até meados dos a

Matérias relacionadas

Como a Jaguar e as 24 Horas de Le Mans de 1953 nos deram os freios a disco

Dalmo Hernandes

Venturi Atlantique: o belo (e fracassado) esportivo francês de fibra de vidro com motor de DeLorean

Dalmo Hernandes

A trajetória de Dale Earnhardt, o Intimidator

Dalmo Hernandes