A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Pensatas

Qual o problema em manter e usar um carro 100% original?

Quando criança pedi aos meus pais para fazer aulas de teclado. Um amigo havia ganhado um daqueles teclados eletrônicos que tocam acompanhamentos e têm centenas de sons e achei que seria legal conseguir fazer aquilo também. Jovem, mas já sábio, meu pai me matriculou nas aulas, mas não comprou um teclado. Não antes de o professor falar que eu estava progredindo e que, para avançar, precisaria de um teclado próprio que me permitisse estudar em casa, além daquela hora semanal com o professor. Ganhei um Casio MA-220, bem diferente do Yamaha que meu professor usava nas aulas. O MA significa Mini Arranger, ou seja: era um mini teclado. Suas teclas eram mais curtas e seu teclado tinha apenas 49 teclas em vez das 61, 72 ou 81 teclas dos teclados mais "sérios" da época. Novamente, meu pai estava sendo apenas precavido: se eu desistisse das aulas, ele teria gasto algo em torno de R$ 300 em dinheiro de hoje. Não era avareza, mas sensatez: antes de comprar algo realmente bom, ele queria apenas que eu esgo

Matérias relacionadas

Para os brasileiros, o trânsito é caótico, violento e inseguro – diz pesquisa

Leonardo Contesini

Minha primeira moto — ou “terapia em duas rodas”

Dalmo Hernandes

UNISIA JECS SKYLINE – uma pequena reflexão sobre carros, games de corrida e nostalgia

Dalmo Hernandes