A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Quando a Cadillac ditava o padrão de luxo mundial

Nossa vida, apesar de longa na perspectiva pequena do dia a dia, é pequena, todos sabemos. Coisas que nos parecem fixas e imutáveis, tradições passadas de pai para filho que acreditávamos serem eternas, podem de um dia para o outro desaparecer sem aviso, completamente, gerando um sentimento generalizado de decadência e de fim dos tempos. Na maioria das vezes, é apenas sinal de que você viveu demais. Fim dos tempos, indeed. Hoje estamos acostumados a considerar, por exemplo, os carros alemães e japoneses como o ápice da tecnologia, os mais tecnologicamente avançados e o estado da arte. Claro; desde os anos 1970, quando a indústria americana teve que parar o que estava fazendo, e fazer coisas diferentes, estes dois países estiveram na vanguarda do novo. Como quem nasceu em 1970 hoje tem 50 anos, a cada dia menos pessoas se lembram do mundo antes disso. E o mundo do automóvel antes de 1970 era eminentemente um mundo norte-americano. Claro que não era só americano; o de hoje não é só

Matérias relacionadas

Aircooled porn: conheça todos os detalhes da reconstrução de um boxer Volkswagen

Leonardo Contesini

Não morra antes de visitar este santuário: Museu de Le Mans!

Juliano Barata

Estes são os cinco Mustang de todos os tempos que eu teria na garagem

Leonardo Contesini