A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Automobilismo Pilotagem Técnica

Schumacher e a sua misteriosa técnica dos três velocímetros na Fórmula 1 – entenda

Não importa se é turismo, monoposto ou protótipo: carros de corrida quase nunca possuem velocímetro. Além do cronômetro, o instrumento de referência de desempenho sempre foi o conta-giros, por diversas razões: ele não apenas é uma referência para troca de marchas no limite, mas também auxilia o piloto a manter o carro sempre na estreita faixa útil de máxima performance de um motor de competição. Também tem utilidade fundamental para a equipe buscar as relações de marcha ideais para determinado circuito, especialmente quando não há telemetria. Caso o piloto quisesse saber se está indo mais rápido naquele trecho em relação a uma passagem anterior, ou se conseguiu uma boa performance de reta, bastava checar o conta-giros no mesmo ponto da volta anterior: mais rotações na mesma marcha significa mais velocidade. O quão mais rápido? Não importa tanto, pois a referência final é o tempo de volta e para aferir o ganho naquele trecho em específico existem as parciais.

Matérias relacionadas

É verdade que um intercooler preto é mais eficiente que um intercooler sem pintura?

Leonardo Contesini

60 anos de Small-Block: um time-lapse hipnotizante (e um passo-a-passo) da reconstrução de um V8 Chevy

Leonardo Contesini

Água e cocô: no futuro, sua gasolina poderá ser feita desse jeito

Leonardo Contesini