FlatOut!
Image default
Zero a 300

Shelby GT500KR volta com “mais de 900 cv” // Lewis Hamilton agora é Sir Lewis // Mais uma nota zero do NCAP e mais!


Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Shelby GT500KR está de volta — e com mais de 900 cv

Lembra quando a Shelby American disse que teria uma novidade em 15 de dezembro? Pois então: é o novo Shelby GT500KR, o “rei da estrada”, que agora tem mais de 900 cv.

Além do pacote estético, que inclui o capô exclusivo de fibra de carbono, o novo GT500KR foi equipado com o V8 de 5,2 litros sobrealimentado por um compressor Whipple de 3,8 litros (sim, o compressor desloca mais volume que o Mustang de entrada). O motor também ganhou um novo corpo de borboleta, um novo sistema de admissão com coletor de ar frio, intercooler com maior capacidade de resfriamento e, claro, um novo sistema de escape. A Shelby não divulgou a potência, mas disse que o carro tem “mais de 900 cv”.

Além do motor, o GT500KR também recebeu suspensão completamente ajustável — das molas, aos amortecedores e barras estabilizadoras — e um pacote aerodinâmico (que soa até estranho quando se fala de Mustang Shelby). O pacote inclui splitter frontal, difusor traseiro e um spoiler traseiro com flap Gurney.

O GT500KR desta vez será uma edição limitada. Serão feitos apenas 225 em 2022, dos quais 180 serão destinados ao mercado interno — todos como uma edição comemorativa dos 60 anos da Shelby. Os proprietários dos modelos 2020 e 2021 também poderão comprar o kit para seus carros, mas eles não serão parte desta edição de 60 anos, evidentemente, e serão ainda mais limitados, pois a Shelby irá oferecer apenas 60 pacotes.

Os pacotes para os modelos 2020 e 2021 custarão US$ 55.000, enquanto os carros feitos novos pela Shelby custarão US$ 127.900, usando como base o GT500 básico. (Leo Contesini)

 

“Levante-se, Sir Lewis Hamilton”

Apesar de Lewis Hamilton parecer estar amordaçado pelos advogados da Mercedes, que está judicializando a disputa do título de 2021, tentando transformá-lo em algo sem validade moral alguma, ele fez sua primeira aparição pública desde o último domingo em uma ocasião mais do que especial: a cerimônia de condecoração como cavaleiro do Império Britânico.

A honraria a Hamilton foi anunciada em 30 de dezembro de 2020, e foi concedida por seu serviços prestados ao automobilismo internacional. A condecoração oficial tradicionalmente ocorre somente ao longo do ano seguinte. Hamilton recebeu o título do príncipe Charles, que assumiu a função no lugar da rainha já há alguns anos. Com a condecoração, Lewis Hamilton ganha o direito de usar o título “Sir” à frente de seu nome, tornando se Sir Lewis Carl Davidson Hamilton.

Hamilton é apenas o quarto piloto de Fórmula 1 a se tornar Knight Bachelor (que é o grau que concede o título de sir). Os outros foram Sir Jack Brabham, o primeiro piloto de Fórmula 1 a receber o título, Sir Jackie Stewart e Sir Stirling Moss. Jenson Button, Damon Hill. (Leo Contesini)

 

Kia Sportage: zero estrelas no Latin NCAP

Na última rodada de publicação de seus testes este ano, o LatinNCAP publicou o resultado do Kia Sportage. E ele também ficou com zero estrelas. Surpreso? Não devia estar. Hoje os testes costumam ser apenas zero e 5 estrelas — parece até que os carros a serem testados são cuidadosamente escolhidos para mostrar o correto e o errado, de acordo com a entidade.

Se você for no site do EuroNCAP, verá que em 2015 esta versão do carro coreano tem 5 estrelas. A pontuação é diferente entre os órgãos, e evolui com o tempo; um carro 5 estrelas na Europa em 2015 não será automaticamente um carro cinco estrelas aqui, hoje, como mostra o teste. As regras são diferentes, e as versões dos carros podem variar. Mas o Sportage na verdade teve um bom desempenho nos testes frontais, e mesmo o lateral. Então como zero?

A LatinNCAP não quer que equipamentos de segurança sejam opcionais; é uma de suas brigas. Testa sempre a versão básica. Este carro tem uma versão para o Brasil sem airbags de cortina ou controle de estabilidade, para abrandar o seu custo e torná-lo mais atrativo aos brasileiros. E por isso, segundo as regras da entidade, é um problema. Esta metodologia se baseia no conceito segurança em primeiro lugar; fácil vender para quem não vê que um carro mega sofisticado, que não podemos comprar, não vai prover segurança a ninguém. E aparentemente não podemos mais escolher nada: o LatinNCAP escolhe a configuração e o preço do seu próximo carro para você.

O Sportage é inseguro, inaceitável, uma ratoeira pronta para te prender numa morte certa e violenta? Claro que não. Ainda atende as normas de segurança do governo brasileiro, inclusive impacto lateral, e na verdade é muito bom até no violento teste frontal em offset, a velocidade maior, da entidade. É um carro muito bom nesse sentido, a julgar pelos resultados publicados.

O objetivo nobre da entidade, de ser um órgão de comparação independente do desempenho em crash test parece perdido. Ao empurrar adiante uma noção que ainda existem carros inseguros (o que era verdade no passado), a impressão é que se tornou uma ferramenta de pressão, de lobby, para empurrar uma agenda de legislação progressivamente mais pesada, ad infinitum. E uma forma de perpetuar sua própria importância e existência. (MAO)

 

Morreu Hazel Chapman, cofundadora da Lotus

“Este é um dia muito triste para todos ao redor do mundo associados à Lotus. Sem Hazel Chapman não haveria Lotus”, disse Matt Windle, diretor administrativo da Lotus Cars. “Toda a equipe de Hethel, e todos aqueles que trabalham em nossas instalações em todo o mundo, enviam suas sinceras condolências e votos de felicidades à família Chapman.”

Não é uma nota tola qualquer. Aos 94 anos, Hazel Chapman, esposa e co-conspiradora do seu marido Colin, era parte integrante da turma de amigos que, nas horas vagas, criava carros esporte e competição sob a direção de Colin Chapman. O primeiro Lotus foi criado na garagem dos pais de Hazel, com ajuda dela. Foi Hazel que colocou o dinheiro necessário para depois fundar a empresa. Não era apenas a viúva do genial Chapman; era uma parte integrante e indivisível da incrível história da Lotus, uma ligação viva a um passado distante que criou a marca mais lendária e admirada pelos fãs de carros esporte e de engenharia. Que dia triste.

Era uma ligação direta com a história da Lotus, que aconteceu aparentemente há pouco tempo atrás; sua morte coloca isso tudo firmemente nos livros de história, não na realidade mais. No passado, algo registrado, mas não mais vivo. Nos lembra que definitivamente nada é para sempre.

Que o Senhor todo-poderoso a coloque de volta para sempre numa garagem onde o trabalho intenso é permeado de alegria e piadas chulas, junto com seu marido ainda jovem, criando carros fantásticos, em meio a amigos com a mesma vontade e conhecimento. Rindo gostoso ao lado de Colin na pausa para sanduíches. E que finalmente, desta forma, descanse em paz. (MAO)

 

Revisão leve para o ano/modelo 2022 do Mazda Miata no Japão

Não se mexe muito com o que está funcionando, não é mesmo? Alguns, neste caso, iriam mais além e diriam que não se mexe com a perfeição. Seria como retocar as cores da Mona-Lisa. Mas de qualquer forma, a Mazda anunciou a versão 2022 do Miata, para o mercado doméstico de seu país, conhecido pelo termo “JDM”.

A novidade mais importante é a adoção de um sistema chamado Kinematic Posture Control, KPC. Este sistema freia a roda interna para criar força enquanto faz curvas em velocidades mais altas para reduzir o rolamento da carroceria e fazer o roadster parecer mais plantado. O KPC é inteligente o suficiente para descobrir as condições de curva em tempo real com base na diferença de velocidade entre as rodas esquerda e direita na traseira. Seu impacto aumenta ou diminui progressivamente com base nessa diferença para “produzir um efeito estabilizador de postura natural”. Em outras palavras, o MX-5 parece exatamente o mesmo de antes durante a direção normal, mas se você forçar mais ainda, ele será mais estável do que seu predecessor.

Uma nova versão exclusiva para o Japão também foi apresentada: a 990S. O nome vem do peso reduzido para 990 kg, apenas 30 kg mais pesado que o Miata original, o NA de 1989. Acabamento espartano, rodas forjadas de 16 polegadas mais leves, e outras modificações de detalhes trazem a redução de peso. O único problema deste carro permanece, porém: não é disponível a venda aqui no Brasil… (MAO)

ESTE Gol GTS 1.8
PODE SER SEU!

Clique aqui e veja como