FlatOut!
Image default
FlatOut Revival Técnica

Tudo o que você precisa saber sobre cintos de competição

Cintos de segurança são componentes tão importantes em uma preparação de primeira quanto freios, pneus, suspensão e motor. Não apenas para salvar sua vida quando algo der errado, mas também para manter seu corpo preso com mais firmeza ao banco, o que pode te ajudar a pilotar com mais facilidade, especialmente em freadas mais fortes, quando estar amarrado ao banco permite que você mantenha os braços relaxados.

Só que os cintos de competição têm algumas regras para ser instalados corretamente e proteger você de forma eficaz. Isso acaba gerando dúvidas em muita gente que pretende preparar seu carro para track days e outras competições amadoras, ou deseja um cinto mais seguro para suas incursões off-road, e por isso vamos tentar esclarecer algumas delas.

 

Qual banco usar?

pro_racer_hans_xl_spa_01 copy

Em primeiro lugar, nem todo banco é adequado para instalação dos cintos de competição. O ideal é usar um banco concha homologado ou, no mínimo, certificado, sem regulagem de encosto, que já com os slots para passar as tiras do cinto de competição, mas você não precisa necessariamente de um banco concha ou semi-concha para usar um cinto de quatro pontos — caso tenha bancos esportivos ou esteja satisfeito com os originais do seu carro.

TAKATA-4

Os cintos de competição só não podem ser instalados em bancos que tenham encosto de cabeça integrado ou sem ajuste de altura pois eles podem ficar abertos demais e, nesse caso, as tiras dos ombros acabarão deslizando com o movimento dos braços.

 

Como ancorar os cintos de competição?

Geralmente os cintos de competição são ancorados em uma barra específica para esse fim na gaiola de proteção, mas caso você não use uma gaiola, ou se sua gaiola não tem esses pontos de ancoragem, você pode usar os pontos de fixação dos cintos originais.

get

Independentemente do caso, você deverá usar olhais especificamente feitos para esta finalidade. No caso dos pontos originais, basta remover os parafusos e instalar os olhais onde os mosquetões dos cintos serão engatados.

A única coisa que você jamais deve fazer é ancorar o cinto no chão do carro logo atrás dos bancos dianteiros, pois as presilhas sofrerão uma carga vetorial para a qual não foram projetadas — os parafusos seriam puxados para cima em caso de impactos, soltando o cinto e deixando o piloto desprotegido.

belts

Por esse mesmo motivo, a ancoragem não deve ser feita de modo que os cintos formem um ângulo maior que 45º em relação à linha do ombro do banco. Os fabricantes de cintos e os órgãos reguladores do automobilismo, como a FIA e a MSA (Reino Unido), recomendam o ângulo ideal variando entre 10º acima dessa linha e 10º abaixo dela, mas aceitam ângulos de até 45º abaixo da linha de apoio no banco.

 

Que tipo de cinto devo usar: quatro, cinco ou seis pontos?

TAKATA-5-800x533
A escolha do cinto deve ser baseada na configuração do carro, e varia de acordo com o tipo de banco, gaiola, pontos de ancoragem e demais equipamentos de segurança instalados. Os cintos de seis pontos, por exemplo, não podem ser instalados em bancos comuns, sem slots para a passagem das tiras.

TAKATA-9-800x533

Já os cintos de quatro pontos são os mais adequados para uso com bancos esportivos, pois têm apenas a proteção sub-abdominal e nos ombros, e não precisam dos slots no assento. Se você já ouviu falar em casos em que o piloto “escorregou” por baixo do cinto pela ausência dos pontos inferiores, não se preocupe: os cintos de quatro pontos homologados têm sistemas que impedem esse tipo de movimento — as chamadas “anti-submarine strap”.

Os cintos de cinco pontos (com uma tira na região pélvica) não são recomendados, pois aumentam o risco de lesões nos tecidos moles da região (conjuntivo, epitelial e muscular) e também provocam níveis maiores de compressão torácica em casos de acidentes.

Por último, eu nem deveria precisar mencionar isso, mas caso você esteja pensando em dar um pulo naqueles sites chineses para comprar um cinto de segurança de competição, fica o recado: jamais use cintos que não sejam homologados ou certificados por alguma entidade idônea ou falsificações (não caia no eufemismo “réplica”). O motivo você pode ver neste vídeo:

 

E a largura dos cintos?

Os cintos de competição usam, por padrão, tiras de duas ou três polegadas. Contudo, estas medidas podem  variar ou ser combinadas de acordo com a preferência ou necessidade do piloto.

Os cintos podem ser divididos em duas partes: os restritores dos ombros/tórax (shoulder belts) e os restritores sub-abdominais e inferiores (lap belts e sub belts). Para uso geral a largura ideal dos restritores dos ombros é três polegadas, porém, se o piloto usar um HANS, o cinto de três polegadas pode ser desconfortável. Por isso há duas opções: cintos de duas polegadas ou cintos mistos.

O cinto misto (identificado como 3″/2″) tem os restritores de três polegadas, porém na região que se sobrepõe ao HANS, eles têm duas polegadas de largura para tornar o uso mais confortável.

Cinto 3″/2″ para uso com HANS

Os restritores sub-abdominais podem variar de acordo com a preferência ou porte físico do piloto. Há versões de duas ou três polegadas. A mais larga pode ser confortável para pilotos mais pesados por distribuir o peso em uma área de pressão mais ampla, porém as tiras de duas polegadas contornam melhor a crista ilíaca (aquele osso mais alto do quadril). Nesse caso, a largura é realmente uma questão de preferência pessoal.

Já os restritores inferiores (no caso dos cintos de seis pontos; o cinto de quatro pontos não tem estes restritores) normalmente são definidos pelo espaço na janela do assento, mas os pilotos mais pesados podem usar tiras de três polegadas por uma questão de melhor suporte.

Independentemente da largura e do número de pontos do cinto, todos os restritores têm ajustes individuais independentes — isto é: o restritor sub-abdominal tem ajuste em ambos os lados, diferentemente de um cinto sub-abdominal de um carro de passeio, que ajusta somente um dos lados.

 

Quando devo usar cintos de competição?

Se você não pretende disputar campeonatos oficiais, não existe uma regra ou um nível de preparação ou potência para instalar cintos de competição no seu carro. Mas eles são um excelente investimento se você pretende participar de track days, time attacks ou simplesmente tem um carro para andar forte. Não apenas pela segurança extra, mas também pela firmeza no comando do carro — amarrado ao banco você mantém os braços mais relaxados, o que facilita o esterçamento e a redução de marchas, diminuindo o esforço na pista.

Você pode usá-los até no dia-a-dia se achar que eles são mais seguros. Só não esqueça de procurar um modelo indicado para uso nas ruas/estradas, e que eles não são retráteis, então será difícil operar o rádio, retirar tickets em cancelas de estacionamento ou pegar o troco do pedágio. A legislação exige apenas que você mantenha os cintos originais em seu lugar e regularize a modificação de acordo com normas técnicas de segurança.