A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Games História Zero a 300

A evolução dos games de corrida, parte 4: o nascimento de Need for Speed e Gran Turismo

Começamos, há algumas semanas, a contar a história dos games de corrida desde o início, quando eles ainda nem eram videogames propriamente ditos. Depois, falamos sobre a era de ouro dos arcades, o surgimento dos primeiros consoles, sua evolução e o nascimento dos simuladores, que vieram praticamente junto com os primeiros gráficos poligonais. Em vez de usar sprites que eram exibidos em sequência, esticados e encolhidos para simular perspectiva, os gráficos 3D construíam a imagem usando polígonos. Quando mais complexos os modelos tridimensionais, mais polígonos eram necessários, e o poderio de uma plataforma era, de forma geral, medido pela quantidade de polígonos que conseguia exibir simultaneamente sem afetar a performance do jogo. Era por isso que Virtua Racing, lançado pela Sega em 1992, tinha um visual tão simples, apesar de 3D: eram poucos polígonos na tela, e não havia texturas neles, apenas cores. O que não impediu o jogo de ser um sucesso. À medida que as desenvolvedoras

Matérias relacionadas

Os games de corrida mais legais da era 32-64 bits – parte 1

Dalmo Hernandes

Quando finlandeses malucos transformaram um Rolls-Royce Silver Shadow em um carro de arrancada de luxo

Dalmo Hernandes

O fim de Top Gear USA e mais tretas no Top Gear UK, Ford GT ganha edição especial em homenagem a Le Mans, Suécia quer estradas elétricas e mais!

Leonardo Contesini