FlatOut!
Image default
História

ATS 2500GT: o anti-Ferrari


Ah, a Itália. Onde todo relacionamento é apaixonado, onde toda conversa pode ser ouvida a quilômetros de distância. Onde toda briga vira uma ladainha interminavelmente procrastinada cheia de lágrimas e paixões eternas. Onde a comida é farta e deliciosa, onde o vinho é da terra e servido em jarras enormes; onde tudo, de obras técnicas da ciência como automóveis até quadros e sinfonias, vem não do cérebro e da matemática, mas sim do coração. Onde gente anda bem-vestida, é normalmente magra e belíssima: é o lugar onde o classicamente belo, sem ornamentação excessiva, tem sua casa. Um lugar de homens e mulheres que parecem todos vir do campo, da terra, mesmo os mais sofisticados e cosmopolitas deles mostrando uma faceta dura e orgulhosa de independência. Onde o orgulho pessoal, e como comunidade, é parte intrínseca de todos. Onde uma conversa é impossível ser objetiva e rápida, não importa a pressa que você tenha em estar em outro lugar. Onde toda visita não acaba nunca, a menção