A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Games

Cinco games de corrida totalmente fora da caixa

Jogos de corrida nem sempre foram as obras de arte ultrarrealistas que temos hoje. Na década de 1980, quando começaram a se popularizar os computadores domésticos, os desenvolvedores faziam o que podiam com alguns milhares de píxels e sons sintetizados, controlados por alguns kB de memória. Os games vinham em disquetes – alguns, vários disquetes. Alguns computadores não conseguiam reproduzir sons, e outros não tinham nem paleta de cores. E os consoles domésticos tinham jogos ainda mais rudimentares. À medida em que os games evoluíram, os títulos foram ficando mais realistas. Na década de 1990 começaram a aparecer jogos com gráficos poligonais, efeitos de luz e sombra e diversos modelos de mecânica. Nos PCs, os simuladores começaram a tomar a forma realista que têm hoje e os consoles começaram a acompanhá-los – hoje em dia, estão quase lá. Quando não havia maneira de criar um game de corrida extremamente realista, porém, os desenvolvedores precisavam se esforçar para torná-los a

Matérias relacionadas

Os games de corrida com as melhores trilhas sonoras – parte 2

Dalmo Hernandes

Os games de corrida mais bacanas do PlayStation 2 – parte 2

Dalmo Hernandes

Os games de corrida mais legais da era 32-64 bits – parte final

Dalmo Hernandes