A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Games Técnica

Coisas que os games e simuladores de corrida nos ensinaram errado, parte 1

Games e simuladores são consumidos e compreendidos de forma tão diversa quanto o perfil dos próprios jogadores. Quem não se lembra do insanamente divertido e totalmente descompromissado Need for Speed Underground (lançado em 2003 para PC, PS2, Xbox, GameCube e GBA), um dos maiores blockbusters gamers já nascidos? Sua receita era tão democrática que viciou pilotos profissionais, entusiastas de track day e da cena tuning, crianças, adolescentes, adultos bem crescidinhos, e principalmente, gente com pouca ou nenhuma relação entusiasta com o automóvel no mundo real – poucos jogos de corrida recentes conseguiram essa façanha. Se você, gearhead de carteirinha, com conhecimento de mecânica e algum domínio de técnicas de pilotagem, sempre o jogou sabendo que aquilo era diversão pura sem nenhum compromisso com a realidade, saiba que esse pressuposto não se aplica a todo mundo – muito pelo contrário. Tem gente de toda faixa etári

Matérias relacionadas

Afinal, por que o Honda Civic Type R tem três saídas de escape?

Dalmo Hernandes

Polo GTS x Sandero RS: Juliano Barata compara e opina

Juliano Barata

A dieta da espuma: como os carros poderão ficar ainda mais leves usando “espumas de alumínio”

Leonardo Contesini